18 de maio de 2022

Labirinto de emoções...

******

Sinto a alma num labirinto de emoções
Uma angústia no peito, não vejo saída
Não quero sentir mais estas sensações
Que me entristecem, me roubam a vida
.
Quero chegar ao ponto de estabilidade
Sair desta angustia que me tira do sério
Sinto, que a sensação de irritabilidade
Me deixa o sentimento sobre o mistério
.
Hoje não quero mais viver na angustia
Não quero... que os meus olhos chorem
Não quero ser, a canseira, nem entrave
.
Não quero viver num labirinto tão triste
Ou ser, um entrave, dos que nele morem
Quero desistir desta agitação que me dói
*****
Cidália Ferreira 

16 de maio de 2022

Deixo-me levar pelos segredos do mar

 *****

Deambulam os meus pensamentos
Pela força da maré
Mesmo que ao anoitecer
As nuvens se dispersem
O sol desapareça
E a brisa me desdobre sentimentos
.
Deixo as ondas beijarem-me os pés
Sinto o arrepio
O meu coração palpita
Deixo as pegadas para trás
Espero que a espuma se dissolva
Enquanto percorro o areal de lés a lés
.
E num anoitecer tão belo e tranquilo
Nas ondas desfeitas
Deixo o meu sorriso sincero
Respiro fundo para alívio da alma
Deixo-me levar pelos segredos do mar
Na força da maré, sinto, que não vacilo
.
No mar, onde a beleza é tão marcante
Como o silêncio das águas
Que de tão serenas são a inspiração
E o consolo de qualquer olhar
O reflexo do sol é o bálsamo
Que torna qualquer momento desafiante!
*****
Cidália Ferreira

13 de maio de 2022

Soltam-se os versos nas asas do destino

******

Soltam-se os versos nas asas do destino
Esvoaçam, sobre as pétalas da loucura
Como a borboleta que o aroma procura
Assim, pousando num local predestino
*
Ouvem-se as teclas, e num silêncio total
Os sussurros fazem a magia do momento
Os versos trauteados são mero segmento
Duma loucura boa, quais asas de cristal
*
Soltam-se versos, livremente, dos dedos
Sorriem os meus olhos, orlas do coração
Esvoaçam outras preocupações e medos
*
Trauteiam, numa dança, e sobre as rosas
Vão deixando a maciez da sua exaltação
No teclado de onde soam algumas prosas
******
Cidália Ferreira

10 de maio de 2022

Os sons do silêncio...

 *****

Não sei se o caminho vai ser intenso
Ou se a escuridão vai ser mentora
Não sei se a brisa me vai sussurrar
No momento que eu decidir entrar
E do paraíso conseguir ser a protetora
.
Não sei se consigo a caminhada sozinha
Não sei se controlo meus sentimentos
Não sei, se fale deles ou fique calada
Mesmo que na sombra não veja nada
Há sempre lugar para novos momentos
.
Se o caminho for a esperança do amanhã
Então a intensidade é o motor
As sombras são o alimento do coração
Os sons do silêncio, pedaços de inspiração
Para que eu possa receber a brisa com amor.
*****
Cidália Ferreira 

8 de maio de 2022

Hoje é dia de celebrar a vida de todas as Mães.


Hoje, segundo Domingo de Maio, celebra-se o dia da Mãe em muitos Países: Africa do Sul, Alemanha, Austrália, Áustria, Brasil, Canadá, Dinamarca, EUA, Grécia, India, Japão, Suíça, Turquia, Venezuela,  UCRÂNIA, Etc...

O Coisas de uma Vida, deseja, que estas Mães, e todas as outras, tenham um super dia. Hoje e sempre. 
O meu obrigada por todas e todos os que aqui passarem... FELIZ DOMINGO.

Cidália Ferreira.

Cheira a verão, numa primavera apressada

****** 

Cheira a verão, numa primavera apressada
Sinto o sol destroçar as flores que sorriem
A brisa passa despercebida, e se desenlaça
Impedindo outras flores de se distinguirem
.
Respiro tudo, o que a natureza me oferece
Agradeço, mesmo que não consiga vaguear
São os raios de sol que o olhar não esquece
Mesmo que a sede, não seja, o desacreditar
.
Cheira a flores e neste campo abandonado
Onde posso confessar o que me vai na alma
Mesmo que o tempo seja seco, amargurado
O silêncio das flores endereçam-me a calma
******
Cidália Ferreira

5 de maio de 2022

Aos Amigos Blogueiros/as. Atenção ao Spam...

