sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Deambulando pelas margens do passado.


Deambulava pelas margens do passado
Apreciando as águas  como um espelho
Conversando sozinha, talvez ter errado
Por não te ouvir e seguir o teu conselho

Esperava-te como  quem esperava o sol
Enquanto escutava as águas no ondular
Nos reflexos escrevia teu nome, em prol
O que existe entre nós, não pode acabar

No local onde me encontro tão sozinha
Posso gritar e desabafar, por voz minha
Ninguém ouve um coração em carência

São amargas as lágrimas que deixo cair
Por gostar de alguém e nunca vou trair
Deambulava pelas margens da vivência
****
Cidália Ferreira.

27 comentários:

  1. É bom deambular pelas margens do passado, se estas margens não forem muito íngremes.
    Um belo poema minha amiga.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. As "margens do passado" a trazerem a mágoa da ausência com que se fazem as palavras deste soneto.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Brillhante!!! Um deambular pelas palavras e emoções dum forte e belo poema! Parabéns Cidália, uma inspiração fantástica num espelho de água e seus reflexos. Um abraço e um feliz fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Lindíssimo!!!! Abençoado final de semana!!!!!!!!!!! Beijos

    ResponderEliminar
  5. As vezes a margem do passado nos trazem tristeza, mas que serve para uma grande experiência vivida.
    Beijos Ci, bom final de semana

    ResponderEliminar
  6. Que lindo soneto, acho que já o li por aqui, pois é, me lembrei, amei ler amiga Cidália!
    Abraços e tenhas um lindo dia!

    ResponderEliminar
  7. "Ninguém ouve um coração em carência"
    Maravilhosas suas palavras.
    bjs amiga Cidália e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  8. Uns dizem que quem espera desespera...Outros que quem espera sempre alcança...Vá lá saber~se quem tem razão
    Olha razão penso ter eu se disser que o poema esta maravilhoso, lindo de ler
    Bjo

    ResponderEliminar
  9. Esse correr de lágrimas amargas é triste, mas desencadeador de um excelente soneto.
    O desabafo connosco próprios também é essencial.
    Muito belo!
    Bom fim de semana, Cidália!
    xx

    ResponderEliminar
  10. Triste amiga, mas a vida também tem muita tristeza e a poesia é também vida.
    Beijinhos.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  11. Mais uma «Obra prima» gritada ao amor.
    Esta nossa poetisa, não se cansa de dizer e nos dar, coisas bonitas.
    Feliz fim de semana, Amiga.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. a ausência causa sempre mágoa.
    um soneto melancólico e um pouco dorido.
    bom fim de semana.
    beijos
    :)

    ResponderEliminar
  13. Um primor este seu poema gritando pela ausência do amado
    Um bom final de semana
    Beijos

    ResponderEliminar
  14. É muito triste não vale a pena tanto sofrimento, bom final de semana.
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=EgeQXJjUpSQ
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  15. Deambular pelo passado traz melancolia mas também muita inspiração como prova o seu belo poema.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  16. Mais um lindo poema num deambular forte e sentido.
    Bom fim de semana
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. As tristezas tem que ficar no mar do esquecimento, Cidália linda a poesia, beijos.

    ResponderEliminar
  18. Bom fim de semana amiga, apesar da chuva, é o que lhe
    desejo.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  19. Pasear por las orillas del pasado y recostarse en los ayeres.

    Me parece tu blog precioso.

    Un beso dulce de seda.

    ResponderEliminar
  20. Uma feliz surpresa tive aqui, Cidália! Amo poesia e vc escreve lindos versos.
    Volto para saboreá-los mais e melhor.
    Vou seguí-la, para não mais perdê-los.
    Beijos agradecidos pela gentil visita.

    ResponderEliminar
  21. Sempre lindos os seus poemas, sendo eles tristes ou alegres. Adorei este!!!

    Bom fim de semana...beijos...visite...http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  22. Olá, Cidália!

    Espero que esteja bem. Aqui, tudo normal, excetuando o mau tempo.

    Esta "coisa" de deambular, passear pelas recordações, nem sempre é mto positivo e agradável, pke todos os passados têm coisas menos boas.

    Não pense, a minha amiga, que todas as pessoas têm pretéritos dourados, não, todos temos um "Mar Negro", ou menos negro, atrás de nós, k, por vezes, nos inunda e perturba o pensamento.

    O seu eu-lírico não aceitou os conselhos do amado, mas, agora nada há a fazer, portanto, vamos sorrir e continuar, pke amanhã é outro dia.

    Bom domingo e excelente semana.

    Beijos, com muita estima.

    ResponderEliminar
  23. Boa noite Cidália, um belo soneto, amiga!
    A mágoa nas palavras que percorrem as "margens do passado".
    Beijinhos e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderEliminar