domingo, 28 de fevereiro de 2021

"A vida é uma passagem... "


 ****

A vida é, um turbilhão de emoções
Uma miragem sem fim
Que nos guia sobre pontes
Nos eleva, ao mais alto das ilusões,
Mostrando sobre as águas movediças
A maresia encantada
Sobre o eco das ondas serenas
Ondas, que jamais serão mortiças
*
A ponte, a trilha para outra margem
Sem pensamentos nefastos
Nem tempestades previstas
A vida é apenas uma passagem
Pretendemos dela o seu melhor
Com a poderosa crença
Sem permitir correr riscos
Nesta miragem que prevalece em redor
*
Num caminho sem retorno, sossegado
Um horizonte admirado pelos ventos
Não há olhar que não fique enamorado
Pela longitude que oferece tanto alento.
****
Cidália Ferreira 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

O Ryk@rdo está de luto.

Como amiga, de coração, que sou do Ricardo, Amigo comum da maioria de todos vós; Informo que, o nosso Amigo está de luto, pela perda da sua Querida Mãe. Está de rastos, que Deus lhe dê todo o conforto e muita força, para ultrapassar esta dor. Que sei, não ter fim! 


À Tua Mãe, Que Deus Lhe dê O Eterno Descanso. 

Desejo-te, muita força, nesta hora tão difícil. Abraço de conforto. 

Cidália Ferreira 

"Uma janela para a vida"

****
Admirável, a janela virada para o mundo
Que nos mostra a vida e transmite calma
Que nos dá tanto, que nos invade a alma
Que nos alimenta o sentimento profundo
*
Moldura, parece esculpida pela natureza
Nos leva o olhar ao mais longo horizonte
E vagueando pelas águas duras, defronte
Um arvoredo com a vitalidade e fortaleza
*
Uma janela adornada. Pedras... memórias
Que nos acalentam a alma, ao vislumbrar
E por saber aqui se viveram boas estórias
*
Abençoada, a lente, que aqui deixou viva
Uma vontade de abraçar este imenso mar
Através desta admirável janela para a vida
****
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Abro a janela e deixo a brisa entrar

****

Abro a janela e deixo a brisa entrar
Olho o horizonte dos pensamentos
O sol brilha e toca nos sentimentos
Nos meus, que se deixam enamorar
*
Absorvo, da brisa do sol, a vitamina
Recordo momentos afáveis, contigo
Palavras marcantes ficaram comigo
Momentos...nunca ninguém imagina
*
Abro a janela, sorrio, sinto o coração
Neste silêncio abençoado, merecido
Sinto-te a falta... não foste esquecido
Apenas permaneces na minha ilusão
*
E se o meu corpo te desejar, procura
Através da janela do meu imaginário
Não fosse o silencio o confessionário
Onde transparece esta minha loucura
****
Cidália Ferreira

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Existem sonhos por realizar ...

 ****

Sonho, em controlar a lua, as estrelas
Em fazer parar o tempo que me resta
Ir ao encontro doutras vidas paralelas
Sentir, como este sonho se manifesta
*
Sussurrar às estrelas que me iluminam
Que a gratidão me segue, vive comigo
Mesmo que no silêncio, elas me sigam
Continuo este sonho, que tanto instigo
*
E nos pensamentos mais inesperados
Existem sonhos por realizar. Saudade
Do que não vivi, mas o tempo passou
*
Sonho revelar às estrelas os passados
Caminhos construídos de simplicidade
Em noite estrelada, a lua se apaixonou
****
Cidália Ferreira

sábado, 20 de fevereiro de 2021

Dedico meu brinde, ao verbo amar.


 ****
Um brinde à vida, por vezes dura
À resistência, que é tão precisa
Em cada dia, um amanhecer
Outro acordar, um novo viver
Uma adaptação que perdura
Numa vontade de viver, concisa
*
Uma vida vivida, rebento que reluz
A glória num sorriso de emoção
O misto, que define a minha alma
Quando tudo se transforma em calma
Da alma nova me nasce uma luz
E o brinde toca o meu coração
*
As flores que nascem no jardim
São o balsamo do meu olhar
São o sol, a noite, e o dia
São pedacinhos da minha energia
E numa entrega sem fim
Dedico meu brinde, ao verbo amar.
****
Cidália Ferreira

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Pára tudo... Nasceu a Princesa...