Não sei se é de conhecimento de todos/as vós, blogueiros, mas a caixa de mensagens mudou. Por tal razão, vão muito mais comentários parar o spam. Posto isto, se o spam não for visto diariamente no mínimo, correm o "risco" de dar por falta de alguns blogues como visitantes. Deixo um exemplo para quem quiser seguir, se por acaso interessar.

1º- Entram no interior do blogue. 2º- Clicam em comentários. 3º- Clicam em todos e de seguida, spam. Existem comentários em spam ( alguns poderão ser mesmo spam) nikes desconhecidos.) O exemplo que tenho, e que, por sinal estava em spam. Conforme têm estado muitos outros. 



Neste caso, basta clicar na seta, não é spam e o mesmo é assumido na publicação.

Espero ter ajudado nesta publicação. Gostaria de saber o vosso Feedbak. Ok? Obrigada.
Cidália Ferreira.

3 de maio de 2022

Não adianta contrariar o coração...

******

A saudade é um sentimento que me segue
É a recordação das coisas que foram boas
É reviver de sorriso no rosto, que se ergue
É saber, que o meu coração, é das pessoas
.
Viver com um sentimento de honestidade
É das coisas mais lindas, parece invenção
Saber que o meu sorriso voa em liberdade
É deixar, que a nostalgia siga em emoção
.
E toda esta saudade dum tempo passado
É alegria do pensamento que me alimenta
E a lágrima, que rola no rosto, enamorado
.
Não adianta contrariar o coração, e mentir
Dizer que a saudade não mexe, representa
Enganar o sentimento, que se sente a fugir
*****
Cidália Ferreira.

1 de maio de 2022

Para todas as Mães, dos quatro cantos do Mundo.

