domingo, 29 de abril de 2018

Ciúme das pétalas... { POETIZANDO..}

Devaneando na alvura do meu pensamento
Rodeada de rosas perfumadas, vermelhas
A cor da paixão
Encanto que alimenta o meu coração,
As rosas oferecidas, pelo amor
Aquele amor, que me faz acreditar
Que vale a pena continuar a sonhar,
Porque o sonho comanda a vida
Tu és a minha vida, meu tudo, o meu nada
A minha forma de viver apaixonada,
*
Embriago – me, com o perfume
Fecho os olhos imagino – te chegando
Imagino teus braços estendidos para receber
Todo o meu amor,
Acredita, que das pétalas eu tenho ciúme,
Quero ver – te chegar ao meu leito
Quero partilhar contigo esta saudade
E as palavras que guardo no coração,
Devaneando, repousada na tranquilidade
Quero libertar o que vai dentro do meu peito.
***
Cidália Ferreira

Mais um dia...Mais um desafio. Trigésimo terceiro (33) Poetizando e Encantando. 
POETIZANDO E ENCANTANDO
Como não podia deixar de ser, é sempre o enorme orgulho poder interagir e colaborar poeticamente  com o Blogue Filosofando na Vida   Da Professora Lourdes Duarte. Um blogue que aconselho vivamente a visita.  Espero que, esta minha modesta participação, seja do agrado de quem passa por cá. Bom fim de semana... 

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Vida inconstante...

No baloiço que a vida me ofereceu
Tento firmar os meus  pensamentos
Elevar o olhar sorrir aos momentos
E de repente, sinto que amanheceu
*
O silêncio num obstáculo apetecido
Como escassez do sol sem presença
Que me deixa na frenética diferença
E neste baloiço, um amor esquecido
*
Vislumbro o horizonte com devoção
Onde espero, ver chegar, ao coração
A energia precisa para um recomeçar
*
O baloiço é como a vida, inconstante
Que me  permite silenciar o relevante
Em cada dia que me sinto a tropeçar.
****
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 25 de abril de 2018


'1974 - 2018' = 44 anos...  Vejam e ouçam  o video.

Resultado de imagem para 25 de abril


Por hoje é só isto. Um bom dia de feriado para todos...em Liberdade.

terça-feira, 24 de abril de 2018

Não tenho a beleza das borboletas.

Não tenho a beleza que tanto queria
Nem um coração assim tão forte
Sou como uma borboleta, frágil
E como a flor, quando murcha
Sou tantas vezes incompreendida
Sou com o tempo jogado à sua sorte
*
Por vezes, sou a lágrima, a felicidade
Sou o sol que ilumina a terra
Sou o paraíso no peito de alguém
O perfume peculiar, a lealdade
Onde tantas vezes o desdém 
Mas sempre, a palavra sincera
*
Não tenho a beleza que tanto queria
Por vezes, nem alegria no coração
Quantas vezes divago na magia 
Na beleza vincada das borboletas
Que tantas vezes voam incompletas
Deixando meu pensamento em revolução.
***
Cidália Ferreira

domingo, 22 de abril de 2018

No meu cavalo domado, galopando. {POETIZANDO}

Numa viagem pelos campos viçosos
Onde outrora brincava como criança
Na inocência e dos tempos rigorosos
Levam-me a recordar com esperança
*
Hoje a viagem é seletiva, inspiradora
E no meu cavalo domado, galopando
Imaginando, serei tua musa d'outrora
Onde tantos sonhos eu fui guardando
*
Mas nesta viagem  ao mundo virtual
Onde a solidão em campos de ar puro
Me faz gostar muito mais de ti... juro
*
Juro que esta viagem será a felicidade
Serás para mim aquela eterna saudade
Nesta viagem tão serena.. e magistral
****
Cidália Ferreira.


