terça-feira, 14 de abril de 2015

Pousavas como a borboleta sem dono.

Pousavas como a borboleta sem dono
Esvoaçando na tristeza do sofrimento
Sobre caminhos proibidos, abandono
Dos afectos em pureza do sentimento

No silencio da carência  tu chegavas
Qual borboleta transbordando ternura
Que ao procurar a luz, tu despertavas
Meus sentidos  guardados  por tortura

Elas esvoaçam de alegria ao encontrar
Meu coração solitário, que por te amar
Deixa que entres e me dês tua atenção

E as estrelas que te seguem no caminho
Fazem do teu imaginário,o meu carinho
Qual borboleta pousando na minha mão.
****
Cidália Ferreira.

20 comentários:

  1. Borboletas esvoaçando e,trazendo alegrias e muita ternura.
    Lindos poetar amiga Cidália.
    bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  2. Que lindo poema Cidália! Amo borboletas, e está apaixonada nos faz senti-las no estômago, e o que dizem!...
    Escreves muito bem, e estás de parabéns com teu blog!
    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Marco Aurélio - Brasil13 de abril de 2015 às 14:58

    A associação entre a pessoa amada e a borboleta é mesmo uma coisa muito romântica.... por que será???
    Será que é por causa da beleza???/

    ResponderEliminar
  4. Ai ai borboletas a pousar
    Ai ai que não sei não
    Se ainda acabam por ficar
    Castelo Branco na tua mão
    ~.....
    Mais a sério. Parabéns pelo sedutor e fantástico poema
    .

    ResponderEliminar
  5. Carência não é fácil, mas vamos superando!!

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  6. "No silencio da carência tu chegavas
    Qual borboleta transbordando ternura"

    Linda imagem o poema nos traz.
    abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
  7. Lindo soneto, sobrevoado pelas borboletas. Um poema muito primaveril!
    xx

    ResponderEliminar
  8. Oi Cidália,
    Borboletas são sonhos coloridos
    Amei a postagem
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Lindo, as belas borboletas representam muito bem as carências, elas vivem em busca da luz!
    Amei ver e ler linda amiga!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  10. Lindas borboletas, a colorir o fantástico poema!!!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  11. Lindo, lindíssimo.

    As borboletas sabem de cor os caminhos do coração, por isso pousam de forma tão esplendorosa e com toque tão sutil.

    Ótima semana para você, Ci(dália)!

    ResponderEliminar
  12. Que maximo este sonete estar encantador amei.
    Canal: https://www.youtube.com/watch?v=B_PCR9rMnVk
    blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  13. Oi Cidália, que lindo soneto, com a inspirações das borboletas, gosto de borboletas. Bjs

    ResponderEliminar
  14. Lindoo!! Gosto de borboletas**
    beijinhoo
    http://mypreciouspace.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Nem sei que te diga amiga Cidália! Este poema está um assombro...o esvoaçar das borboletas e as emoções pairando no ar, deixaram-me encantada! AMEI...esta imagem merece igualmente um louvor...muitos beijinhos e cada vez mais este teu cantinho é de visita obrigatória.

    ResponderEliminar
  16. Feliz terça-feira!
    Que lindo seu poema, mais parece uma declaração de amor, mas na verdade é uma declaração da saudade que fica quando temos lindas recordações.
    Grande abraço e muito obrigada pelas visitas ao Perseverança.
    Nicinha

    ResponderEliminar
  17. soneto que o autor nas borboletas, arranjou inspiração...

    :)

    ResponderEliminar