30 de novembro de 2021

Sentimento fatal...

*****
Já acendi a minha lareira
Aqueço o corpo e a mente
Conforto o meu coração
Porque o frio já se sente
*
Com o calor que se entranha 
A sede convida um bom vinho
E uma garrafa se abre 
Lá se bebe um bocadinho
*
Olho para a lareira acesa 
Imagino o quanto é bom
Ter um lar aconchegante 
Saber contemplar é um dom 
*
Não me posso deixar levar
Por este sentimento fatal
Que me deixa emaranhada
Pois receio que me faça mal
****
Cidália Ferreira

28 de novembro de 2021

Existe uma beleza inexplicável, no ar

 *****
Chegou o crepúsculo a qualquer lugar
Será cidade, ou meramente povoação
Será que existe gente para contemplar
Nem todos conseguimos ter a perceção
*
Existe uma beleza inexplicável, no ar
Existem estrelas cintilantes no olimpo
Existe a emoção que dentro dum olhar
Fica a saudade... de mais um dia lindo
*
Acendem-se luzes esvaziam-se as ruas
E procuram-se os aconchegos nos lares
Enquanto lá fora, até nas árvores nuas
Se refugiam as aves solitárias,singulares
****
Cidália Ferreira

25 de novembro de 2021

Existem silêncios que atropelam ...


*****
Existem silêncios que incomodam
Que entoam na alma
Que interrompem os sonhos
Que ferem, de tanta mudez
Existem silêncios que se acomodam
*
Gosto dos silêncios ruidosos
Dos roídos em melodia
Dos momentos vagos da vida
Das palavras em silêncio
E dos gestos oferecidos generosos
*
Gosto dos silêncios acompanhados
Das multidões silenciadas
De ouvir, a minha voz atenta
Quando no silêncio, recita
Os poemas escritos bem guardados
*
Existem silêncios que atropelam a gente
E nos fazem pensar na solidão
Mas existe a solidão acompanhada
A mais agreste para quem vive
Deixando escapar uma vida deprimente 

*****
Cidália Ferreira

23 de novembro de 2021

Procuro as ondas de qualquer olhar

 *****

Procuro no tempo do meu equilíbrio
Nas águas serenas embargo o olhar
O pensamento tão distante, sombrio
Espera, pelas ondas d'qualquer mar
*
O cinzento que o meu coração sente
É apenas ilusão dum sonho passado
Num suspiro de ousadia, não mente
E liberta o que guardou, tão ousado
*
As nuvens apressadas tapam a graça
Dum sol que pousava sobre as águas
Momento em que o meu corpo abraça
Os silêncios onde se libertam mágoas
*
Procuro as ondas de qualquer olhar
Encontro o alimento para libertação
Os meus olhos sentem-se a lacrimejar
E o equilíbrio espelha o meu coração
*****
Cidália Ferreira

21 de novembro de 2021

Não tema... Qualquer tempestade que enfrente ...

*****
 
Agradeça...
Por tudo de bom que a vida lhe dá
Também, pelas coisas menos boas
A gratidão é um valioso sentimento
*
Aprenda...
Com os tropeços que vão aparecendo
Tal como existem os dias diferentes
Tudo na vida terá com um propósito
*
Acredite...
Que dias sem dificuldades não existem
Mas existe a bondade e a compreensão
Porque esta, é uma vida feita de desafios
*
Não tema...
Qualquer tempestade que enfrente
Nada será tão forte como o seu querer
Com dignidade e bondade o mundo melhor
*
Coragem...
Para enfrentar as adversidades da vida
Fazendo de si, pessoa mais positiva
Porque quando o sol nasce, ele lhe sorri
*
Agradeça, por aprender e acreditar,
Por não temer a coragem
Porque atrás de cada montanha
Nascerão sempre os novos sonhos.
*****
Cidália Ferreira

Um feliz e abençoado fim de semana, para todos em geral.

