domingo, 2 de agosto de 2020

"Com Amor" ... Desfolhando memórias

****
Tantas memórias habitam em mim
Tantas roupas costuradas pela Mãe
Tantos vestidos às flores, era assim
Que todas iguais, vestiam, também
*
Trapos reutilizados. Os sacos de pão
Roupas desfeitas em tiras. Tapeçaria
Tardes de convívio não havia solidão
Outras coisas, que dos trapos se fazia
*
Aprendia-se costura como actividade
Donas de casa. Mãe, avó e costureira
Mulher madura, aspeto, d'outra idade
*
Não havia preguiça para dar ao pedal
Nem outra máquina tão trabalhadeira
Que aquela... E jamais faltava o dedal
****
Cidália Ferreira
*
Muita coisa poderia escrever sobre esta foto. No meu tempo de criança, era a minha Mãe que nos fazia as roupas. São memórias boas para desfolhar. Com as poucas posses que haviam, comprava um rolo de tecido (acho que tem outro nome) e todas vestíamos de igual. Lembro-me que a minha Mãe aproveitava a hora de sesta para costurar, enquanto, ouvia também na rádio, o Romance (radionovela) Simplesmente Maria. Quem se lembra? Aquela hora era sagrada. Tive também o privilégio Dela ter feito os lençóis para o meu/nosso enxoval... As mulheres - (algumas) - iam aprender costura, mas a minha Mãe aprendeu sozinha, apenas via em casa duma madrinha. Apesar da vida dura que levava nas terras, a costura era o momento em que ela se sentia relaxada... Tantas, e tantas coisas haviam para falar sobre esta imagem. Tantas memórias boas. Tantas peças de roupa de interior e exterior... O hábito perdeu-se.
*
De forma muito simples, é com gosto que participo na interação com o blogue da Marta Vinhais. do blogue "Com Amor" Participem também! __________ Bom Fim de semana 🌹🌹

61 comentários:

  1. Ambas lindas,foto e poesia...Doces memórias!

    ResponderEliminar
  2. Cidália,e3ssaq imagem nos fez viajar me memórias mesmo!Adorei a poesia e tua prosa ao final. LINDA participação! bjs,chica

    ResponderEliminar
  3. Sim, também me lembro da minha Mãe a costurar, a apertar, a fazer a bainha das saias e dos vestidos das filhas mais velhas para vestir a mais nova. Aproveitava-se tudo e tudo servia para uma boa tarde de conversa...
    Obrigada por me lembrar esses tempos felizes, calmos... Adorei o poema; muito obrigada....
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  4. Também era a minha mãe que me fazia os vestidos. E recordo-me dessa radionovela, sim. :)

    ResponderEliminar
  5. Recordações são vida passada
    Tantas vezes chorada
    Outras em perfeita exaltação
    Mas sempre como lembrança
    De quando se era criança
    Que ficam gravadas no coração
    ..................
    Parabéns. Gostei muito do poema

    Bom fim de semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. São memórias de outros tempos que nos faz bem recordar....
    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  7. Que belos tempos e memórias

    Parabéns pelo excelente poema

    Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde Cidália,
    Um poema belíssimo que me transportou à infância. Também era a minha mãe que confeccionava as roupas para as sua três filhas.
    Boas memórias desses tempos.
    Beijinhos e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  9. Que bonitos recuerdos los que nos dejas, es cierto que antes hace años las madres a parte de ser madres eran muchas más cosas, enfermeras, maestras, costureras y esta foto es increible ..
    Muy buenas tardes y feliz mes de Agosto.