Hoje, em Portugal, celebra-se o dia da Mãe
É o meu dia, e de todas as Mães do Mundo
Que todas tenham amor da família também
E todas recebam dos filhos o amor profundo

~~~~
Para todas as Mães dos quatro cantos do Mundo... recebam estas flores com todo o carinho mesmo virtualmente. Que o amor dos filhos nunca vos falte, e o vosso amor pelos filhos nunca se esgote.

Cidália Ferreira: Mãe e Avó.

30 de abril de 2022

Deixei no meio do ermo, o meu eu

******
 
Ficaste sozinha no meio do nada
Não sei se sou capaz de aí voltar
Sinto-me completamente perdida
.
Na intensidade do tempo escasso
As nuvens, escalando montanhas
Levando consigo o meu fracasso
.
Num momento neutro, ponderado
E debaixo de um extenso nevoeiro
Fica um segredo tão bem guardado
.
Se voltar àquela cadeira, sozinha
Tento abrir o meu coração cerrado
Não consigo, a alma não acarinha
.
Deixei no meio do ermo, o meu eu
Num sentimento chamado emoção
E tudo me parece que desapareceu
*****
Cidália Ferreira

28 de abril de 2022

Deixo um sussurro nas arestas do vento

******

Deixei-me vaguear por uma leve brisa
Entrei numa nuvem de palavra mágica
Numa suave carícia mas tão nostálgica
Tudo passa pela alma que é tão concisa
.
Vagueiam alguns desejos...por cumprir
Outros passaram e já foram esquecidos
Porque, nem todos os assunto vencidos
Alegram a alma, é preciso deixar sorrir
.
E se vaguear sobre as asas da mariposa
Deixo um sussurro nas arestas do vento
Espero que a palavra mágica seja alento
Numa nostalgia, que parece, aventurosa
*****
Cidália Ferreira

26 de abril de 2022

As agruras do tempo ...

******

Quantas vezes volto à janela do passado
Pensamento distante e pura ingenuidade
Histórias contadas em volta da realidade
Num tempo, que pareceu, tão apressado
.
Nesta janela, cheia de agruras do tempo
Onde tudo era saudável, porém tão duro
A liberdade nunca seria um porto seguro
Mas a época era um conturbado tormento
.
Quantas vezes o vento soprou na janela
Conseguindo entrar pelas velhas fissuras
Mostrando à história da gente as agruras
Mas vale a pena, um olhar, em sentinela
.
E se a velha janela, ainda for importante
Então deixou a saudade mas tudo passou
Coisas boas e menos boas. Enfim lá ficou
Mas hoje, a liberdade, é mais significante
*****
Cidália Ferreira

24 de abril de 2022

Sonhos vagos mergulhados na ilusão

******

Vento, chuva, e duras palavras vãs
Frio, na inconsciente primavera
Sonhos vagos mergulhados na ilusão
Sentimentos na mais dura agitação
Um coração sofrendo em silêncio
No meio da multidão mais severa
.
Sinto, que já não sei, ser como era
Que algo acabou e à tristeza me levou
Apenas me sinto bem olhando o mar
Dispersa pelo horizonte, num olhar
Paro, imagino os tempos doutrora
Consciente, de que a alegria, acabou
.
Chuva, vento e frio num momento só
Não quero ouvir as vozes que iludem
Quero derramar à vontade sem ter dó
Os sentimentos que em mim residem.
******
Cidália Ferreira.

21 de abril de 2022

Sussurros à lua...

 *****
Envolvi os meus sentimentos com o luar
Observei o mar, com ar de comprometido
Imaginei como seria a noite, e num olhar
Deixei que o meu coração fizesse sentido
.
Nas ondas mais calmas e tão espelhadas
Sinto que numa serenidade tão profunda
Ainda existem detalhes de mim, pegadas
Mas nada, que o sentimento se confunda
.
Ainda que a noite seja fria, e tão ventosa
As ondas expressam de sua livre vontade
E num vai e vem com a lua tão volumosa
Abro o coração, ao momento de liberdade
.
Se fizer sentido, o meu silêncio mostrarei
Que as ondas mais serenas sejam o segredo
Enquanto o luar não desaparecer, eu serei
O limite, deste momento de brilho e enredo
*****
Cidália Ferreira

19 de abril de 2022

Quanto vale a presença d'uma criança

 *****
Quanto vale a presença d'uma criança
O sorriso puro e o olhar mais estranho
Brincadeiras destemidas e a confiança
Fazem deste mundo um amor tamanho
.
Vê-los brincar, mas com eles retribuir
É reviver os tempos da minha geração
Que bom que é, vê- los felizes, a sorrir
É um bálsamo que alimenta o coração
.
Quanto vale a ternura das brincadeiras
Nos momentos que participo com fervor
É fazer o seu crescimento sem barreiras
.
É brincar sem ter em conta minha idade
Amar sem medida e alimentar com amor
A presença das crianças, com serenidade
*****
Cidália Ferreira

17 de abril de 2022

Extensivo a todos, uma Páscoa Feliz.

"Nesta altura em que a paz no mundo é muito escassa, resta-me apenas, deixar uma ressalva para o povo Ucraniano, - aos sobreviventes e aos que lutam - muita força e coragem, sobretudo, esperança para poderem RECOMEÇAR uma nova vida em qualquer País."

Para os meus leitores, visitantes, seus familiares e amigos, que tenham um fim de semana de Páscoa, repleta de paz, e alegria nos vossos corações. 

Nunca nos esqueçamos, dos que perderam tudo, e passam ESTA ÉPOCA a dormir junto aos destroços... 🙏


Podemos viver sem grandes consumismos.
*
Cidália Ferreira

15 de abril de 2022

Em cada pétala pode ter um verso

*****
 
São como gotas de sentimentos
Escorrendo das pétalas
Como se fossem no meu rosto
Saídas dos olhos, em tormentos
.
São as flores a alegria da alma
Que me perfumam o olhar
Alegram meu rosto triste
Quando admiradas, são a calma
.
Não importa qual seja a flor
Mal-me-quer, ou margaridas
Apenas não são comparáveis 
Simplesmente, olho-as com amor
.
Gotículas que o meu olhar aprecia
Já mergulhado na inspiração
Em cada pétala pode ter um verso
Que o meu coração acaricia.
*****
Cidália Ferreira 