O Poetizando e Encantando já vai na sua trigésima segunda " 32 " edição.  Mais uma vez, ainda que, de uma forma muito simples, tenho o gosto em "abraçar" esta  brincadeira poética, esperando ser do agrado de quem me lê e comenta...Obrigada  Prfª Lourdes Duarte...

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Nunca caminharei sozinha...

Foto de Cidália Ferreira.
imagem minha
Numa caminhada por caminhos incertos
Terrenos férteis, ervas bravias, verdes
Crescendo sozinhas,
Águas caíram em dias difíceis
O tão desejado alimento
Onde as brechas deixaram de existir
Quando a chuva insistiu em cair,
Flores campestres, ervas daninhas
Que encontro nas manhãs, e pelas tardes
*
Nunca estarei sozinha enquanto caminho
Medito, olhos os campos rejuvenescidos
Ouço o esvoaçar dos pássaros
Procurando os ramos já floridos,
Os raios de sol alimentam-me a alma
Rendo-me, ao tão desejado calor
E à beleza de um tapete verdejante,
Nunca caminharei sozinha
Enquanto encontrar apenas, uma só flor.
***
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

As lembranças...

Foste embora, deixaste aquela saudade
Daquele momento onde a ti me abracei
As águas serenavam em pura liberdade
Mas apenas ao silêncio, eu me apeguei
*
As lembranças contigo são o meu apego
Os teus abraços sentidos são o alimento
Daqueles momentos belos, o aconchego
Mas quando te vejo ir... fico em lamento
*
A lua em seu esplendor me fazia cogitar
As estrelas num bailado...luzidia solidão
Como era bom ter-te nos braços e incitar
Mas foste embora, tens a minha gratidão.
****
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Folga

Imagem relacionada

Por motivos óbvios, hoje, estarei de folga.  Estarei ausente o dia todo. Vou "passear" e arejar as ideias. Não, não estou doente, é só mais uma visita à Invicta... Porto. 


Cidália Ferreira.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Bailava meu vestido, alvura acetinada.

Foto de Cidália Ferreira.
Bailava meu vestido, alvura acetinada
Ao som da musica imaginada
Aquela, algum dia oferecida
Pela mais secreta ternura
Por quem meu coração ainda suspira
E por quem me entregaria despida,
Nesta estrada... da loucura
*
Vesti-me a teu gosto em dia de sol
Acredito que vens,
Passam carros, não é ninguém
Ninguém que espere, 
Mas meu coração conformado
Quer ver-te chegar para me abraçares,
São características que sei que tens
*
Bailava meu vestido tocado pela brisa
Sorria meu rosto, ao olha-lo
Eleva-se por vaidade, um gosto meu,
Quando caminhando pelo rumo certo
Esperando que o próximo carro seja o teu
Pressinto, que de mim estás tão perto,
Momento hilariante. Ou talvez indecisa.
***
Cidália Ferreira

domingo, 15 de abril de 2018

Chilreiam os pássaros com o desassossegado violino. [ Poetizando...]

Deambulando pelo jardim, em estado outonal
Onde os raios de sol embelezam a minha alma
Sinto no cheiro das folhas perfume intemporal
Embriagando meu estado, dissipando a calma
*
Chilreiam os pássaros em cânticos tão suaves
Olho, encanto-me com tamanha graciosidade
Desassossegado violino, que ao som das aves
Chora de alegria pela fascinação em liberdade
*
As folhas esvoaçam guiadas de uma leve brisa
O banco vazio esperando outro alguém chegar
Enquanto deambulo pelo jardim... tão sozinha
*
O perfume outonal, as folhas caídas, a Poetisa
E os raios de sol iluminando este meu divagar
Onde meu olhar, espera o teu, que se avizinha.
****
Cidália Ferreira

  

Já não sei quantas vezes eu participei no Poetizando e Encantado, mas, cada vez, é como se fosse a primeira... Orgulho-me em participar. Espero ser do agrado de todos. Bom fim de semana.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Queria...