    ResponderEliminar
  10. Tempos que também vivi e que ficaram gravados.
    Os nossos tempos de meninos ainda hoje nos alimentam

    ResponderEliminar
  11. Que lindoooo😍😍
    Me fez lembrar da minha infância... Três irmãs mais novas todas vestiam com a mesma cor, estampas e modelos...
    Parabéns!
    Maravilhoso poema!
    Eu ameiii
    ♥️♥️♥️♥️Um grande abraço fraterno cheio de paz e bênçãos

    ResponderEliminar
  12. Oi Cidália,
    Eu fui criada pela minha tia: era cozinheira. Tempo bom que não se trancava a casa e, sozinha tomava banho, colocava meu uniforme e ia para a escola.
    Saudade do meu tio que ia nos buscar à noite no emprego da minha tia. Ele me levava de cavalinho, tamanho era seu amor por mim. Ele vivia a pensar em mim. Deixou tudo que tinha pra mim, não joguei fora, apenas usufruo.
    E uma enorme saudade!
    Sua postagem veio a "calhar".
    Sua linda poesia me fez recordar...
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  13. Que imagem mais encantadora.
    Nossa,voltei lá na minha infância.Minha máe também costurava as nossas roupas,exatamente assim,meu pai comprava o fardo do mesmo tecido.E ninguém reclamava.
    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Obrigada! Obrigada por me ter feito recordar memórias... memórias dessas.
    Bateu uma nostalgia...
    um beijinho

    ResponderEliminar
  15. Boa noite, minha mãe também fazia minhas roupas, memórias de grande valor que guardamos com carinho.
    Que o mês de agosto nos traga coisas boas. Bom fim de semana. Bjs.

    ResponderEliminar
  16. Es bonito recordar. Recordar es volver a vivir. La memoria es la huella del.akma. un beso muy grande

    ResponderEliminar
  17. Belas memórias...Lembro-me da novela simplesmente Maria no inicio da minha adolesçencia. Bjos

    ResponderEliminar
  18. Boa noite nobre amiga. Quanto tempo hein. Espero que esteja cheia de vida e transbordando amor e lindas pérolas poéticas. Essa foto, veio até meu coração como mensagens de humildade, e da lembrança de um tempo inocente. Nossa, emocionado aqui. Vamos costurar, boas lembranças.

    Grande abraço,
    Dan
    https://gagopoetico.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  19. OI Cidália, linda foto e lmbranças. A minha mãe não costurava, mas a mãe de uma amiga, muito amiga, costurava e fazia roupas para mim também. Sempre que eu ia na casa dessa amigas nós brincávamos na máquina para fazer roupas para as bonecas. Eu adorava o movimento do pedal. Linda a sua poesia cheia de lembranças.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest

    ResponderEliminar
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite de sábado, querida amiga Cidália!
      Tão bonito e sentido!
      Reminiscências nossas que fazem bem recordarmos. Alimentam a boa saudade.
      A que faz bem...
      Fomos preparadas para sermos mantenedora do lar e sabermos muitas coisas a respeito do bem cuidar dele.
      Costurar fez parte da minha vida e até fiz um curso de corte e costura na adolescência.
      Não me dediquei por não ser preciso, mas gostei e sei o básico, se precisar.
      Em casa, houve a troca do pedal para motor bem depois
      Usei os dois quando mocinha.
      Muito genuíno seu poema. Uma criação de fundo de alma
      Parabéns pela participação!
      A minha está aqui:
      https://www.poesia-espiritual.com.br/2020/07/um-patio-refrigerio.html
      Tenha um ótimo domingo!

      Eliminar
  21. Olá querida Cidália!
    Linda sua participação neste desafio, com esta torrente de lembranças renascidas de uma terna imagem.
    O que o tempo fez e marcou uma vida plena de atividades e curiosidades, que despertadas geravam aprendizado e ou por necessidade de um tempo do nem tudo estava pronto.
    Uma bela inspiração e construção amiga.
    Um bom domingo de feliz semana com paz no coração.
    Beijo amiga.
    Grato pela presença sempre incentivadora.

    ResponderEliminar
  22. Que habilidosa era a sua mãe!! Boas lembranças!
    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  23. Que hermoso poema. Me trae recuerdos esa foto, y aqui en mi casa, tengo la maquina de coser de mi madre como herencia y en la cual yo me enseñe a coser............ Que lindos recuerdos amiga. Saludos.

