segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Tenho medo do improvável

Foto de Cidália Ferreira.
Tenho medo...
Tenho medo do improvável
Dos dias nublados, ventosos,
Tenho medo da multidão
Do vazio
Das tempestades, da solidão,
Tenho medo, medo de te perder
Medo do meu acordar
De fazer sofrer meu coração,
Medo no nada, da desconfiança
Medo da minha  própria sombra,
.
Tenho medo das tempestades do mar
Do anoitecer
Medo, de poder ficar sozinha
E da tua pessoa, eu precisar,
Tenho medo de não ver o sol nascer
De ver teu lugar ficar vazio,
Tenho medo das coisas estranhas, anormais
Que não voltes mais
Tenho medo, medo da ingratidão
De ficar sem ti...e não me conseguir erguer,
Tenho medo...
***
Cidália Ferreira.

36 comentários:

  1. Todos temos medos, fazem parte da vida. Bonito poema para iniciar a semana. :) Beijinhos e boa semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Não devemos temer,mas infelizmente faz parte dos nossos sentimentos.
    Lindo poema Cidália,como sempre a sua sensibilidade nos toca.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Ter medo, faz parte de nó, aumentando quando se ama sem a certeza de ser correspondido com a mesma intensidade.

    Excelente poema.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Oi Cidália!
    Achei lindo o que escreveste, pois sei que mesmo estando na primeira pessoa, trata-se dr uma representação poética ditada por tua inspiração e sensibilidade. Embora, creio eu, existem pessoas nas quais este medo é dominante.
    Abrçs

    ResponderEliminar
  5. Querida Cidália, como disse a nossa amiga em comum,a Zilani, o medo faz parte de todas as vidas, até os animaizinhos que são considerados irracionais, sentem medos, é tão natural.
    O que nos protege muitas vezes são os medos, mas não podemos nos deixar dominar por eles, pois minha amiga, como se sofre por medos, nossa!
    Lindo seu poetar, transmite com energia a dimensão dos medos que pelo menos algumas vezes todos já sentiram!
    Abraços bem apertados!

    ResponderEliminar
  6. Cara amiga poetisa Cidália, todos temos algum tipo de medo, mas não devíamos ter, entretanto, temos, então o que se há de fazer.
    Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

    ResponderEliminar
  7. Por vezes os medos invadem o nosso coração.
    Belíssimo poema
    Boa semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  8. Poema livre, muito bem escrito, bem imaginado, fazendo do medo uma prova de amor.
    Sublime

    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. Lo desconocido nos suele dar miedo por no saber lo que encontraremos mas allá al otro lado.

    Saludos.

    ResponderEliminar
  10. que belo poema
    https://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. O mais provável é que o improvável não aconteça, por isso não tenha medo.

    ResponderEliminar
  12. E o medo muitas vezes impede-nos de seguir em frente!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  13. Lindo poema Cidália. Vivemos num caos, tantos medos, tantas lutas, tantos anseios , a humanidade doente não é? é preciso lançar sobre o SEnhor nossas ansiedades e emoções. Bjs

    ResponderEliminar
  14. Na nossa vida vivemos com tantos medos e eles desgastam tanto !
    Um belo poema que ilustra bem os medos.

    Beijinhos Cidália

    ResponderEliminar
  15. O medo pode permear nossos dias, devemos ter força para enfrentá-lo e nunca desistir.
    Um grande abraço!!

    ResponderEliminar
  16. Belo texto para falar dos nossos receios e anseios, os nossos medos que são são o que fazem a vida avançar se não ficarmos presos neles.

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
  17. Td que é novo remete ao medo, mas temos que superar e vencer.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  18. Nunca tenhas receio de viajar
    Por entre as ruelas dos momentos
    Vive a vida. Não deixes de amar
    Deixa vaguear os teus sentimentos
    .
    Deixo saudações amigas

    ResponderEliminar
  19. Na verdade amiga, o «medo» acompanha-nos durante todo o percurso da vida e com ele aprendemos, também a equilibrar os nossos passos.
    Que seria da Aventura, se o medo não existisse ? Abracemos e encaremos esse sentimento, que pode ser salpicado com o tempero do amor e da incerteza, tornando os nossos dias ainda mais intensos.
    Continuação de lindos sonhos.....Beijinhos !!!!!

    ResponderEliminar
  20. Tomei a liberdade de adicionar o vosso blog ao Tomei a liberdade de adicionar o vosso blog ao meu.
    Deixo aqui o link para o meu e agradeço se fizerem o mesmo.
    Kique

    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  21. Gostei do poema! O medo acompanha-me, tento enfrenta-lo e não o deixar vencer.
    Tenha uma linda noite

    ResponderEliminar
  22. Querida Cidália, também tenho medo de tudo que citou na poesia.
    Tenho medo do improvável
    Dos dias nublados, ventosos,
    Tenho medo da multidão e principalmente
    do vazio ou solidão.
    mais uma linda poesia, parabéns querida. Bjus

    ResponderEliminar
  23. Oi Cidália
    Obrigada do carinho.Tão bom, estar de volta!
    Seus poemas sempre falando de sentimentos comuns _medo de perder os que amamos _ este é o maior.
    Um abraço grande ,amiga

    ResponderEliminar
  24. Medos compreensíveis, gostei bastante do que li.
    Um abraço.
    Autografos Futebol

    ResponderEliminar
  25. Querida Cidália, o medo as vezes nos arrebata, mas devemos vencê-los.
    Passei para lhe deixar um abraço e desejar tudo de bom pra você. Abraços

    ResponderEliminar
  26. Que belo poema! Todos temos medo e há dias em que parece que somos só medo e temos até medo de ter medo. Aprender a lidar com os nossos medos é algo essencial, mas muito difícil e assustador.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  27. E quando o improvável, já não está na nossa mão... os medos apoderam-se de nós... e assim... ainda nos conseguem levar os poucos momentos felizes, que poderíamos usufruir... melhor não deixarmos os medos, ganharem vantagem... e irmos pensando neles à medida que o improvável for acontecendo... que por vezes, até nem se apresenta de uma forma tão má, como o teríamos imaginado previamente... pelo menos, não nos desgastamos tanto... e teremos mais forças para enfrentar... o que tiver de ser...
    Um belo trabalho, que nos lembra... que somos humanos... e temos medo... e não há qualquer vergonha nisso... prova que temos sentimentos...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar