quarta-feira, 30 de maio de 2018

Não importa a distancia que nos separa

Não importa a distancia  que nos separa
Não importa se é apenas um imaginário
Não importa se o mar nunca terá um fim
Não importa se o sol não abre para mim
Não importa, se és o dono deste cenário
Não importa, pois a ti, nada se compara
*
Importa, que neste mundo existe alguém
Que me leve a deambular pela imensidão
Olhar o horizonte no vazio da esperança
E esperar-te, com a minha  perseverança
Renunciar aos meus momentos de solidão
Porque só tu me inspiras e me fazes bem
*
Não importa se a distancia é angustiante
Só tu sabes, que sou um poço sem fundo
Guardando coisas do resto da minha vida
Segredos que só o mar sabe, mas comedida
Quando desabafo instantes tão profundos
Importa, o quanto o teu amor, é cativante
****
Cidália Ferreira.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

O teu sofrimento causa estranha dor. [Poetizando e Encantando]

Encontrei-te desolado no teu mundo
Lágrimas, e sofrimento em teu rosto
Não conseguias esconder o desgosto
Sentimento de perda, amor profundo
*
Não conseguiste suportar tal dureza
A vida tem momentos tão dolorosos
Os teus olhos choram...tão saudosos
Comoventes que me causam tristeza
*
O teu sofrimento causa estranha dor
Em mim, que não consigo acreditar
Que sejas capaz de desistir do amor
*
Um amor maior que qualquer ilusão
Aquele, que deu a vida, para te criar
Mas parte, causando dor, e desilusão
****
Cidália Ferreira 


Chegámos à trigésima sétima edição (37) Edição do Poetizando e Encantando. Mais uma vez me orgulho em participar, ainda que, seja com um simples poema. Espero ser o agrado de quem me lê...Agradeço de coração a todos os que por aqui passam... Bem hajam.

sábado, 26 de maio de 2018

Gotas de saudade.

Gotas de saudade escorrem no meu olhar
Ao lembrar dos tempos que passaram
Jamais voltarão, mas certamente
Que os guardo eternamente,
Lembrarei apenas o que foi bom
O que vivemos, o que fizemos
O que tantas vezes dissemos
Entre sorrisos e lágrimas caídas,
*
Hoje, quando penso, o que não fiz
Por receio, deste tão ingrato mundo
Chora meu coração, por devaneio
Neste canto, onde tento ser feliz
Mas, sozinha não consigo,
Porque tudo me parece moribundo
Neste meu sentimento tão profundo
Ao recordar os bons momentos, contigo.
***
Cidália Ferreira.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

És a água cristalina que me alimenta.

És água cristalina que me alimenta
Que me sacia a sede, que faz mover
Que me lava a alma e me faz sofrer
Que me leva a crer e me desorienta
*
Sou o mélico coração que te recebe
Como recebe as gotas de água pura
Quando  meu sentimento é candura
E se entrega ao devaneio e loucura
*
Esta sede que me alimenta o sonho
Que, em cada gota me faz desfolhar
As memórias do meu  tempo risonho
*
Desorienta - me a tua mélica aptidão
Porque cresci, amei e voltarei a amar
És água cristalina na minha solidão.
****
Cidália Ferreira.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Gratidão

Gratidão, é tudo o que neste momento sinto
Pelo o que a vida me deu e vai dando
Pela oportunidade em pleno
Pelas pessoas colocadas no meu caminho
Pelo simples facto viver, mas pensando
Nas etapas dolorosas que ficaram para trás
*
Algumas que quero esquecer certamente
Outras, espero, nunca me desiludir
Neste mundo, onde a vida é uma missão
As agruras, são autênticos desafios
E aceitá-los, é o desafio mais forte
É preciso que nunca perca-mos o norte
*
Gratidão, é saber reconhecer
É acordar cada dia e ver o sol nascer
É caminhar, sentir o perfume da natureza
É sentir a brisa no rosto e sorrir
É olhar o horizonte e meditar
Sobre as coisas negativas que nos fazem crescer
*
É abrir o coração sem saber
E dar a mão a que precisa de viver
Sem esperar o reverso da medalha
Porque neste mundo de tanta ingratidão
Parece proibido alguém ter razão
Mas fico grata, por mais uma vencida batalha.
***
Cidália Ferreira.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Parabéns a mim e a vocês todos.


Resultado de imagem para bolos de aniversário 55anos

Imagem relacionada

Resultado de imagem para chamanhe

Hoje estou umas mãos largas... Podem pegar uma fatia de bolo e copo de champanhe. Estou a fica uma Cota...

