quarta-feira, 19 de maio de 2021

Liberdade, em deixar passar o vento ...

'imagem minha'
*****
Liberdade, em deixar passar o vento
Abrir os braços sem medo, e respirar
Observar as ondas, nelas me invento
Olhar enternecido, mas ávido de mar
*
Desço escadas sem percalço da brisa
Fecho os olhos, e liberto a ansiedade
Vagueio por momentos, mas indecisa
Que esta liberdade não seja o entrave
*
Ouvindo o barulho das ondas bravias
Enrolam na areia deixando a candura
E do movimento se imaginam os dias
*
Quanta saudade de olhar o horizonte
Sentir o vento no rosto, e por loucura
Esperando que o mar não amedronte
*****
Cidália Ferreira

37 comentários:

  1. A sensação de que podemos respirar e sentir o nosso corpo a libertar-se de toda a tensão... é abrir os olhos e deixar que vagueiem pelo mar...
    Lindo...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  2. Quantas saudades de sentir, ver e ouvir o mar.
    Sentido e belo soneto.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Liberdade, que sempre a tenhamos! Belo poema. :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  4. Bom dia de paz e saúde!
    Amanheceu r vou descer um pouco para respirar a maresia e me extasiar como vi que você aqui está, querida amiga Cidália.
    Tenha um dia abençoado!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderEliminar
  5. Que nunca nos falte liberdade.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. La libertad un bien del ser humano, que debería saber que es suya, me gusta tu blog.
    Abrazo

    ResponderEliminar
  7. Que a liberdade esteja sempre presente no coração de todo o mundo humano e não humano.
    Poema liberto, muito bonito de ler

    Abraço fraterno

    ResponderEliminar
  8. De repente, a liberdade fugiu-nos.
    Que seja efémera, e volte depressa.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Que lindo poema inspirado nessa imensa grandeza em beleza, o mar, amo!
    Essa foto está incrivelmente linda que alegria!
    Abraços bem apertados!

    ResponderEliminar
  10. Cuando abrimos los brazos el viento se hace nuestro perímetro y en él van todo lo que queremos dejar volar Un bello poema. Un abrazo.

    ResponderEliminar
  11. Que lindoa poesia,Cidália e a foto fala dessa liberdade! bejos, chica

    ResponderEliminar
  12. Oxalá a liberdade não traga o medo. O mar é uma boa ajuda. E não só poética.
    Beijinhos, Cidália.

    ResponderEliminar
  13. O mar e a sensação de liberdade que ele nos transmite, serão sempre uma fonte de inspiração para todos os poetas!
    Felizes as pessoas que o têm "À mão de semear"...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns, Cidália! :-)
    Belíssimo Poema (como sempre)!
    Resto de dia Feliz!
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  15. De novo o mar, num poema inspirado, livre, leve, fresco.
    Gostei!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  16. Tão boa esta sensação de deixar passar o vento, quase que de normalidade.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  17. Algo que todos los que somos de interior añoramos por las barreras impuestas por la pandemia.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  18. Oi Cidália,
    Uma maravilhosa poesia
    Gostei muito. Parabéns
    Quanto ao seu comentário eu não achei a postagem. Eu não a achei, então exclui, sem saber que tinha comentário, me perdoa.
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  19. Tantas saudades.....
    Adorei!

    Beijos.
    http://www.opecadomoraemcasa.pt/

    ResponderEliminar
  20. Que belo poema

    Beijinhos de boa e santa noite

    ResponderEliminar
  21. Era disso mesmo que eu sentia saudades também! Já fui matar um bocadinho as saudades, com todas as precauções, mas ainda soube a pouco. Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Eu sonho com liberdade de estar protegida contra este virus mortal e poder sentir o vento batendo no rosto sem a máscara de proteção.

    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderEliminar
  23. Com ou sem vento — estamos a recuperar a nossa LIBERDADE 🗽

    ResponderEliminar
  24. La anhelada libertad, bella imagen amiga, saludos.

    ResponderEliminar
  25. Andamos todos famintos dessa liberdade.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  26. Que bem mais precioso a Liberdade!
    Mais um extraordinário poema, gostei bastante!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  27. Bom dia Cidália,
    Lindíssimo soneto num apelo à liberdade que neste momento já se pode respirar!
    Beijinhos e ótimo dia.
    Ailime

    ResponderEliminar
  28. Esse sentimento de liberdade é o melhor que há.
    Beijinhos
    Coisas de Feltro

    ResponderEliminar
  29. Saudades são muitas e de tantas coisas!
    Momentos que guardamos em nossas memórias de tempos que consideramos garantidos! Resta-nos a esperança e a paciência, a seu tempo retornaremos com mais alegria e apreciaremos o vento e os momentos com mais prazer!
    Lindo poema!
    Beijinhos e saúde!

    ResponderEliminar
  30. Sim, também sinto saudades desta liberdade, querida Cidália.
    Lindos os seus versos!
    Um beijinho carinhoso
    Verena.

    ResponderEliminar
  31. Ai!
    O vento passa e nem pede licença.
    muito bonito.
    A foto ficou muito bem.
    beijinhos
    :)
    http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  32. Olá.
    Poema lindo. Brisa do mar que nos faz sentir a liberdade e frescura no rosto para que possamos seguir mais um dia de cabeça erguida.

    Beijinhos
    Boa semana

    ResponderEliminar
  33. Um poema que me deixou de alma cheia!... Maravilhosa esta brisa poética... e esta sede de mar... da qual também partilho!... Este será mais um Verão que não passarei na Ericeira, de que eu tanto gosto... mais por uma questão de precaução... mesmo com a minha mãe vacinada, e eu com a primeira dose tomada... mas sente-se ainda a pandemia, demasiado presente nas nossas vidas... e com muitos números de casos, que nos lembram, que o bicharoco, continua por perto, e dando que fazer...
    Adorei a imagem! Um beijinho, e fazendo votos de que Junho, lhe proporcione mais dias assim, bem leves e bem agradáveis!...
    Tudo de bom
    Ana

    ResponderEliminar

A vossa visita e comentário é o balsamo que alimenta a minha alma... Muito obrigada. Todos os poemas expostos são de minha inteira autoria, no que, apenas deverão ser partilhados com os devidos créditos da Autora: DEP. Legal: 374 492/14 - Cidália Ferreira - (Eu) 😘