terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Declínio nas palavras em denso nevoeiro

Foto de Cidália Ferreira.
Não  existia sol, não existia qualquer ruído
Não existia ninguém por ali, apenas tu e eu
E degraus, que não me arrependo ter subido
De repente sinto que a minha escada tremeu
*
Denso era o nevoeiro que invadiu meu ser
Perigosos, eram os degraus que imaginava
No topo onde te coloquei, para te enaltecer
Recebi friamente o revés... jamais esperava
*
Mas neste declínio fatal onde me encontro
Queria voltar a subir... ir ao teu reencontro
Mas em pranto fico. Desgostoso momento
*
Já não existe sol nas palavras que soletraste
O afeto perdoa maus momentos, tu voltaste
Mas não já sobes comigo. Quanto tormento.
****
Cidália Ferreira  

sábado, 27 de janeiro de 2018

Beleza de um luar enamorado ( Poetizando... )


Sob a beleza de um céu estrelado
Um luar imaculado
Um momento de sedução
Um convite enamorado
E uma paixão sem limites,
O limite, é pegares em minha mão
Levares-me ao teu recanto
O baloiço, onde me colocaste,
Olhámos-nos com carinho
E nos embalámos devagarinho.
*
Olhámos o céu, estava a lua
Num bailado emocionante
Momento único, encantador,
E aquela árvore quase nua
Testemunhava o instante,
Baloiçamos, quando tu
Me sussurras com palavras de amor
E numa doce declaração
Sentes meu corpo que treme
Porque só tu sabes, tocar o meu coração.
***
Cidália Ferreira.
A minha simples, mas sincera  participação no Poetizando e Encantando. 

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

No silêncio dos meus sonhos

Foto de Cidália Ferreira.
Vestem-se  as árvores em simples candura
Em noites marcantes  onde falta o sossego
E numa gélida aragem que sempre perdura
Amanheço em angústia dum desaconchego
*
Nos caminhos onde me cruzo com o vazio
Onde nem os ramos se agitam, pela dureza
A lua encoberta pelas luzes, atenuam o frio
Enquanto vagueio pelos trilhos da natureza
*
E na rigidez do solo, onde me sinto deslizar
Caminho firme no silencio dos meus sonhos
Onde a brancura e o frio me fazem valorizar
Pequenos instantes, em dias mais enfadonhos.
****
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Paraíso, encantador de mentes...

Foto de Luisa Martins.
"Foto d' Luísa Martins"
O dia amanheceu, calmo, onde o sol promete
O verdejante...e a beleza das aves dançantes
Serenidade, belos momentos, deslumbrantes
E onde se gosta de deambular, sobre o tapete
*
Mesa vazia, outrora ocupada, pela humildade
De quem contempla, ao pormenor, a natureza
Onde um vento que passa em meiga serenidade
Deixando em partículas sentimentais, a beleza
*
Avista-se vida, em nosso distendido horizonte
O sol encoberto em deslumbramento da mente
Permite que a beleza seja o que avistas defronte
*
O dia amanheceu, local onde alguém pernoitou
Onde uma alma se vangloriou tão serenamente
Neste paraíso, por onde uma Diva se encantou.
****
Cidália Ferreira.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

AFAGOS...

Foto de Cidália Ferreira.
Uma viagem ao tempo passado
Numa saudade sem fim,
Uma alegria que dói
Numa lágrima que espreitou
Como a folha no molhado,
Um tempo que não esqueço
Um momento que me fascina
Um atraso no teu sorriso
Um olhar por quem me interesso
Que nunca será, fraca sina,
*
Jamais esquecerei cada gesto
Que um dia me ofereceste,
Serás o amor, no meu sonho
Nesta viagem do tempo
Onde meu carinho honesto
Oferecido sem media
Te afaga nos tormentos
Dum tempo que tenta fugir,
Onde os problemas sem hora
Aparecem, sem ninguém os permitir.
***
Cidália Ferreira

domingo, 21 de janeiro de 2018

Recordo com saudade, o teu carinho (Poetizando )

