quarta-feira, 18 de junho de 2014

Procurar o amor que nasceu entre pedras.


Procurar o amor que nasceu entre pedras
Natureza raiando, e uma solidão constante
Num turbilhão de emoções, ficaram esperas
Vagueando pela mente de um amor cativante

Sozinha, olhava o horizonte ao cair do dia
Batiam ondas agitadas no seu murmurando
Não te encontrei, entristecida pelo que sentia
Fiquei nas pedras, como em poesia, pensando

Melodias passageiras que me deixam saudade
Dos meus momentos ternurentos, uma verdade
O sentir do teu carinho, despertava meu coração

Foram estes instantes, de pequenos momentos
Em que dividíamos todos os bons sentimentos
Brincávamos, nos nossos momentos de solidão.

*****
Cidália Ferreira

13 comentários:

  1. uma saudade presente em todo o soneto.
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
  2. O amor pode nascer nos mais diversos lugares..Linda poesia! bjs,chica

    ResponderEliminar
  3. Essa dorzinha da saudade sempre rende poesias lindas :)

    ResponderEliminar
  4. Saudades que bate nesse coração tão apaixonado.
    Linda poesia amiga Cidália.
    bjs
    Carmen Lúcia

    ResponderEliminar
  5. As coisas boas a gente sempre vai levar no coração e na memória.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  6. Oi Cidália, tá difícil entrar no seu blog, cada hora entra outra coisa. Essa é a quarta vez. Nunca vi isso e faz tempo....
    Uma linda poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  7. E não existe brincadeira mais gostosa do que esta que fazemos nos momentos mais solitários...
    Lindo poema, Cidália!
    Grata por seu carinho sempre.

    Gostaria de saber da tua Cris. Ando sentindo muito a ausência dela. Podes me enviar por e-mail

    maluccat@hotmail.com

    ResponderEliminar
  8. pois é amiga quando bate a saudade...ha lagrimas ,desilusões,sofrimentos= a lindos pemas

    ResponderEliminar
  9. Ai as saudades...matam!
    Lindo.

    Bjus

    Fátima Gonçalves

    ResponderEliminar
  10. Olã Cidália:
    Maravilhosa mensagem (saudade).
    Já foi dito e eu repito, o amor é lindo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Quase ao virar da folha
    Abri um belo poema
    Que faz brilhar
    A saudade
    Mas que nos transmite pena

    Pena em não ver encontrado
    O sentimento perdido
    E em busca da pessoa amada
    A poetiza, já molhada
    Deixa escapar um sorriso

    Eu próprio um dia busquei
    Nas rochas algo perdido
    Mas procurei, procurei
    Todo molhado fiquei
    Achei não fazer sentido

    Então mergulhei nas ondas
    E lá no fundo do mar
    Vi a luz vinda das brumas
    Logo a tentei agarrar

    E vi então, que afinal
    O que saía da gruta
    Eram sonhos a brilhar
    O que me fez pensar muito
    E não voltar a pescar.....

    Amiga
    Adorei, mais este, poema
    À beira mar plantado
    Um local de Inspiração
    De um sentimento encontrado .....

    - Beijinho e Feliz quinta feira !!!!!

    ResponderEliminar
  12. Oi tia Cidália
    Obrigada pelo carinho
    Linda noite
    Beijos
    Mundo dos Inocentes

    ResponderEliminar