Queria... que esta viagem  fosse, além
De todos os meus  sentidos e quereres
Chegar ao destino e encontrar alguém
Que me compreendesse...sem pudores
*
Nesta viagem onde só eu posso sonhar
Mesmo que não chegue ao meu destino
Saber que meu sonho é poder acarinhar
O teu sentimento, algures... clandestino
*
Queria tanto lá chegar, onde só tu sabes
Sei que esperas, numa qualquer estação
O meu sentimento, apenas tu o percebes
Mas quero chegar e sentir teu o coração
****
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Imaginando...

Foto de Cidália Ferreira.
Imaginava eu que pudesse receber
Uma flor tua, perfumada
Num local, algures, à beira mar
Onde a brisa fosse o elixir
O pôr do sol, o encanto,
E nesse momento eu pudesse ser
A tua única amada
Onde ambos poderia-mos ficar
Até um novo amanhecer
Imaginando, o que de melhor pudesse vir
*
Imaginava eu que pudesse acontecer
Aquele carinho um dia prometido
Aquela flor imaculada
Recebida, das tuas mãos abençoadas
Ver o teu rosto sorridente
E teus olhos, como a minha perdição,
Onde por vezes, tão deprimente
Sinto os impulsos do meu coração
Imaginando,
O que entre nós pudesse ter acontecido.
***
Cidália Ferreira.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Memorias partilhadas.

Resultado de imagem para imagens escrevo
São as recordações de uma vida intensa
Memorias boas, sem o direito ao retorno
Vidas partilhadas e momentos de adorno
Causando em mim uma saudade imensa
*
Neste mundo louco em que me obedeço
Entre palavras, sentimentos de saudade
É a escrita, entrelinhas duma realidade
No qual sinto por vezes, que enlouqueço
*
Todas as recordações que tento escrever
Existem algumas que provocam tristeza
Cai a lágrima, são emoções com certeza
Mas apenas o bom me faz seguir e viver
*
Já não tem conta, as palavras que redigi
Sem endereço, apenas para meu coração
Saber que tantas vezes é triste, a emoção
Mas continuarei a escrever apenas por ti.

****
Cidália Ferreira.

domingo, 8 de abril de 2018

A vida sem a natureza jamais fará sentido (Poetizando...)

O dia acabava de nascer, era a Primavera
Num dia solarengo, emoções perfumadas
Corria eu, em direção a qualquer quimera
Para te ver e oferecer-te flores mestiçadas 
*
Como são belos, estes momentos de amor
O meu coração rejuvenesce, doce loucura
São as flores, o balsamo, frescura, o calor
Que procuro pelos campos nesta aventura
*
Seguro com a convicção um ramo, fuschia
Entre tantas, escolhi o tom do meu vestido
E corria alegremente para a tua companhia
*
O sol esplendoroso provoca-me a exaltação
A vida sem a natureza jamais fará sentido
Por isso, corro, sorrio, dou asas ao coração.
****
Cidália Ferreira
*
POETIZANDO E ENCANTANDO

Começa a ser um "vício" muito bom, este, de esperar pelo fim de semana, para poder interagir/Poetizar, com o blogue da Amiga e Prfª Lourdes. Não é uma competição, mas sim uma "brincadeira" saudável no qual me orgulho em participar, esperando, ser do agrado de quem me lê. Obrigada.

sábado, 7 de abril de 2018

Anoiteceu, e acendeu-se a luz do afecto

Foto de Cidália Ferreira.
Anoiteceu, a chuva  por enquanto parou
As nuvens afastam-se  e não há estrelas
Acende-se uma luz, parece que iluminou
O caminho que piso, pintado a aguarelas
*
Anoiteceu, mas um denso nevoeiro traz
Recordações de uns momentos tão bons
E o tempo ameno que tanto me satisfaz
Porque a noite, é pintada em vários tons
*
Anoiteceu, e acendeu-se a luz do afecto
A chuva deixou de cair. Tudo se silencia
Partilho, por desejo meu, o mesmo tecto
E coisas do coração, em clara evidência.
****
Cidália Ferreira.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

O Mar; a minha inquietação...