Por hoje é só.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Quero a rosa, e teu afago no meu coração. {Poetizando e Encantando}

Levei  comigo, a rosa, que me ofereceste
Levei meu coração entristecido, saudoso
Naquela praia deserta onde tu apareceste
Me ofertaste o que havia de mais valioso
*
Praia deserta, ondas desfeitas em candura
Areia molhada, escrevo teu nome, e gravo
No meu coração só há lugar para a loucura
Se essa... for ao teu lado... qual mar bravo
*
Lembro a rosa, que foi levada pelas ondas
Ficará presa na praia e em águas oriundas
Até que o sol volte e com toda a exaltação
*
Olho as águas, e vou ficando emocionada
Ao lembrar-me de ti não quero mais nada
Quero a rosa, e teu afago no meu coração.
****
Cidália Ferreira.

POETIZANDO E ENCANTANDO
Chegámos à trigésima sexta (36), edição do Poetizando Encantando...Cada semana, um desafio. É com gosto que apresento a minha simples participação. Espero que gostem. Obrigada Professora Lourdes... Beijinhos e bom fim de semana a todos.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Cascatas em estreme alusão

Foto de Cidália Ferreira.
Sinto os salpicos envidarem meu rosto
Em contemplação de terno sentimento
As águas, em tons verdemar, que gosto
Ficam no além, do inevitável tormento
*
Refugio-me em termos que me afligem
Sinto os passos, dentro do meu mundo
Sinto-me só, tantas vezes sem coragem
Para enfrentar tal sentimento profundo
*
Só a contemplação pode trazer de volta
Todo o teu carinho em falta, mas revolta
Saber que tudo não passa de mera ilusão
*
Por muitas palavras se escrevam, jamais
Esquecerei os nossos momentos casuais
São como as cascatas em estreme alusão.
****
Cidália Ferreira.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Passos despercebidos

Foto de Cidália Ferreira.
Apetece-me caminhar sem ver um fim
Sem ter rumo
Sem ter de enfrentar a multidão
Sem que vejam os meus passos lentos
Sem que me julguem
Sem que sofra o meu coração,
Mas não consigo sair, deste atrofio
*
Apetece-me soltar o grito sufocado
Aquele... que só eu sei
Que permanece dentro do meu peito
Onde tantas vezes eu errei
Não fui capaz, foi ficando
E o grito tornou-se num pranto,
Apetece-me tanto, libertar esta revolta
*
Neste caminho onde nada se solta
Fica a revolta dos sonhos proibidos
Fica a saudade
Do que é meu, mas não me pertence
E do que guardo na realidade,
Mas meu coração não se convence
E caminha sem rumo em passos despercebidos
****
Cidália Ferreira.

sábado, 12 de maio de 2018

A esperança que busco no meu caminho. {POETIZANDO}

Caminhos agrestes entre a aridez, o renascer
Entre ervas que brotam sinais de esperança
Nuvens revoltas, e raios de sol a esmorecer
Num misto caminho, firme de perseverança
*
Verdes pousios, e abandonados sentimentos
Terrenos áridos...em brechas, pelas torturas
A falta, da abençoada chuva, são tormentos
Que a natureza sofre, em tempo de agruras
*
Esta esperança que  busco no meu caminho
Querendo  encontrar a bonança devagarinho
Enquanto a brisa esvoaça nas minhas vestes
*
E por muito duras que sejam as intempéries
Haverá sempre uma esperança nas planícies
Mas os dias passam em sentimentos agrestes
****
Cidália Ferreira.


Chegámos à trigésima quinta (35) edição do Poetizando e Encantando. Mais uma vez agradeço o Convite da Poetiza e Professora Loudes Duarte do Blogue;  Filosofando na Vida  . Espero que gostem desta minha simples participação. Obrigada aos que me lêem e comentam.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

A flor de Lótus que resplandece

Gotas de saudades no meu pensamento
Que permanecem no aconchego
Do meu isolado coração
Quais lagos, invadidos de flores,
Irradiadas de vida
As pétalas perfumadas
Sentimento que nos convida
Aos recantos, de um qualquer lago
Por onde flutuam às cores
As flores mais belas, que há para mim
E não são canteiros do meu jardim
*
São tudo, num turbilhão dum nada
Num perfume que me embriaga,
A flor de Lótus que resplandece
Nas águas que parecem paradas
Numa natureza que nos surpreende,
E em cada gota, uma saudade
Saudade dos beijos que não te dei
E dos abraços embaraçados,
Misteriosa flor que tenta sorrir
Esperando o sol, para o seu florir,
Saudoso momento, este, em que te recordei.
***
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Alma vadia por trilhos da noite escura

Foto de Cidália Ferreira.
Meditando sobre  o que me atormenta
Porque a minha alma em tom libertino
Se deixa envolver, sem o que aparenta
Não deixando  seguir seu doce destino
*
Alma vadia por trilhos da noite escura
Onde o meu corpo se sente à média luz
Será no momento desta minha loucura
Que a alma segue o amor que a conduz
*
Meditando, deixando a alma adormecer
Mesmo que a luz apareça sem anoitecer
Que a tormenta seja o sonho indesejado
*
Mas que a luz se acenda, a alma acorde
A reflexão seja o motivo que se recorde
A alma, seja meu corpo por ti almejado.
****
Cidália Ferreira

terça-feira, 8 de maio de 2018

Nesta dança, onde o amor é a consagração. [ POETIZANDO...]