14 de abril de 2022

No silêncio do tempo...

*****

Nas linhas da vida por onde me cruzo
Faça sol, ou chuva, ou até tempestade
Existem sentimentos de pura realidade
Que me baralha na mente, o que recuso
*
Sigo as linhas que a vida me reservou
Olho o céu, e o sol de mim se escondeu
Não sei, se estou em mim... Não fui eu
Quem impediu o sol. Em mim não ficou
*
E no silêncio, do tempo que me acolhe
Dou por mim, a vaguear, na desilusão
Onde abro em absoluto o meu coração
São coisas, que a vontade não escolhe
****
Cidália Ferreira

11 de abril de 2022

Preciso de sair desta solidão que dói

*****

Preciso da coragem, que me proteja
E de uma mão amiga que me segure
Palavras de estímulo, e não censure
Preciso da coragem, que já fraqueja
*
Preciso de sair desta solidão que dói
De agarrar, uma mão amiga, sincera
Tirar a mágoa que tanto me dilacera
Deixar ir, esta nuvem que me corrói
*
E se as mãos são a voz amiga e leal
O coração, é a união do sentimento
Que as palavras calam, por respeito
*
E se a coragem faltar pode ser fatal
Pode a solidão, ser o efeito tormento
Se desapegar do sentimento suspeito
*****
Cidália Ferreira

8 de abril de 2022

Sou a música que a noite cala

*****

Há dias, em que as noites são negras
As estrelas se escondem
E o luar tenta impor-se,
Mas nas entrelinhas do silêncio
Ainda que as estrelas soltem
Do meu pensamento, as agruras
Deixam-me um arrepio na alma
E uma persistência que não abdico
*
Há dias em que sou a noite sem alegria
Sou a música que a noite cala
E a tristeza que vagueia na incerteza
Sou tanta coisa, ou nada sou,
E quando de triste perco a fala
Olhando o luar em jeito de poesia
Permitindo a cada momento de calma
E que meu pensamento seja mais lúcido.
*****
Cidália Ferreira 

6 de abril de 2022

Em passos largos e pensamentos ousados (desafio)

*****
Em passos largos e pensamentos ousados
Assim se vagueia, pela natureza silenciosa
A brisa contagiante em espaços encantados
Assim se seguem trilhos pela ria melodiosa
*
Longos são os passadiços onde te envolves
De coração aberto suspirando de apetência
Na mente, todas as inquietudes tu resolves
Dando ousadia ao pensamento, resistência
*
Segues num tempo, com limite para chegada
Dando azo ao corpo e à mente, que agradece
Toda a beleza, vinda do horizonte, pelo mar
*
Vagueiam os pensamentos que te conduzem
Que entram no teu coração, e te engrandece
Todos os passos que palavras não traduzem
*****
Cidália Ferreira 

4 de abril de 2022

Não há silêncio que me incomode

*****

É outra vez primavera, vêem meu olhos
Como sente a minha alma, o perfume
É a intensidade que me namora
Sem que o céu sinta o ciúme,
Correm as nuvens a qualquer hora
Sobre a extensão da alfazema
Por onde sigo com alguns conselhos
*
Não há silêncio que me incomode               
Nem pássaros ruidosos sem ninhos,
Não há imperfeição à minha volta
Existem sim os caminhos
Por onde me sinto mais solta,
Exalo o perfume, e envaidecida
Sindo este cenário de primavera, uma ode!
*****
Cidália Ferreira.

2 de abril de 2022

Hoje há um Poeta de Parabéns...



Autor: Ryc@rdo

Já muitas pessoas entraram na minha vida
Homens, mulheres, que sempre deixaram
Uma palavra num momento de voz sentida
Que ao sentimento, uma lágrima causaram
.
Uma voz de força, uma emoção exemplar
Uma palavra amiga que nada reclamando
No meu coração, marcaram, infinito lugar
Num momento difícil que estava passando
.
Quando na amizade existe doçura e pureza
E a palavra é a delegação mais verdadeira
No meu coração mora a energia e a certeza
Que na palavra de ânimo, foste a primeira
.
Em momentos difíceis, de certa amargura
Fica por vezes um desamparo complicado
Em que uma palavra amiga é a terna cura
Por isso, amiga de coração...OBRIGADO.

Feliz aniversário
-----------
Este Poema foi escrito e dedicado, à minha pessoa, pelo Amigo Ricardo, no dia 9 de Fev. de 2022. Pelo que, hoje, achei que o devia destacar fazendo das suas palavras as minhas. OBRIGADA. UMA AMIZADE RECIPROCA. 🥂😘

Desejo de coração, que este dia, seja passado com as pessoas que mais amas. Com muita saúde, e paz. Beijinhos.

Embriaguei meu coração ...

 *****
Embarquei numa quimera sem rumo
Numa vaga, de emoções tão surreais
Momentos, em que os sonhos iguais
Me fazem, ser, o que eu não costumo
*
Embriaguei meu coração do teu odor
Deambulei por trilhos desconhecidos
E acordando dos sonhos embebecidos
Rebolei entre os lençóis lisos, sem cor
*
No silêncio do meu amanhecer, liberto
A minha ansiedade em copo imaginário
Bebo um golo de nada, assim desperto
*
Neste rumo onde me sinto tão ausente
Mesmo, ouvindo o eco dos murmúrios
E a falta que minha alma tem presente
*****
Cidália Ferreira

30 de março de 2022

A inocência, em voz sentida

*****
Valiosa, a liberdade de cada criança
Que são o seguimento da vida
O futuro de toda a esperança
E a inocência, em voz sentida
*
Quanto vale o silêncio das vozes
Caladas, pela humanidade
Que deixam, as vidas, atrozes
E a fragrância em pura maldade
*
Quanto vale uma criança feliz
Quando nada tem, mas sorridente
É inocência pura, assim se diz
Porque o olhar de criança não mente
*
Assim se pede ao mundo, clemência
Para que cessem todos os conflitos
Que a vida seja de benevolência
E que cada criança viva sem atritos
*
Que cada criança brinque de verdade
E o mundo se una em compaixão
Que seja devolvida toda a liberdade
Que lhes roubaram, sem terem coração

*****
Cidália Ferreira

28 de março de 2022

Entre as brechas do tempo...