Encontrei nos meus rascunhos uma carta tua
De palavras perfumadas dum amor profundo
Desperto meu sentimento que não se habitua
À ausência, e por ti, vou até ao fim do mundo
*
Lembras-te amor, quando te ofereci uma rosa
Com um laço acetinado em palavras douradas
Olhaste-me, beijas-te o rosto, de pele mimosa
Silenciou-se o momento, lágrimas inesperadas
*
Recordo com saudade os momentos de alegria
Quando nos teus lençóis deixávamos a energia
Qual volúpia enrolada em teus lençóis de linho
*
Mas na carta que releio, onde te sinto tão perto
Mesmo que o meu mundo se pareça um deserto
Jamais deixarei de amar, o valor do teu carinho.
****
Cidália Ferreira.

Poetizando e encantando: "A Minha terceira-(3ª)-participação poética"

sábado, 20 de janeiro de 2018

Bodas de carvalho. (38) Anos de matrimónio

Resultado de imagem para bodas de carvalho
Em 20 / 01/ 1980 
Mais uma ano passado. O tempo voa, mas já contamos com 38 anos de casados. Entre lutas e duros obstáculos, continuamos lado a lado. Além dos filhos, (2 + uma) temos 2 netas e 1 neto (3)  que, como é óbvio, são a nossa alegria. "São a minha razão de viver".

Deus coloca-nos os obstáculos no caminho e põe-nos à prova. Oxalá possamos continuar assim. Que nos possamos aturar um ao outro mesmo nos dias mais tempestuosos. Porque não existem vidas perfeitas. Felicidades para nós. 
Resultado de imagem para 38 anos de casamento bodas de carvalho
Ao que dizem, são as bodas de Carvalho... :)
 Não há bolo porque andamos em dieta, lool

Cidália Ferreira

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Acredita, na força das notas escritas.

Neste meu momento sereno
Quando penso no quero escrever
Imaginar-te-ia moreno
Voz límpida, encantadora
Causador, desta modesta inspiração
Nas noites, em que fico sem te ver,
Pudesse eu, fazer-te-ia uma música
Que ouvisses num som silencioso
E que te entrasse coração
Da forma mais motivadora,
Que te deixasse a sensação de leveza
E te levasse, toda essa tristeza...
*
Neste momento em que desejo tanto
Como desejo as pétalas perfumadas
Jamais te queria ver num pranto
Nem com felicidade aniquilada,
Olha-me nos olhos, e acredita
Acredita na força das notas escritas
E na energia que te quero transmitir,
Escuta, não penses que são apenas palavras
Quando a junção está nas palavras ditas,
Medito, chego a uma conclusão
Que bom seria se pudesses sentir
A minha força... para a tua motivação!
***
Cidália Ferreira.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

"Intempérie na minha mente"

Sopra um vento possante e assustador
Em dia de intempérie na minha mente
Bate forte, o meu coração sem limites
Por se encontrar fraco, constrangedor
Sensível a qualquer abalo e mormente
Falta-me a força que tu me transmites,
Quando abro a janela, ao meu coração
*
Na eminencia da vida que tanto anseio
Não é compatível com a minha alegria
Uns dias a felicidade escapa pela janela
Onde um vento possante provoca receio
Traz-me desalento à mente, e bom seria
Se o vento passasse, sem deixar mazela,
Neste silêncio cinzento, foge-me o chão.
****
Cidália Ferreira.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Percurso em tons de violeta. (Poetizando)

(Imagem escolhida  pelo, Poetizando e Encantando)
Carrego no meu pensamento sonhos, instigantes
Imaginado o jardim mais lindo no nosso planeta
Minhas preces vão além do infinito, qual violeta
Cor das flores, enaltecendo, campos verdejantes
*
Pode apenas existir no pensamento, um caminho
As nuvens dançam e decidem um longo percurso
Meu olhar, sobre o azul profundo, e sem discurso
Sigo o meu caminho, neste destino, tão calminho
*
Embriaga-me o aroma do embelezado horizonte
Envaidece meu olhar, com uma árvore de fronte
Onde me dificulta a escolha no caminho a seguir
*
Quando um percurso se faz, numa escolha a dois
Tudo o que sonhamos e não queremos, é o depois
  Mas o sonho acabou. Esta beleza passou a existir .
****
Cidália Ferreira.