19 de novembro de 2021

Silêncios escutados com serenidade

 *****
Do outono, gosto das cores matizadas
Das manhãs frescas, por vezes densas
Das folhas que caem, são tão intensas
Que extasiam o olhar das madrugadas
*
Gosto das pontes vazias de movimento
De silêncios escutados com serenidade
Ver folhas envelhecidas com dignidade
Retirando delas, venustidade do tempo
*
Gosto, do cheiro a húmido, da floresta
Das águas sossegadas que se escapam
Tudo o que está em redor se manifesta
*
Do outono, gosto dum solarengo ameno
Do esvoaçar das folhas... que acalentam
E das tradições que se mantêm em pleno
*****
Cidália Ferreira

17 de novembro de 2021

Perco a noção do meu tempo

*****

Oh lua que vais tão bela
Cheia de beleza, e ousadia
Que ilumina os bons amantes,
És dona duma grande magia
Trazendo brilhos contagiantes
Quando me visitas, à janela
*
Perco a noção do meu tempo
A olhar-te sem limites
Trazes-me alegria, inspiração
E em ti me perco, se insistes
Nesta janela, onde a adoração
É inimiga do contratempo
*
Olho-te, e sinto-me a vaguear
Pelas curvas dos teus segredos
E pela beleza da tua elegância
Olho-te, alucinada, nos enredos
Recordando a minha infância
E numa viagem me deixo levar
*
E, se na minha janela passaste
Foi um sinal que me deste
Um toque no meu interior
E quando, a mente, me leste
Fizeste acordar com clamor
E na poesia, tu me inspiraste!
****
Cidália Ferreira

15 de novembro de 2021

Podem os pensamentos serem frios d'amor

*****

Existem momentos em frios pensamentos
Quando a noite encerra o meu aconchego
Apenas os ecos, as palavras e sentimentos
Fazem sentido, num coração, sem sossego
*
Cruzam-se as mãos cheias de cumplicidade
Sente-se no carinho o calor da nossa união
Tudo se tolda quando a noite é na realidade
Encontro entre almas gémeas na escuridão
*
Podem os pensamentos serem frios d'amor
Ou simplesmente estados de pura incerteza
Mas nada será tão verdade como promessa
*
A cumplicidade une as nossas mãos, sem dor
Sem indiferenças ou tormentos, por gentileza
Para o aconchego da noite passar sem pressa
*****
Cidália Ferreira.

13 de novembro de 2021

Silêncio tão denso...

 *****

Neste silêncio tão denso
Em tão precioso momento,
Viajo num tempo passado
Abro as gavetas do cérebro
Recordo apenas o que foi bom,
Porque o mau não compensa
Ficará para sempre suspenso
.
Haverá ainda quem esteja
Numa solidão acompanhada
E, não não se sinta feliz assim,
Mas é tão preciso como comer
Para arrumar certos tormentos
Acalmar o espírito, já cansado
Que muitas vezes fraqueja
.
Mas, neste silêncio que amo
Numa estação de mudanças,
Vão-se as folhas e as palavras
Vão energias também,
Mas haverão outros dias
Para alimentar a alma
Momento que tanto reclamo.
*****
Cidália Ferreira

11 de novembro de 2021

Faltam castanhas para assar ...

***** 
São Martinho, São Martinho
Vê se me vens oferecer
Castanhas assadas e vinho
Para a alma eu aquecer
*
Traz-me também jeropiga
Que eu bebo, não sou esquisita
Pois sou boa rapariga
E um copinho não se hesita 
*
São Martinho das adegas
É dia de furar as pipas
Tamanhas serão as pielas
Vê lá se não nos constipas
*
Por ser grande a tradição
Devia de festejar
Mas fica na intenção
Faltam castanhas para assar
*
Tu não me levarás a mal
O dia é quando eu quiser
Nem que seja no Natal
Se alguém se propuser!

******
Cidália Ferreira 

Um excelente São Martinho para todos.

10 de novembro de 2021

Informação importante da blogger...

Hoje, vou abordar um assunto, no qual todos os blogues já se deve ter apercebido, ou simplesmente não conseguem adicionar.

Todos sabemos, que todo o sistema da blogger mudou. Ir às definições, temas, esquemas, já não é como era. Não devo ser só eu a notar esta diferença.

Atualmente, adicionar/linkar um blogue à lista, para quem tem dificuldade, é um tormento. E mesmo que consigam, esses raramente atualizam. Já me aconteceu, e vejo em blogues comuns que ficam no fundo do blogue sem atualizar.