Pára tudo...Hoje, 18/02/2021, Nasceu mais um tesouro, para enriquecer o meu/nosso coração. [Em tempo de pandemia, para ter que contar, um dia. ] Mas, todos os caminhos se fecham, os sentimentos são um misto, agridoce... A angustia de não poder estar lá, de não poder pegar, de não poder ajudar, quando sei, que é um momento, em que sou precisa e útil. Sim, fui Avó de mais uma menina, Maria Luísa. 

Nasceu numa hora pequenina e com saúde, é o mais importante. Como é importante ter a noção do risco das visitas, por isso, vamos ter calma, porque o mal não dura sempre e a pressa pode ser arriscada! 

Como devem imaginar estou muito feliz e babada. Muito orgulhosa dos meus 4 netos(as). Tinha que partilhar com vocês, que me acompanham sempre..."São coisas, de uma vida"  Bem vinda à Família, Maria Luísa . lool  💖🙏

Da Avó babada: Cidália Ferreira


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Cansada de olhar o horizonte

****
Numa janela, do tempo que passa
Olhar atento numa chuva que cai
Meu pensamento olha, a desgraça
E o coração simplesmente se esvai
*
Olho o infinito não vislumbro nada
Não vejo o fim da desgraça severa
Sinto que o clima já não me agrada
A razão que desejo a nova quimera
*
Estou cansada de olhar o horizonte
De não ver gente, apenas rua vazia
Ou o jardim, que desponta defronte
*
E na sensação em que me encontro
De coração tristonho mas em revelia
É o momento em que me desaponto
****
Cidália Ferreira

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Vagueiam sonhos da minha ilusão

****
Que saudades já sentia deste sol
Do céu límpido e da brisa amena
E dos silêncios para me alimentar
*
Das caminhadas que já não fazia
Do caminho verde, pelos campos
E do canto das aves, para acalmar
*
Saudades deste sol, e poder sorrir
Pensar que tudo seria tão diferente
Se esta ousadia me pudesse guiar
*
Rosto sorridente e no pensamento
Vagueiam sonhos da minha ilusão
Onde apenas o meu coração sabe
*
Sei quem eu gostaria de encontrar
Num dia primaveril como o d' hoje
Onde liberto as partículas de mim
*
Seria injusto eu não ser verdadeira
Nos sentimentos que te demonstro
Hoje, apenas, o silencio me escuta.
****
___ Cidália Ferreira ___

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

São as nossas raízes, a linha da minha paixão

****
O amor existe, muito para além da eternidade
Existe no ar que se respira, no que se imagina
Existe, no poder de ajuda, e na conformidade
Mesmo numa distância que tudo se determina
*
O amor é a magia de um coração apaixonado
A alegria constante e o carinho sem distância
O pensamento que muitas vezes desorientado
Se deixa levar pela ventosidade da relevância
*
Numa distância sem fim onde se sente o calor
Onde as palavras ditas, com o mesmo carinho
São transformadas em partícula do meu amor
*
São as nossas raízes, a linha da minha paixão
A transparência que segue o extenso caminho
Um amor que existe, dentro da minha reflexão

****

💖______ Cidália Ferreira ______💖

sábado, 13 de fevereiro de 2021

Quero deambular, livre do meu medo

 ****

Quero sentir em toda a cor da leveza
O verde, do chão tão puro
Mesmo neste tempo duro
Que a todos obriga à reflexão
Quando se deixa escapar a natureza
*
Quando na vida se diz confinamento
Há uma luz que me guia
Outra, que é pura magia
Me leva a acreditar na esperança
E tudo recomeça, a qualquer momento
*
Quero deambular, livre do meu medo
E sentir em mim, a criança
Que se iludia de esperança
Nas mãos que seguram, soprava
As flores, que para mim são o enredo
*
E se num sopro sentir que esvoaçam
Como sentimento verdadeiro
Sendo que, o amor primeiro
É aquele que o meu coração escolhe
Nos enredos que suavemente entrelaçaram.

****
_____ Cidália Ferreira _____

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

Olho para trás, continua a saudade ...

*****
Olho para trás, no tempo que passou
Recordo dias que vivi... pura solidão
A opção e o medo, o destino marcou
E tudo ficou nas gavetas do coração
*
Olho para trás sinto-te no lugar certo
Como as ondas que ondulam no mar
Seguem a brisa perfumada, tão perto
Que sinto no tempo a forma de amar
*
O tempo passou, continua a saudade
Uma saudade de viver naturalmente
Mas nunca esquecendo em passado
E do carinho, que vivi, intensamente
*
São as lembranças que a vida oferece
Quando o imprevisto me bate à porta
Com tuas palavras mágicas, acontece
Que, a opinião alheia, já não importa
****
______ Cidália Ferreira ______

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Alma desassossegada...