A minha segunda participação no Poetizando e Encantando, da Amiga Lourdes Duarte.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Gélido Pensamento...

Imagem relacionada
Chegou a noite ao meu frio pensamento
Triste certeza, dura realidade
Mais um dia chegou, e partiu
O sol não voltou,
Gélidas palavras que meu coração gravou,
Entristeceu, sem ver chegar o momento
Numa fria sensação que atormenta
Onde a sensibilidade aumenta 
Vagueando no meu ilusório sentimento
A reciprocidade
Que não sei, se algum dia, existiu...
*
Nesta frieza da noite, carrego no coração
Algumas emoções...desdém
Tristeza profunda,
Lacrimejam meus olhos ao imaginar
Num sentimento de rejeição,
Olho a lua encoberta de incertezas
Anteveem-se dias cinzentos, irão chegar
Preciso da tua companhia, também
Para não me sentir moribunda,
Fazes parte do meu imaginário vagabundo
E de todas as minhas lúcidas certezas.
***
Cidália Ferreira 

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

No silêncio da luz do luar

Ao brilho da lua e das estrelas, desejando
Ser levada, para mais uma dança sensual
A efervescência da lua nos vai extasiando
Olhos nos olhos, desejo da libido. Casual
*
Enquanto meu corpo num redopio agitado
Estremece, ao sentir o teu toque em magia
Deixa-se levar ao som do desejo, ilimitado
Porque extravasa paixão, tão apetecido dia
*
Vem desvendar a ilusão, desta nossa dança
Levar-te-ei ao céu, sem qualquer cobrança
Preciso de me sentir segura em teus braços
*
No silêncio das estrelas reina a luz do luar
Dançamos apenas na ilusão do verbo amar
  Onde nos unimos, em apaixonados abraços. 
****
Cidália Ferreira.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Meu pensamento viaja em tarde de Inverno

Meu pensamento viaja pelo horizonte
Enquanto, de janela aberta
Sinto o passar do tempo
Numa brisa suave e breve,
Num silêncio que me fascina
Me faz viajar no momento
E num sentimento livre, tão leve
O meu coração se resigna
*
Ouço o silêncio das folhas que mexem
Medito. Lembro-me das flores
Que outrora floresciam em meu jardim
Dos lindos amores-perfeitos
E da fragrância do alecrim
Saudade do tempo, sem dissabores
*
Meu pensamento viaja em tarde de Inverno
Contempla os momentos de sol
Num silêncio que perturba meu coração
Imaginado, que além do horizonte me esperas,
O sol brilha num vento sussurrante
Meu olhar desvia o pensamento vão,
Faz-se tarde, imagino-te deslumbrante,
Ao chegares, à minha janela, tão terno.
***
Cidália Ferreira

domingo, 7 de janeiro de 2018

Fascínio de um universo estrelado

E num passeio pelo fascínio do universo
Onde nossos pensamentos se entrelaçam
Os sentimentos fluem, mas num só verso
Misturam-se os sabores, os que nos calam
*
Num turbilhão de estrelas que iluminam
Onde uma única se manifesta, por amor
Nosso olhar sorridente, que as fascinam
Por momentos nos transmitem seu calor
*
E num abraço terno e demorado, sentimos
O brilhar movimentado, da estrela cadente
Que nos enternece o coração, e persistimos
*
E nos nossos beijos, que tanto silenciamos
Quando dados, sob um bonito luar, luzente
Apenas transmitimos, quão felizes estamos.
****
Cidália Ferreira.
.

A minha 1ª Participação no:
*

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Vagas de saudade...