O linke do blogue que se pretende adicionar deixou de ter uma funcionalidade que o fazia atualizar.

No pouco que percebo disto, consegui encontrar uma pequena, porém, valiosa solução. Gadget/ Lista de blogues, para quem pretender seguir esta solução. 

1

Entrar no interior do blogue e  clicar em esquema
2


De seguida procurar à direita a sua lista de blogues e entrar 
3
Onde tem a seta a vermelho, vão puxar até ao fundo  até encontrar;  ADICIONAR NOVO ITEM 
4 / 5

Abrir e adicionar um linke já composto. Bem como, adicionar o nome do blogue na primeira linha NUNCA ESQUECER, DE FAZER GUARDAR

6

Este ultimo, é para, no caso de já terem os linkes adicionados mas que não atualizam. Basta clicar no lápis, abrir, e adicionar à frente do linke incompleto, isto: feeds/posts/default sem deixar espaço. FAZER GUARDAR. O que está a verde é o exemplo de como fica normalmente e que não atualiza.

**********

Deixo um exemplo do meu;  http://coisasdeumavida172.blogspot.com/  (incorreto para linkar)

Se linkarem aos favoritos este linke não atualiza se não tiver  isto [ feeds/posts/default ] Ou seja; apenas funciona assim👉http://coisasdeumavida172.blogspot.com/feeds/posts/default   ✔  (Correto para linkar).

Não sei se haverá alguém a precisar desta ajuda, mas, pelo menos, coloquei a questão da minha dificuldade. Pode haver outra forma de arranjar mas eu não sei. 


Ajudei? Contem-me!
Cidália Ferreira.

8 de novembro de 2021

Mesmo que o tempo não seja nefasto

 *****

Os dias voltaram aos palcos da vida
Ao frio, onde o sol se torna a alegria
Aos bancos vazios, como dor sentida
O silêncio dos passos feitos de magia
*
As árvores sozinhas, deixadas à sorte
Os pássaros, voaram sem deixar rasto
Parece a natureza condenada à morte
Mesmo que o tempo não seja nefasto
*
Dos beijos e os tão desejados abraços
O banco foi palco de tantos sussurros
Causando os desejos entre embaraços
*
Os dias voltaram frios e abandonados
E nas madrugadas a brisa em apuros
Esperando que o sol atraia namorados
*****
Cidália Ferreira

6 de novembro de 2021

Os dias podem ter cor!


 *****

Uma manhã fresca e chuvosa
Um café bem quente
Um livro, de leitura instigante
E um silêncio na mente
*
Um olhar em volta da sala
U uma voz que se escuta
Um verso que te identifica
E uma emoção absoluta
*
Uma cadeira que embala
Cada pensamentos são
E um olhar que reflete
Em qualquer um coração
*
Uma janela assim, transparente
Numa paisagem que chora
Parece poesia a fluir
Mas há gente, que lá dentro mora
*
Um tempo de melancolia
Mas um ambiente acolhedor
Se existir força de vontade
Também os dias podem ter cor!
****
Cidália Ferreira

4 de novembro de 2021

Cada mente esconde um poeta...

*****
Gosto da chuva, calma, lá fora
Da lareira acesa para conforto
Parece que o céu ainda chora
Ficando um certo desconforto
*
Na melancolia do tempo, afeta
Quem deseja ter no sol o alento
Cada mente esconde um poeta
Que se deixa levar pelo talento
*
Se a chuva alimentar o meu ego
São pensamentos, o entusiasmo
Então, tudo está certo, não nego
*
Gosto de ouvir a chuva, no calor
Do lar que me recolhe, e pasmo
Ao sentir a chuva cair sem pudor
****
Cidália Ferreira

2 de novembro de 2021

Momentos indecisos...


 ****
Sol... vento... chuva
Sentimentos,
Alegria, tristeza
Sorrisos
Tempestade,
Lágrimas
Momentos indecisos
Conversas
Estórias
Desabafos, desespero,
Gritos mudos
Silenciados diálogos
Saudades, e...
Num grito
O direito à liberdade.
****

Cidália Ferreira