 *****
Entre as brechas do tempo está a saudade
Entre os canteiros, uma primavera florida
Que enfeitam portas, e mendigam guarida
E ao mesmo tempo mostram-se à liberdade
*
Apesar do seu interior já não ser habitado
Ainda existem as fragrâncias pelos cantos
E as flores nos beirais, são puros encantos
Deixando olhar de quem passa enamorado
*
Quantas histórias guardadas nos silêncios
Das paredes, ainda compostas de segredos
Ficam por desvendar entre portas fechadas
*
E entre as brechas do tempo, os resquícios
Onde tudo se passou, e também os enredos
Fazem parte d'uma beleza já abandonada.
*****
Cidália Ferreira

26 de março de 2022

Nas dobras do dia...

*****
Vivem sentimentos na melancolia
Na sombra do tempo fugaz
Que se dispersam entre o silêncio
E os momentos de solidão,
Sinto – me nas dobras do dia
Onde mais nada me satisfaz
E deixo – me ficar na escuridão
Num tempo que me deixa a cismar
*
Sopra uma brisa na minha mente
Afastam – se pensamentos nefastos
Mas no meu rosto cinzento
Aprecem nuances de incerteza
E quando o olhar é a semente
Em qualquer lugar deixa rastos
Duma melancolia com estranheza
Sentimentos, que não quero mostrar...

****
Cidália Ferreira 

23 de março de 2022

A Natureza com glamour...

******

Novas sementes germinam no solo
Novo alvorecer, uma nova estação
Onde novas quimeras se planeiam
Olham-se, com uma certa emoção
Tudo se torna magico não me isolo
*
Na frescura do solo tudo é beleza
Onde se fazem terapias da mente
A inspiração é um balsamo preciso
Como esperança que é tão presente
E tudo se transforma na natureza
*
A cada amanhecer uma nova vida
Que nos solos aparecem com fervor
Agradecer, é ser leal aos princípios
Apreciar da natureza o seu glamour
E deixar, que a vida, seja divertida
******
Cidália Ferreira

21 de março de 2022

Queria ser a primavera em flor...

*****
Queria ser como a primavera, em flor
Com os sonhos delicados, sorridentes
Queria ser o desabrochar com clamor
Onde os sonho florissem condizentes
*
Queria ser o jardim no deserto florido
Onde o sol brilhasse e sem limitações
Me aconchegasse o coração, dolorido
Que esconde, a vida, de certas ilusões
*
Desabrocham flores silvestres, à vida
Criam-se novas ilusões, a cada época
Vivem-se novos desafios sem dúvida
*
Queria ser a força da árvore enfeitada
Espalhar fragrâncias pelo céu nublado
Sentir-me deusa dos jardins, alucinada
*****
Cidália Ferreira 

19 de março de 2022

Despida de incerteza...

*****
Olho a árvore ainda despida
Muito longe de desabrochar
Parece sofrer de dor sentida
Pela neblina compacta no ar
*
Cada ramo segue um destino
E entrando em nova estação
No silêncio, o mero desatino
Sinto o meu olhar de solidão
*
Podia ficar horas observando
Que sentia na mesma, tristeza
Ver nova primavera chegando
E na árvore despida, incerteza
*****

Cidália Ferreira 

17 de março de 2022

Caminhos extensos e cruéis...

******
 Os caminhos são extensos e cruéis
Para o coração de qualquer criança
Inocência, acreditam na esperança
Não percebem a maldade do infiéis
*
Desprezadas, deixadas à sua sorte
Crucificadas... sem dó nem piedade
Deixa-las sem pais, é pura maldade
Com os sonhos condenados à morte
*
Não existe dor maior, que a solidão
Nem palavras para cada sofrimento
Quando não se pensa com exatidão
*
São tantos caminhos sem rumo certo
São a cama e a casa sem mantimento
Numa batalha com um futuro incerto
*****
Cidália Ferreira

15 de março de 2022

As gotículas parecem pedras preciosas


 ******

O que veem os meus olhos curiosos
Num espaço verde do deserto
Onde a chuva é a rainha do momento
Tudo está bem, tudo está certo
Quando cai por terrenos desejosos
*
Certas gotículas formam especulação
Beleza, que aos olhos envaidece
A energia que tanta falta faz
Gera emoção, e como se agradece
Pela beleza que alegra o coração
*
O que os meus olhos sentem atualmente
Certamente que o ontem não existia
O valor da chuva seria o mal menor
Hoje, a água é vida, é ouro, é energia
Que alegra o meu olhar constantemente
*
As gotículas parecem pedras preciosas
A forma mais pura de se observar
São meros efeitos, são a exuberância
Que no seu mais belo desabrochar
Tornam a natureza muito mais melodiosa.
******
Cidália Ferreira

13 de março de 2022

É tão cinzenta a paisagem...

*****

Cai a chuva por campos sequiosos
Terras, que já sentiam necessidade
Por ser tardia se sentia na verdade
Que os tempos, fossem, tenebrosos
*
Escorre na vidraça através da visão
As mãos tentam reproduzir o décor
É tão cinzenta a paisagem... é amor
Que se sente da chuva com precisão
*
Lá fora o vento sopra, e em sintonia
Ouvem-se as goteiras cair sem parar
As valetas levam as água sem filtrar
As terras intensificam-se de energia
*
Os sentimentos sentem-se num misto
A chuva é melancólica, lava as almas
Deixando as ansiedades mais calmas
Apesar do inverno ser um imprevisto.
*****
Cidália Ferreira

10 de março de 2022

Não deixarei de usar minha voz ...

 *******

Não deixarei de usar minha voz
Nem adormecer este sentimento
Não deixarei o pensamento atroz
Bloquear este meu discernimento
*
Neste silêncio que me faz refletir
Dou abertura ao meu fiel coração
Consigo perceber um outro sentir
E assim, não mascarar a emoção
*
Não deixarei de sorrir com amor
Nem abandonarei, porque é meu
Este sentir, muitas vezes sem cor
*
Jamais julgarei toda a esperança
E acreditarei, sempre, no meu eu
Porque a vida segue com herança
*****
Cidália Ferreira

8 de março de 2022

💙Para TI, Mulher que lutas...💛