Vagas de vento sopram longe da montanha
Árvores desamparadas abanam ferozmente
Meu olhar viaja, e o sentimentos se acanha
Enquanto nesta viagem vagueio livremente
*
Viajam meus sentimentos sem contradições
Vejo passar o tempo, numa viagem, sem fim
Serenamente sorrio, num misto de emoções
Porque viajas comigo, jamais sairás de mim
*
Confesso ao meu coração, saudade que sinto
Da tua voz sensual nesta viagem tão sozinha
Saberás o quando preciso de ti, mas pressinto
Vagas de saudade, num vento que se avizinha.
****
Cidália Ferreira. 

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Estado de alma de uma jovem. Facto verídico.

Não sei há quanto tempo já não sentia esta paz de espírito, este sentimento de alegria que me preenche o peito. Realmente, é muito triste saber que estamos a mais num determinado espaço e saber que, quem nos devia de defender e proteger de todo o mal que o mundo nos podia apresentar, só ajuda ao nosso enterro. Mesmo assim, acho que isso não é o pior, acho que pior que isso é termos a plena consciência que fizemos demais para proteger e defender quando o nosso papel era precisamente o contrario, ser defendido.

Terem as coisas que chegar a este extremo para percebermos realmente com quem podemos ou não contar, e nesse momento, é uma dor tão mas tão grande saber que não tens a pessoa que mais apoias-te, a pessoa que mais defendes-te, que tiveste de pôr a tua própria vida em risco para defender quem na verdade não quer sequer ser ajudado, mas, mesmo assim, submeteste a coisas que não é a cruz que tens de carregar e mesmo assim estas disposta a carregar a cruz só para ver as pessoas não sofrerem mais, carregas o teu mundo com o mundo dos outros. O teu mundo está completamente no chão mas mesmo assim ainda vais ter força e coragem em para pôr a mão no mundo da pessoa que pensavas que era a ultima pessoa à face da terra que te ia abandonar.

Mas tudo isso acabou, graças a Deus consegui libertar-me de toda essa tensão. De todo o sufoco, daquilo que não me deixava andar para a frente. Finalmente posso começar a dizer que a vida é bela, que tenho uma vida pela frente. Agora, finalmente a minha vida esta a começar. Posso não ter os meus progenitores para me apoiarem nas decisões mais importantes, não estão lá para amparar a minha queda, mas hoje, sei que também não estou sozinha.

Eu acredito que todo o pesadelo que passei até agora foi tudo uma aprendizagem, uma preparação para aquilo que a vida me reserva daqui em diante, agora já nada que possa acontecer, me vai abalar. 

"Por tudo o que eu já passei, já sofri, já presenciei. Mesmo depois de tudo, o pior sentimento que ainda me enche o peito é de incapacidade, de fraqueza, porque eu não sou uma uma pessoa forte, pode parecer uma autentica estupidez, mas mesmo depois de tudo aquilo que já passei não sei se me sinto psicologicamente preparada para mais uma tempestade. não quero!"

Peço a Deus que este ano, eu, seja abençoado por Ele. Que este ano saiba o que é realmente sentir paz, estar tranquila... Fim.

Um texto; facto verídico, desabafos de um estado de Alma...
Escrito por CARINA LEITÃO (minha sobrinha)

.
Eu:Afinal, mudar a vida de alguém,  pode ser difícil, mas não é impossível. Basta querer!
Cidália ferreira

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Sinto pressa. Pressa de viver.

Imagem relacionada
Por vezes sinto que tenho pressa,
Pressa de viver
De chegar onde não posso
De alcançar velhos sonhos
De correr novos riscos
De abraçar o vento que passa
De contar os dias, os meses
De correr contra o tempo
Onde as névoas são desejos
As gotas de chuva, os teus beijos
Sentimento que guardo,
*
Sim, tenho pressa de viver
De seguir, sem partir,
Para novos reencontros
Desejosos desafios,
Um novo olhar para a vida
Um abraçar, sem ter medo
Sinto, e tenho pressa de chegar,
E neste sentimento que desfio
Guardado neste baú em segredo
Porque tenho pressa,
De te encontrar, nesta vida, cálida.
***
Cidália Ferreira.