*****
De sentimentos guardados na alma
Assim passam os dias cinzentos
Carregados, de ilusões
Sorrisos, tristezas, tormentos
Ou desassossego da minha calma
*
Chove, tudo fica tão melancólico
Não existe alegria no coração
A que existia esgotou
Mas sobra de tudo, a emoção
De um dia, misto, simbólico
*
A chuva cai, insistentemente
Sinto que o sol se afastou
Sinto falta dos abraços
Algo que para trás já ficou
Tal como de afetos, estou carente
*
Faço da minha alma, o meu cofre
O meu deposito dos segredos
Onde o mal, e o bom permanece
São estados, ou simples enredos
De que a minha alma tanto sofre...
****
_________ Cidália Ferreira _________

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Parece um parto feito em plena natureza

 ****
Quantos anos, terão passado por aqui
Quantas folhas nasceram, e já caíram
Quantos ramos os olhares apreciaram
Quantos corações se perderam por ali
*
Passa um ano, mais outro, e chegando
Deixando para trás as velhas ramagens
Dando lugar a novas vidas, e miragens
A primavera, que olhares vai alegrando
*
Parece um parto feito em plena natureza
Quando pequenos rebentos em liberdade
Assaltam o tempo sem qualquer destreza
*
Parece, a subsequência da genealógica
Bálsamo interino, anelo, cumplicidade
Que se sente, nesta paisagem biológica
****
Cidália Ferreira

domingo, 7 de fevereiro de 2021

Envolvo-me no silencio das flores


 ****
Encostada, num jardim imaginário
Sinto a presença do medo
O medo da solidão
Da escassez da fragrância
Das flores que rodeiam o cenário
*
Sinto uma brisa desgovernada
E num redopio sem noção
Tento levantar o meu olhar
Contar as flores matizadas
Para não me sentir amargurada
*
Viajo pelo passado mais recente
Rola uma lágrima de saudade
A liberdade não mais a mesma
Mas, recordar, amacia
A amargura de me vai na mente
*
Envolvo-me no silencio das flores
Falo baixinho com elas
Já ninguém escuta os anseios
De que padece minha alma
Com receio, em sentir dissabores!
****
Cidália Ferreira

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Já anseio por uma nova Primavera

 ****
Já anseio por uma  nova Primavera
Por dias agradáveis e novos ventos
Flores a brotar. Folhear sentimentos
Já anseio, mudar, desta vida severa
*
Quero acordar e dizer bom dia vida
Quero ver, o sol passar a montanha
Olhar, enquanto a brisa se entranha
Num passado de uma já vida vivida
*
Desejo escutar no silêncio do tempo
Aves nascendo e querendo esvoaçar
E outras chegando para me abençoar
*
Sozinha, e num paraíso, do momento
Faço do tempo, minha forma de amar
São os anseios que me fazem meditar
****

______ Cidália Ferreira ______

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

Que a tempestade passe, o sol volte a brilhar

 ****
Não quero mais este tempo enfadonho
Quero acordar na ilusão
De sentir o ambiente saudável
Quero acreditar que o tempo tristonho
Acabará em breve para minha consolação
*
Que a tempestade passe, o sol volte a brilhar
Que o mar seja visitado e contemplado
Que da minha alma seja libertada
O grito desesperado, defronte ao mar
Não quero mais sentir o coração magoado
*
Quero que o sol brilhe para todo o universo
Que leve para longe maus pressentimentos
Que me deixe viver sem sobressalto
Nem que seja nas brumas dum deserto
Onde possa ficar imune aos ressentimentos! 

****

_________Cidália Ferreira_________

terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Tenho ciúmes, confesso ao céu estrelado

 ****
Procurei na noite estrelada, o silêncio
O paraíso encantado para me proteger
Em fim sozinha, e falar do meu ciúme
.
Olho o céu estrelado na calma da noite
Penso naquelas palavras escritas, que li
Não me conformo ser trocada por outra
.
Pensar, que eu seria, a única na tua vida
Depois dos sonhos que vivi, a desilusão
Prefiro ficar pelos recantos, sem destino
.
Prefiro viver na incerteza dos momentos
Do que partilhar, com outra lua atrevida
O que pensava ser meu, de repente fugiu
.
Procurei no silêncio, o destino sem hora
Encontrei a quem contar meus segredos
Pois sei que não os patilha com ninguém
.
Tenho ciúmes, confesso ao céu estrelado
Sempre dediquei o meu amor verdadeiro
Mas agora, sozinha, vagueio em silêncio

***
Cidália Ferreira