    ResponderEliminar
  24. Memorias de outros tempos em que tudo era aproveitado.
    Fantástica a fotografia.
    Um abraço e bom Domingo.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  25. Boa participação, com muitas lembranças em detalhes. O passado nos desperta e nos faz avançar com garras novas...
    Bom domingo. ABÇ

    ResponderEliminar
  26. Poetisa, Cidália Ferreira !
    Feliz de quem possui essas lembranças...
    São passado. amor, carinho e tudo mais !
    Parabéns !
    Uma ótima semana e um carinhoso abraço,
    aqui do Brasil !
    Sinval.

    ResponderEliminar
  27. Uau, que bacana! Me trouxe uma lembrança amorosa de minha avó. 🤗
    Eu vim desejar um ótimo domingo! Descansando ou divertindo-se que seja abençoado. Beijo GRANDE! 💋

    ResponderEliminar
  28. Boas recordações num belíssimo poema.
    Não tive a sorte da minha mãe costurar os meus vestidos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  29. Tudo tem mudado, quase nda é como era,
    pois, haviam coisas boas mas não tudo
    calças esburacadas sinónimo de miséria
    era naquele tempo, porque, agora é luxo.

    Belo poema gostei de ler, amiga Cidália, tenha uma boa tarde de Domingo. Bjs

    ResponderEliminar
  30. Que bela recordação. A minha avó que costurava algumas coisas pra mim.
    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderEliminar
  31. Memórias boas....
    Bom domingo.
    http://www.opecadomoraemcasa.pt/

    ResponderEliminar
  32. Revejo-me nas tuas palavras.

    Beijinhos Cidália

    ResponderEliminar
  33. Cidália é maravilhoso poder recordar bons momento da vida da gente, maravilhosa a recordação bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  34. Eu recordo-me era que me faziam os vestidos à medida, disso recordo-me bem.
    E claro, aprendi a fazer tudo em casa, mas os meninos não, eram tratados (e ainda são, estão mal habituados) eram quase reis.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  35. A verdade é que, nestes tempos, já punham em prática a política dos 7R's e pouco ou nada se sabia de poluição, efeito de estufa, buraco do ozono...
    Tempos que a minha mãe associa a muita miséria, mas a muita alegria e interajuda.

    ResponderEliminar
  36. minha tia costurava. todas faziam trabalhos manuais e aprendi alguns. nunca mais fiz e não me sinto mais habilidosa nem vontade. brinco q foi em outra encarnação. acho q vc vai amar o filme histórias que só existem quando lembradas. acho que vai se identificar. e concordo com o título. as histórias só existem se as contamos. amei a postagem e conhecer um pouco da sua história. beijos, pedrita

    ResponderEliminar
  37. Aplaudo a sua participação, Cidália
    Me emocionei!
    Um carinhoso abraço
    Verena.

    ResponderEliminar
  38. Olá querida Cidália!
    Quando li seu poema bateu nostalgia recheada de uma grande dosagem de amor!
    Abraço forte!
    E que a saudade seja sempre sua guia!
    Megy Maia🌈

    ResponderEliminar
  39. Que lindo!
    Adorei o poema e o texto!
    Também eu venho de família de costureiras. A minha avó e as minhas tias avós também aprenderam em casa, sozinhas, já a minha mãe foi aprender costura, mas conta-me que perdeu o medo de talhar com uma tia.
    Lindo este seu gesto de homenagear as mulheres da sua família e da sua infância!

    Beijinho grande e boa semana com muita saúde!

    ResponderEliminar
  40. e se eu lhe disser que ainda há uma máquina de costura igual na casa em Coimbra?
    Singer, era a máquina da minha avó.
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
  41. Uma memória linda e que me trouxe também bonitas recordações. Quando era pequena, era a minha mãe que fazia os nossos vestidos ( meus e de minha irmã 3 anos mais nova e claro que eram iguais!).
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  42. Coisa boa desfolhar memórias não é minha querida! Acho lindo demais! A vida passa na frente dos olhos de uma forma singular!! Adorei o projeto, vou lá conhecer!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  43. Que lindo esse poema! É tão bom recordar nosso passado, né?

