quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Morre lentamente ...


 ****
Morre lentamente o outono envergonhado
Morre lentamente o lixo das sarjetas
Morre lentamente, a alegria que ainda existe
Morre lentamente este sonho enamorado
*
Observo a janela que suporta o temporal
Observo as árvores que sacodem os ramos
Observo, como é dura a realidade
Observo, como a solidão é surreal
*
Uma bebida quente para acalentar a alma
Um livro em branco já desgasto pelo tempo
Uma cadeira rodando alcançando o horizonte
Escorre a chuva pela vidraça, que se desalma
*
Imagino, quão furioso, está o tempo lá fora
Imagino as sarjetas carregadas, inundadas
Imagino, a aflição de cada um, que o sente
Morre lentamente, o outono, chegando a hora
****
Cidália Ferreira 

50 comentários:

  1. Um poema tão triste como o tempo que atravessamos.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  2. Que triste, mas é bonito. E esse tempo assim, ou como agora tem andado, chama-me mesmo a que se fique em casa, com o cházinho =)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Bom dia e boa semana!
    Um belo poema melancólico que descreve as almas e o a tempo!
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Querida Cidália! Há momentos assim em que vamos morrendo pouco a pouco, levados pelos temporais da vida.
    Beijinhos e que o Sol volte a sorrir...

    ResponderEliminar
  5. Linda poesia! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  6. Um poema adequado a esta tempestade que atravessou o país.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  7. Por muito que nos custe estes dias cinzentos e de chuva, ela faz falta!!
    Um beijinho!

    Beijos e abraços.
    Sandra C.
    Bluestrass

    ResponderEliminar
  8. El otoño tiene esto días que son melancólicos pero tienes tu chuspa ...y la lluvia es muy necesaria . Un besote.

    ResponderEliminar
  9. A melancolia de uma bela e poética estação do ano!!! Bj

    ResponderEliminar
  10. Morre lentamente, o outono, chegando o inverno alemão frio e branco.

    ResponderEliminar
  11. Um poema lindo e bem condizente com o dia de hoje! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  12. A inspiração anda à solta e ainda bem.
    Gostei do que li.
    Beijos, bom dia de quarta.

    ResponderEliminar
  13. Morre lentamente
    Quando suavemente
    Escorre a chuva pela vidraça
    Mas será que esse morrer
    Não será algo a nascer
    Dentro de um Outono que passa
    .
    Mas a verdade
    É que a felicidade
    Do que parte e do que fica
    Analisado com atenção
    Chega-se à conclusão
    Que nada morre … tudo se modifica
    ................
    A minha homenagem a um poema lindíssimo que fala da natureza, dos seus caprichos naturais, onde tudo é beleza em movimento

    Deixando um beijo

    ResponderEliminar
  14. Quando chega o Verão, alguém sabe?

    Bom dia, Cidália

    ResponderEliminar
  15. Un poema muy hermoso.
    Feliz día, Cidalia

    ResponderEliminar
  16. Cada estação tem a sua própria poesia; mais alegre ou mais triste, porém, tudo passa.

    Um abraço. Tudo de bom.
    A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar & Vídeos na arte do viver.

    ResponderEliminar
  17. Belo poema.

    Pobres pessoas sem casa ou em tugúrios :(

    Beijinho, bom resto de semana

    ResponderEliminar
  18. Existem as pausas, tempestades, mas existem os renascimentos das próprias cinzas e os recomeços. A vida é bela! não importa a cor que ela tenha.
    tenha um bom dia

    ResponderEliminar
  19. Cidália,

    Que poesia envolvente! Sua alma é linda!!
    Felicidade e saúde pra você e sua família
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  20. Olá Cidália
    Depois da tempestade o sol volta sempre a brilhar. Obrigada pelas felicitações no meu blog, bjs querida.

    ResponderEliminar
  21. Um poema melancólico e dolente, mas pleno de encanto. Tudo morre a seu tempo e o Outono não foge à regra, mas não esqueçamos que é uma estação linda, com os seus entardeceres de cores quentes e os caminhos atapetados com folhas que nos transmitem uma sensação de paz!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  22. Hi, poet! Glad to meet you! It's really interesting poem! I follow your. Please follow me back: beauty4fem.blogspot.com Nice to meet you, Victoria

    ResponderEliminar
  23. Os dias cinzentos da vida, dando origem a um belo poema.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Belo poema! Boa tarde! :)
    garotastarfashion.blogspot.com

    ResponderEliminar
  25. Que belo poema, só faltou as castanhas quentes para aquecer o coração e a alma

    Beijinhos de boa e santa noite

    ResponderEliminar
  26. Tudo se transforma;
    Boa continuação de semana.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  27. Uma linda poesia mas triste.
    Um carinhoso abraço, Cidália
    Verena

    ResponderEliminar
  28. poema intimista muito interessante
    qu gostei imenso ler

    beijo

    ResponderEliminar
  29. Ás vezes, ficamos escondidas por trás das cortinas a observar a chuva... Mas podemos sempre encontrar alegria no Outono.
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  30. Belo poema.
    O Outono é uma estação que os poetas gostam de cantar.
    Continuação de boa semana, querida amiga Cidália.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  31. Uma imagem sugestiva acompanha lindos versos sentimentais...

    Por aqui faz solinho... Bjs
    ~~~~

    ResponderEliminar
  32. É um poema triste, mas lindo. Você deveria escrever um livro. beijos boa semana https://beperes.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  33. é um ciclo de estações.
    nostalgia e um pouco de desalento.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  34. Boa tarde Cidália,
    Lindo poema sobre este outono chuvoso e tempestuoso.
    Mas o sol já brilha!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  35. aqui tambem esta triste o tempo mais um poema que nos deixa a pensar bjs

    ResponderEliminar
  36. Un poema muy otoñal como la imagen.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  37. Não gostava do outono mas agora já o entendo e gosto dele.

    ResponderEliminar
  38. Que maravilhoso poema amiga!!!
    A despedida do outono em arte poética!!! Adorei!!!!
    Como sempre um trabalho fantástico!

    Beijinho e boa noite!

    ResponderEliminar
  39. Sentimental eu sou e viajo nesta poesia outonal.
    Lindo trabalho Cidalia.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  40. Tudo na vida vai morrendo lentamente.
    Um poema tão triste e no entanto tão belo e tocante.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  41. E o Outono, chegou mesmo, desta vez, com o seu tempo característico para a época!
    A melancolia tão própria desta estação, brilhantemente traduzida em palavras! No entanto, desde que não faça estragos... a chuva é absolutamente necessário, pois o nosso país está em seca severa, já há bastante tempo, especialmente o sul do país, Cidália!... Com muitas produções em risco, pela falta de água, futuramente... como é o caso das famosas laranjas algarvias... antes tão doces e sumarentas... actualmente, secas e muitas vezes com pouco sabor... apenas um pequenos exemplo...
    Um beijinho, Cidália! Votos de um excelente fim de semana, com saúde, para todos aí desse lado!
    Ana

    ResponderEliminar

A vossa visita e comentário é o balsamo que alimenta a minha alma... Muito obrigada. Todos os poemas expostos são de minha inteira autoria, no que, apenas deverão ser partilhados com os devidos créditos da Autora: DEP. Legal: 374 492/14 - Cidália Ferreira - (Eu) 😘