Rodopiávamos, naquele salão iluminado
Onde a decoração e seu estado magistral
Nos enlouquecia, nos levava ao passado
Numa quimera embelezada e intemporal
*
Olhos nos olhos, emoções, reciprocidades
Corpos tremendo, dançando, apaixonados
Como quem sonha e enfrenta fragilidades
Nesta dança especial e olhares fascinados
*
Estas vestes de fina beleza vão esvoaçando
Ao som da musica onde vamos rodopiando
Sem perder o ritmo, exigente  concentração
*
A decoração apaixonante que nos comove
Nos embriaga os sentidos...e nos promove
Nesta dança, onde o amor é a consagração.
****
Cidália Ferreira.


Trigésima quarta  (34), Edição do Poetizando e Encantando. É com gosto - apesar de atrasado - que participo com este simples poema. Espero que gostem... 

domingo, 6 de maio de 2018

Feliz dia para todas as Mães... (saudade)

Resultado de imagem para imagens de Mãe

MÃE; Hoje seria o teu dia, o nosso dia. Hoje é dia da Mãe e tu não estás! Partiste, já fez 24 anos, mas, apesar da minha ausência tu permaneces intacta no meu coração. No coração de todos nós. Sinto/sentimos muito a tua falta. Gostava tanto que visses como são lindos, os teus netos, os meus filhos. Foste uma boa Mãe, uma boa Avó, para além de uma boa Ama. Foste uma Mulher guerreira. Foste boa Mulher, boa Pessoa, isso ainda se reflecte, naqueles que ainda te recordam com um sorriso no rosto. Podem passar " mil anos", estar-te-ei sempre grata pela educação que me deste. Pela pessoa em que me tornaste. Pelos princípios que me transmitiste. Obrigada, Mãe.

Visitei-te e pedi-te, para nos iluminares o caminho...

Foto de Cidália Ferreira.
Sempre com eterna saudade.
Cidália Ferreira.
Feliz dia para todas a Mães. 

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Dançaria, se o desejasses...

Foto de Cidália Ferreira.
Dançaria  em ponta dos pés, se o desejasses
Faria desta minha triste sina a nossa alegria
Obrigava o meu corpo nesta dança de magia
Se no final, te pudesse receber e me beijasses
*
Poderão estar na escuridão meus sentimentos
Se esta dança, não me oferecer, a alegria vital
Meu corpo recente o esforço mas em pedestal
Aprecias a minha dança em brandos lamentos
*
Dançaria, só para ver teu comedido semblante
Mostrar-te-ia o interior do meu corpo, retraído
Se reconhecesses em mim um coração tolerante
*
Só tu me conheces a mente quando se entristece
Estará meu corpo relaxado, sentimento contido
Nesta dança, onde tudo ou nada, nos acontece.
****
Cidália Ferreira

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Existe em nós o indulto...

Foto minha. Cascata da Cabreira.
Existem dias...momentos...palavras, que ferem a alma.
Que ceifam alguma alegria que ainda exista,
Existem momentos de sufoco em que não se solta o grito
Outros, em que não se consegue manter a calma,
Existe um coração minúsculo onde se guardam coisas profundas
Existem as agruras que a vida nos foi impondo,
Existe em nós o indulto...
Mas existem palavras que matam lentamente
Deixando um coração dilacerado
Por pensar, quão inútil nos podemos sentir.
*
Por vezes precisamos, de um ombro amigo, que nos entenda
Que nos deixe repousar e meditar
Que nos ouça, que nos possa aconselhar,
Existe quem não entenda, ou não queira entender
Que tudo tem uma razão para acontecer,
Existem limites, e por vezes excedem-se
A calma nem sempre é amiga do coração
Mesmo que durante a solidão exista o arrependimento
E uma natureza com quem possamos falar
Existem momentos, que a tempestade, não acata à voz da razão.
***
Cidália Ferreira.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Fulgor dos raios incandescentes...

Imagem relacionada
No horizonte de um caminho iluminado
São os meus passos, a certeza, o querer
Percorrer, todo um caminho abençoado
Neste horizonte onde pretendo renascer
*
Será o caminho ou a ilusão dos sentidos
Ou o desejo, de alcançar outros desafios
Guardar sonhos, sentimentos comedidos
Pelos caminhos da emoção em calafrios
*
Nesta vereda onde não se encontra o fim
Apenas o fulgor dos raios incandescentes
O deslumbramento, despertando em mim
*
Quando ao horizonte chego e aconchego
Abraçando os meus  sonhos, tão carentes
Deslumbro-me em sentimentos de apego.
****
Cidália Ferreira