terça-feira, 10 de novembro de 2015

O vento passa e tristemente olho a ruela

Enquanto sinto na janela, o vento soprar
Recordo teu  retrato, entristeço o coração
Penso, a minha presença não te irá faltar
Mesmo sendo  desejo, loucura ou ilusão

Da minha janela as histórias que recordo
No seu interior, as paredes que não falam
De tantos momentos, de segredos, acordo
Enquanto olho de saudade lágrimas rolam

Sinto que  foges do  meu sonho de outrora
Sinto tanta falta do teu carinho,do passado
Sinto-te voar como o vento que faz lá fora

São tantas saudades deixadas nesta janela
Sinto de momento o coração amargurado
O vento passa, e tristemente  olho a ruela.
****
Cidália Ferreira 

20 comentários:

  1. Melancolia expressa lindamente ! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Como diz a Chica é melancólico mas muito belo o poema.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Amor e saudades expressos nesses versos.
    Muito lindos.
    Deixo beijos para vc.

    ResponderEliminar
  4. Queida amiga Cidália, eis mais um belo soneto com tua marca perculiar. Lindo momento poético.
    Um abraço daqui do sul do Brasil.Tenhas uma linda terça-feira.

    ResponderEliminar
  5. Sempre nos surpreendendo com sua palavras.Lindo poema.E quem não vive esses momentos saudosos né?
    Parabéns!!

    ResponderEliminar
  6. Belo poema! Abençoado dia!!!!!!!!! Beijos

    ResponderEliminar
  7. Triste,mas com palavras lindas de um coração repleto de saudades.
    Bjs Cidália
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  8. Ah Ci, a sdd parece que não tem fim não é mesmo?

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  9. Concordo, «Triste com palavras lindas», mas não deixa de ter a sua beleza. o poema.
    E se as paredes falassem.......ui, ui....quantas não teriam, amiga, voado, tal como o muro de Berlim.
    Beijinho e Feliz semana !!!!!!!!

    ResponderEliminar
  10. Poema maravilhoso, embora com uma mensagem triste, como já, à muito, nos habituaste nas tuas publicações
    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde, Cidália! como sempre acontece, seus poemas são especiais num todo, se o amor é recordar e aumentar a saudade, vou construir de emediato a minha janela.
    AG

    ResponderEliminar
  12. Cidália
    um soneto com muita saudade e melancolia.
    bem construído.
    gostei da música.
    beijo
    boa semana.

    :)

    ResponderEliminar
  13. Magnífico soneto em que a saudade e melancolia são uma constante.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. A música casa bem com a melancolia do poema.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Muito bonito o poema.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  16. O vento veio trazendo nostalgia e saudade.
    Lindo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  17. Porque será que os tristes são os mais belos? Gostei!!!!!

    Beijinhos... Visite-nos...Aqui:-http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/
    Obrigada, boa noite

    ResponderEliminar
  18. Tanta melancolia mas tão poeticamente expressa!
    xx

    ResponderEliminar
  19. Oi Cidália,
    Pareço tocar no piano a sua melancolia que se mistura com minha dor, sem saber se a dor da alma é maior que a dor da carne.
    Beijos no coração
    lua Singular

    ResponderEliminar
  20. Sem dúvida, que junto à janela deixamos a nossa mente divagar..regressar ao passado...refletir..e muito mais! Hoje foi a tua inspiração, que com uma certa melancolia e a tua magia poética construiste um belo poema! Beijinhos Cidália e tem um resto de semana boa com excelentes inspirações.

    ResponderEliminar