quarta-feira, 12 de junho de 2013

O Que sou


Sou um ser que me envaidece
Com vontade  de me exprimir
Da  esperança  faço um degrau , que sobe
Em espírito  agitador
 que  sofre
Com o amor, sonhado
Guardo em mim sensações de alegria,
Sinto, uma força desejada  do impossível
Balanço em pensamentos  de puro sonho
Voando,  para além dos meus limites
Sou tudo o quero  ser,  teimando
Até algo sem saber
Sou força  da natureza,  ou talvez não
Sou  portadora  de incertezas
Sou o riso das minhas tristezas
E a duvida  das minhas alegrias
Á vezes lutadora,  ou não
Com vontade  enfurecida, luto
Para  uma alegria enternecida
Eu sou
Um ser  envaidecida
****
Cf

6 comentários:

  1. Muito agradável de ler e sentir. Sensibilidade natural. Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. A autora denota uma tristeza momentânea. Mas passageira concerteza, porque a vida é bela e é para ser vivida com alegria!

    ResponderEliminar
  3. Haverá necessidade de tanta tristeza na alma?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coisas que não se controlam, o coração é quem manda.
      É falta de um Verão a sério.

      Obrigado pela visita.

      Eliminar