~~~~~~ 

Dia internacional da Mulher. Hoje, as minhas simples palavras vão para todas as Mulheres que neste momento, de alma e coração desfeito, fogem do seu País, deixando para trás uma vida vivida, todos os seus bens e pertences, e, essencialmente, os seus Maridos e filhos, a defender a sua Pátria. Para essas Mulheres, que nunca lhe falte a esperança e coragem para continuar a lutar, mesmo que essa luta seja noutro País. Para todas, desejo que encontrem o caminho da Paz e que consigam dar às suas crianças o necessário.💙💛

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER... PARA TODAS NÓS, MULHERES.🌹

Cidália Ferreira

7 de março de 2022

Imagens mil, soltam-se em vozes de socorro

 ******

Uma imagem que vale por palavras mil
Que faz humedecer qualquer olhar
Que machuca e corta qualquer coração
.
Inocentes, que apenas se limitam a fugir
Perante macabra frieza de um povo
Que nem as crianças os fazem conter
.
Correm sem destino, refugiam-se da guerra
Entre paredes escuras sem qualquer condição
Esperando que tudo passe e possam voltar
.
Jamais irão esquecer a aflição de se libertarem
Do que deixaram para trás em difícil decisão
E, se calhar, jamais reconhecerão o seu País
.
Veem-se olhares vazios em rostos desfeitos
Amontoadas vidas sem futuro nem rumo
Fugindo das bombas dos assassinos à solta
.
Imagens mil, soltam-se em vozes de socorro
Mães albergando no colo os seus filhos
Ficando, Pais e maridos, lutando pelo seu País
.
Como podem parar os assassino, ninguém entende
Que sem dó nem piedade destroem vidas, o mundo
Como se pode ter um iceberg no lugar do coração?

******
Cidália Ferreira

4 de março de 2022

momentos de gratidão com o mar

****

Quem me dera pisar a areia molhada
Olhar o horizonte, e sentir que a paz
Poderá chegar na onda mais agitada
E dela poder respirar como for capaz
*
Que me dera ir para além da maresia
Vaguear pelos pensamentos positivos
Esperar, que o ambiente seja cortesia
E que a serenidade acalme os sentidos
*
Desenhar na areia molhada... emoção
Encher o peito e agradecer de coração
Quem dera, que tudo sorvesse a calma
*
Mesmo, entre a mudez e o murmurar
Os momentos de  gratidão com o mar
Seriam, a união perfeita, para a alma
*****
Cidália Ferreira

2 de março de 2022

A janela que me acolhe...

  ****//****

Da janela que me acolhe vejo que o mundo lá fora
Nasce de novo e tudo parece mudado, é impressão
É a manhã a nascer, e a brisa que por dentro chora
Encobre o tempo nefasto por falta de compreensão
*
Ao observar as cores alaranjadas do céu, que chega
Existe um turbilhão à volta dos meus pensamentos
Apenas quero absorver a energia que me aconchega
Abstrair-me doutras aragens que viraram tormentos
*
Será realidade ou ficção o que me mostra esta janela
Ou será, o desejo, de observar o encanto da natureza
Fazer da brisa alimento sem pranto, mas com cautela
Porque a venustidade, pode ser, o trilho da incerteza.
****//****
Cidália Ferreira

28 de fevereiro de 2022

Mas, o que importa o carnaval lá fora?

******

Não tem importância que brinquem
Nem que se vistam de matrafonas
Só não gastem o que têm hoje
Porque o amanhã pode ser difícil
E depois de ficarem nas lonas
Vão pensar no que desperdiçaram
Talvez, só depois de refletirem
Se lembrem que o mundo não está fácil
*
Não tem importância se não forem sair
Na vida tudo tem uma razão de ser
A pandemia foi silenciada
Por uma guerra sem fim à vista,
Mas, por nós próprios, vamos obedecer
Seguindo as regras sem protestar
Teme-se que o pior esteja para vir,
A ponderação pode ser uma conquista
*
Mas, o que importa o carnaval lá fora
Se existe gente com fome de viver
Nas suas casas já ninguém lá mora
Fugiram... para que possam sobreviver!
*****
Cidália Ferreira

26 de fevereiro de 2022

"Existem gritos que matam..."

****** 

A terra grita por água... com sede
O calor afeta o inverno
O sol ganha força
Numa natureza que sofre,
Sofrem todos os que nela vivem
Sem distinguir as raças
A seca afeta a liberdade
A terra solta um grito em silêncio
*
Existem outros gritos que matam
O desentendimento humano
A falta de dignidade
E do amor por todos os seres,
O mundo grita de revolta
Outros sem alma nem pudor
Que fazem com que o mundo padeça
Levando a humanidade ao sofrimento
*
O Mundo precisa de compreensão
De respeito pelo próximo, concórdia
O mundo precisa de compaixão
E dizer NÃO, a toda a sua discórdia!
*****
Cidália Ferreira 

24 de fevereiro de 2022

A Subtileza das águas...

*****
Quando dou por mim, de olhar embebecido
Pela beleza natural que não tem explicação
Por muitos anos que viva não existe noção
Do quão pertinente é, tudo num dó sentido
*
Olhar atento em ponto de súbita coragem
Águas que se movimentam como segredos
Onde cada um sente a beleza, sem enredos
De momentos marcados em cada passagem
*
Caem subtilmente sobre o lago enfeitiçado
As águas em finas cortinas, mero esplendor
Onde se observam simples melodias d'amor
*
Até o silêncio parece embalar meu coração
Quando o som da cascata me tenta acalmar
Sinto-me de coração cheio, e brilho no olhar
******
Cidália Ferreira

22 de fevereiro de 2022

Balancei-me, esquecendo certas agruras

******
O olhar que me prendeu durante horas por ali
Foi o mesmo, com que me deslumbrei
No dia, em que, naquele baloiço me sentei
Festejando por momentos outras coisas, aqui
*
As águas serenadas dão o encanto preciso
O pôr do sol, é como a cereja no topo do bolo
Que, parar e reparar no encanto, é um símbolo
É a prova, de que nada na natureza é indeciso
*
Um balouço onde por momentos deixei vestígio
Balancei-me, esquecendo certas agruras
De tanto balançar apareceram outras loucuras
Do bom e do mau, um simplesmente contágio
*
Parece tão longe, mas tão perto do sentimento
Estão as águas que embelezam qualquer olhar
Que mesmo paradas, correm sempre para o mar
E quem por aqui passeia deixa o reconhecimento
******
Cidália Ferreira.

20 de fevereiro de 2022

Deixo flores, com saudades...