    Beijo.
    Cores do Vício

    ResponderEliminar
  44. Tão bom recordar, lindo poema e foto. Gostamos muito!

    Beijos amiga

    Uma feliz e incrível semana para você ♥

    VOU ARRASAR BLOG

    ResponderEliminar
  45. A imagem e o poema tocou profundamente meu coração e as lembranças, imediatamente, afloraram. Parecia estar vendo minha mãe na máquina a costurar para dar vida digna a gente.
    Abraços fraternos!

    ResponderEliminar
  46. La foto y la poesía me traen al igual que a ti muchos recuerdos de mi niñez.
    La radio novela que mencionas también recuerdo escucharla a mi madre y mucha mas gente, en España también la recuerdo en formato de fotonovela.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  47. Uma doçura de foto e de poema também!!
    A minha mãe também costurava, fez várias coisas para mim e para outros, fez lençóis para o meu primeiro filho!
    Adorava saber costurar, mas o medo é mais que muito, até tremo só de pensar que posso partir uma agulha ou alguma peça da máquina!!

    Beijos e abraços.
    Sandra C.
    Bluestrass

    ResponderEliminar
  48. Que lindo Cidália querida


    Lindas memórias.


    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
  49. Adorei Cidália!Minha mãe também costurava para o povo de casa e essa foto também me trouxe memórias muito boas! Hoje em dia eu só compro roupas prontas nas lojas,mas tenho uma costureira pra fazer ajustes se necessário!Bjos!

    ResponderEliminar
  50. MARAVILHA!!!!

    Abraço de parabéns, Ci!

    ResponderEliminar
  51. Olá minha amiga! Quanto tempo. Estou de volta as ondas blogueiras e voltei poeticamente :-) Assim além de um abraço imenso estou a te convidar a participar do 11º Pena de Ouro, decidi reativá-lo, pois neste momento de clausura nada melhor que colocar a mente para funcionar, topas brincar? Não querendo faz uma visitinha no meu novo Ostra só para conhece-lo, ok! Beijos ♥ Eis o link https://ostra-da-poesia2.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  52. Olá Cidália,
    A minha Mãe tem 82 anos mas nunca costurou para nós, nem nos ensinou a costurar :(
    Lindíssimo poema dedicado à sua infância e aos momentos felizes que viveu.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  53. Uma belíssima participação.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  54. Essa foto me lembra minha infância e agora que estou sentada naquela cadeira, talvez meu filho que agora se parece comigo no passado

    ResponderEliminar
  55. Que lindo poema, Cidália!
    Quantas lembranças da minha mãe a costurar à máquina!
    Bjs

    ResponderEliminar
  56. Bom dia Cidália. Você fa parte de um círculo de muitos amigos em comum. Seus escritos são profundos e poéticos. Gostaria de convida- la para estar entre nós no dia 09/08 quando celebraremos 11 anos do meu blog pensandoemfamilia. Deixo aqui o link do convite. Será um prazer tê-la entre nos, lançando ao universo bons fluídos.Bjs
    http://pensandoemfamilia.com.br/blog/roda-de-celebracao/

    ResponderEliminar
  57. Que belo soneto, que nos leva âs memórias de outros tempos.
    Adorei a imagem!
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  58. Uma bonita e saudosa evocação do passado, afinal não tão distante assim, onde já se praticava a reutilização e reciclagem de materiais, hoje em dia tão aconselhada.
    Abraço poético.
    Juvenal Nunes

    ResponderEliminar

A vossa visita e comentário é o balsamo que alimenta a minha alma...Muito obrigada. Todos os poemas expostos são de minha inteira autoria, no que, apenas deverão ser partilhados com os devidos créditos da Autora: DEP. Legal: 374 492/14 - Cidália Ferreira (Eu) 😘