quarta-feira, 2 de junho de 2021

A multidão do deserto desaparece


 *****
A terra secou, e tudo ficou tão cinzento
As ervas ficaram retidas no chão
As brechas são engolidas pelo vento
E tudo o que o tempo trouxe levou em vão
.
Pode nascer uma flor, num desconhecido
Por, em seu redor, não existir viva alma
Tudo seca, mas antes não tivesse nascido
Neste asfalto mortiço, que se desalma
.
Tanta secura, numa saudade tanto dói
A multidão do deserto desaparece
A solidão e a secura não mata, mas mói
Na vida, mais nada existe, resta a prece
.
Uma flor sozinha não dorme, e desinquieta
A terra seca, é transformada em pesadelo
No cinzento dos dias. Silenciosa, indiscreta
Assim vive sozinha, uma flor, em desmazelo
*****
Cidália Ferreira

41 comentários:

  1. Essa flor que brota duma greta onde parece que não há vida, renasce duma semente que voou.
    Lindo este popema, com uma grande carga de vidam, duma vida que renasce em cada momento quando tudo parece que secou.
    Abraços de vida

    ResponderEliminar
  2. Cidália, No deserto tem alguns montinhos de verde
    Aí irá florescer, com certeza
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  3. Mais uma linda poesia,Cidália! Ótima semana e desde já, ótimo JUNHO! bjs, chica

    ResponderEliminar
  4. Poema em solitário e seco sentimento. Nem sempre as flores, embora possam nascer, sobrevivem no deserto. A seca acaba por as ferir de morte. Poema sentido

    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Yo creo que incluso en el desierto más árido podemos encontrar vida.

    Hermoso poema.
    Un beso

    ResponderEliminar
  6. Un poema en el que de una bella forma nos narras lo que es el desierto.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  7. a flor que aguarda o amor, no deserto de sentimentos é difícil de viver
    haja esperança:)

    ResponderEliminar
  8. Oi Cidália
    Uma poesia maravilhosa
    Amei demais
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  9. Belo poema

    Beijinhos e uma excelente semana que começa

    ResponderEliminar
  10. Mais uma linda poesia, Cidalia
    Gosto imenso de te ler.
    Um carinhoso abraço.
    Verena

    ResponderEliminar
  11. Que poema triste, não podemos perder a fé.

    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderEliminar
  12. Muito triste, algo revoltado.
    Beijo, boa semana

    ResponderEliminar
  13. Pode nascer uma flor, num desconhecido
    Por, em seu redor, não existir viva alma.

    Bom.Fia da Criança, querida amiga Cidália!
    A flor perece no deserto, mas segue firme, nasceu para florir.
    Muito profundo seu poema antes o que estamos vivendo, de certa forma.
    Tenha um dia abençoado!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderEliminar
  14. A veces aunque la tierra sea estéril , siempre hay un riconcito donde crece una bella flor. Un besote.

    ResponderEliminar
  15. Ora, vamos lá puxar para cima, querida Cidália.
    Que nasçam e vivam muitas flores na sua vida e na sua poesia.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  16. É triste mas não deixa de ser bonito.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  17. A singela flor como símbolo de esperança.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  18. Ninguém resiste sózinho, nem mesmo as flores.
    Boa semana
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Um pouco tristinho mas ao mesmo tempo muito bonito...um beijinho.

    ResponderEliminar
  20. Tocante e belíssima poesia, Cidália. Apesar das adversidades que as permeiam, as flores sempre renascem decantadas para enfeitar a vida.
    Efusivos parabéns e um terno abraço.

    ResponderEliminar
  21. Até no deserto podem nascer flores!
    Sensível o poema.
    Beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  22. Uma flor à procura de carinho. Tão bonito, Cidália!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  23. Poema de algum desencanto.
    Cidália, uma só flor basta para colorir dias cinzentos.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  24. Belo e melancólico poema que associei à humanidade sofrida do Planeta Terra nesse momento em que estamos vivendo. Somos flores do jardim do Senhor querida Cidália e muitas estão assim , como a flor do teu poema.
    Escreves sobre sentimentos , como ninguém. Parabéns.

    Beijo com carinho. 🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷

    ResponderEliminar
  25. Boa tarde Cidália,
    Por vezes as flores mais bonitas são as do deserto!
    Beijinhos e um mês de junho muito agradável.
    Ailime

    ResponderEliminar
  26. Mais um Belo poema, Cidália! Parabéns! :-)
    Boa noite!
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  27. Um belo poema. Gostei muito

    Ótima semana
    Um abraço

    ResponderEliminar
  28. "São coisas da vida"!, diria que
    desencanto a pairar de alfa a ómega
    Mas felizmente a flor resiste
    e não desencaminha guardada
    à luz do luar no oásis

    Beijo.

    ResponderEliminar
  29. Triste e maravilhosa a resistência de uma flor!
    bj

    ResponderEliminar
  30. Muito profundo e sentido este seu poema, gostei especialmente deste verso:
    "Pode nascer uma flor, num desconhecido
    Por, em seu redor, não existir viva alma
    Tudo seca, mas antes não tivesse nascido
    Neste asfalto mortiço, que se desalma"

    Querida Cidália tenha um dia muito feliz ♥

    ResponderEliminar
  31. Como sempre um poema lindíssimo embora com uma certa tristeza mas isso faz parte das nossas vidas um bjo😘🌹💐🌺🌻🌷

    ResponderEliminar
  32. Creio que está a ficar mais profunda, Cidália.
    Apreciei.

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  33. Palavras tão sofridas e tristes num poema tocante.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. Um belo poema, que nos remete para a resiliência da natureza, florescendo mesmo nas condições mais improváveis... Gostei imenso!
    Um beijinho!
    Ana

    ResponderEliminar

A vossa visita e comentário é o balsamo que alimenta a minha alma... Muito obrigada. Todos os poemas expostos são de minha inteira autoria, no que, apenas deverão ser partilhados com os devidos créditos da Autora: DEP. Legal: 374 492/14 - Cidália Ferreira - (Eu) 😘