******

Este ramo de flores é para ti, de forma virtual
No meu coração estarás para sempre presente
Seria dia de festa se não tivesses, eternamente
Partido, para um mundo diferente do dito real
.
Faríamos a festa, como se connosco estivesses
Seria mais um ano conquistando as tuas lutas
Com um colo gigante acolhias como permutas
Os teus, os outros, sem canseira nem interesses
.
Como mais nada te posso oferecer, deixo flores
Deixo saudades, lembranças, bons pensamentos
Sorrisos, do que foi bom, e mantendo os valores
.
Visitar-te-ei como prometi no dia da tua partida
Tudo o que me fortaleceu foram os ensinamentos
Passaram, vinte e oito anos, duma dor repartida
*****
Cidália Ferreira

"A Vida é feita de momentos e emoções. Celebramos o aniversário de quem já partiu há 28 anos. Em 20- 02, contaríamos 82 anos"

Celebramos também, o 1º aniversário da minha neta mais nova. Luísa. 🎂 ...É a vida, na sua continuidade...

18 de fevereiro de 2022

No meu pensamento faz frio ...

*****

Abro a cortina, desperto para a vida
Existe um mundo lá fora
Chove, faz sol, estará nevoeiro
No meu pensamento faz frio
Faltam-me as palavras de aguerrida
.
Neste despertar de tão pouco alento
Recordo, o quão difícil é sair
Deste casulo onde me isolei
Talvez, por falta de encanto
Sinto a minha lucidez em suspenso
.
Abro cortina, olho a beleza d'além
Imaginando a brisa em murmúrio
Quero sair, apanhar coragem
De enfrentar o tempo, que urge
Sinto que o meu encanto ficou aquém!
****
Cidália Ferreira

16 de fevereiro de 2022

Natureza em asas de seda ...

 *****
Gostaria de ser a beleza que esvoaça
Que pousa, nos ramos mais inseguros
Que vai olhando lentamente, e enlaça
Mesmo que esses ramos sejam muros
.
Gostaria de ser o balsamo da natureza
A proteção das aves que desprotegidas
Andam, sem rumo, no meio da tristeza
Esperando o florir das árvores despidas
.
Gostaria de ver o mundo à minha volta
Com a mesma leveza, das asas de seda
Porque gosto da liberdade que envolva 
.
Seria um mote para qualquer felicidade
Se do esvoaçar alguma coisa se perceba 
Que o belo, está dentro da naturalidade
*****
Cidália Ferreira

14 de fevereiro de 2022

São ocas as palavras que se soltam...

******

Jamais lamento o mau amanhecer
Quando o coração já não descansa
Está emudecido, deseja espairecer
Por brisas que exalem a esperança
.
O que adianta sentir tristeza alheia
Se o silêncio é o barulho mais triste
Quem precisa d'amor, e não semeia
Fica com sensação de que desististe
.
São ocas as palavras que se soltam
Sendo floreadas, entram no coração
Mas, sendo contrariadas, não ficam
E deixam o lamento cair na solidão
******
Cidália Ferreira

12 de fevereiro de 2022

Sonhos moribundos ...

 *****

Numa noite de luar, mal dormida
Sonhos, por concretizar
Alguns deles pesadelos
Sobre as nuvens que passam
Há um aperto, sufocando
Este estilo de viver a vida
*
Oh lua que estás tão alta
Segues a nuvens tão escuras
Leva contigo os meus sonhos
Que me atormentam a alma
Traz-me alívio ao meu mundo
E as coisas que me fazem falta
*
As árvores despidas na escuridão
Onde o luar já não entra
Os galhos secam, de tristeza
Parecem sonhos moribundos
E, atrás de uma árvore esmorecida
Outras estarão, em severa solidão!

*****

Cidália Ferreira

10 de fevereiro de 2022

A força da mente não me deixará ter frio

*****

Vagueando, enquanto o areal esvaziava
As gaivotas pousavam na areia molhada
A maré, que no seu heroísmo, se recuava
O calor atenuava numa brisa embrulhada
*
Olhando as ondas que moldavam a areia
Pensava como é tão distante o horizonte
Quem me dera, tocá-lo, e quiçá ser sereia
Numa alucinação que nunca se desaponte
*
Neste vaguear sinto que o sol me aquece
Mesmo que a brisa me provoque arrepio
A força da mente não me deixará ter frio
*
Rodeada, de emoções e pensamentos sãos
Mesmo que as ondas não recuem, assinto
Beleza na sintonia das ondas em labirinto
*****
Cidália Ferreira

Imagem da net