Resultado de imagem para imagens escrevo
É o mar, meu ilusório e sentido pensamento
As ondas, são o meu alimento
A minha fortaleza
A minha inquietação
O desejo de todos os desejos
Onde talvez te possa encontrar
E poder dizer tantas coisas
Por muitas que já tenha dito,
E quando o pôr-do-sol acontecer
Quero-te presente em mim
No meu desejoso pensamento
Para te oferecer os mais longos beijos
*
Quero deixar pegadas na areia molhada
Mas ao teu lado,
Quero olhar-te, dizer que és o sol
Que me ilumina, até nas tristezas,
Quando as ondas revoltas se aproximam
As lágrimas surgem
Como o areal molhado aos meus pés,
Mas fortalecem-me,
Sabendo eu, o que para mim és
És o mar calmo, as gaivotas que voam
O equilíbrio, o meu momento endiabrado
Onde me rendo, num pôr-do-sol encantado.
***
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Quimera em destempo.

Foto de Cidália Ferreira.
Nesta quimera volto aos tempos de menina
Onde tantas coisas  eram de pura inocência
Brincadeiras sem malícia, outra adrenalina
Tanta coisa se fazia numa outra resistência
*
Era a liberdade pelos campos sem maldade
O sossego nas horas em que não se via gente
A fragrância que respirava-mos na verdade
Era o mais puro daquele tempo tão inocente
*
Onde as brincadeiras eram puras, saudáveis
As flores dos arvoredos, eram a imaginação
E o silêncio sem poluição, eram respiráveis
*
Ai quem me dera voltar atrás, noutro tempo
Ver como eram belas as flores na Primavera
Nesta fantasia que me invade, em destempo.
****
Cidália Ferreira.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Saudade mútua...

Resultado de imagem para gotas de saudade
Escorrem-me na alma as gotas do teu suor
Daquela saudade imensa
É como ver o mar e não poder entrar
Para que meu corpo se pudesse libertar
Desta saudade verdadeiramente intensa
Como intensa é essa tua natureza
Fazendo do teu suor, o meu desejado licor
*
São as gotas do teu carinho verdadeiro
Que entre mares e marés, sobrevivem
Como as que crescem na primavera
E que se renovam a cada ano que passa
Nas águas límpidas, qual afecto sincero,
Neste mundo, onde és minha quimera
Vagueando por folhagens de amor primeiro
*
Escorrem-me na alma as gotas de liberdade
Onde as podes interpretar como quiseres
Porque neste sonho adormeço e acordo
Abro os olhos e relembro com saudade
A beleza do mar e da natureza, que é a tua,
Espalhando gotas do teu suor, onde estiveres
Para que eu possa sentir essa saudade mútua.
***
Cidália Ferreira

domingo, 1 de abril de 2018

Para o quatro cantos do Mundo : PÁSCOA FELIZ.

Resultado de imagem para imagens da pascoa

Mais palavras para que?! Desejo a todos os meus familiares e amigos, e amigos virtuais, dos quatro cantos do Mundo, Uma Santa e doce Páscoa, que seja extensivo a todos os que vos são queridos. Com:          
~~~~~~~~~~~~~~~~
Paz
Amor
União
Harmonia
Renovação
Fraternidade
Generosidade 
Lealdade 
Perdão
e
Muita
Compreensão.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Hoje em especial, é dia do Aniversário do meu neto Guilherme. (Mano da Bruna) 1 aninho . 
Foto de Cidália Ferreira.
Foto de Cidália Ferreira.
Que sejas sempre muito feliz meu Anjo. Os Avós Amam-te muito. Não podemos estar presentes neste dia especial, mas estás/estão, sempre no nosso coração. Muitos Parabéns, beijinhos daqui até aí...
Imagem relacionada

Cidália Ferreira