domingo, 30 de outubro de 2016

Na estrada da vida eu perdi, talvez.

As nuvens parecem voltar outra vez
Ao meu encontro, trazem tristeza
Sentimento de revolta, quanta culpa,
Avisto ermos solitários, tão escuros
Cheira a solidão com frieza,
Quando meus olhos do horizonte
Sentem o vento que sopra em meu peito
Meu rosto não consegue sorrir sozinho
As nuvens trazem dureza, respeito,
Na estrada da vida, eu perdi, talvez.
.
Talvez as nuvens não gostem de mim
Seguem meu coração, que entristece
Nesta caminhada onde tudo me acontece
Deixo de fazer sentido... vou embora,
No coração levo mágoas incompreendidas
E tantas recordações de outrora
Onde teu carinho era meu amanhecer
Qual sol, iluminando meu coração,
As nuvens voltaram a emudecer
E este corpo, invisível, caindo na solidão.
***
Cidália Ferreira,

15 comentários:

  1. MAIS UMA DE SUAS PÉROLAS TRISTES,QUERIDA AMIGA CIDÁLIA!

    LINDO DEMAIS! SERÁ QUE A TRISTEZA INSPIRA MAIS?

    CHEGUEI AQUI PORQUE SEU BLOG ESTÁ NA MINHA LISTA DE FAVORITOS À DIREITA E RECEBO SUAS ATUALIZAÇÕES!

    SOU A PRIMEIRA A COMENTAR!

    FELIZ FINAL DE SEMANA COM PAZ PROFUNDA!

    BEIJOS SABOR CARINHO

    DONETZKA
    Blog Magia de Donetzka



    ResponderEliminar
  2. Mais um bonito poema.
    Tenha um ótimo domingo!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  3. Melancolia e saudade neste excelente poema.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia amiga!
    Mais um belo poema carregado de emoção!
    Abraços
    Dan

    http://pensamentosdeumhomemgago.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  5. Cidália,
    Nesse seu poema sinto uma infelicidade sem fim. Tem que reconquistar a felicidade, um dia de cada vez
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  6. Amiga Cidália,quanta tristeza nesse seu poetar!
    Lindo,mas com palavras que nos entristecem.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  7. Cidália, na estrada da vida não perdes-te, nem nós, ganhamos belos
    poemas teus, como este, és uma poetisa e tanto minha amiga, bjs

    ResponderEliminar
  8. Bom dia
    Há dias precisamos de uma ventania forte que nos abane e que nos acorde deste sofrer de indiferença e esquecimento.
    Se existem tantas coisas boas porque paramos a olhar o passado???
    Boa Semana e óptimo dia de Todos os Santos e do Bolinho.

    ResponderEliminar
  9. Gostei muito , a sério.

    Mas não desanime e vá em frente, Ci

    Beijinhos amigos

    ResponderEliminar
  10. Imagem contundente, que reforça o teor melancólico do poema, fiel ao teu estilo: simbiose de paixão e natureza, produzindo como sempre um belo efeito sobre o leitor.
    Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana, cara amiga Cidália.

    ResponderEliminar
  11. Que fazer se as nuvem tecem castelos desencantados no olhar? Um poema cheio de melancolia e beleza, minha amiga Cidália.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. Querida Cidália, regressaram as nuvens carregadas de mágoa mas elas são passageiras..basta acreditar!
    Poema triste, solitário, amargurado mas carregado de forte sensibilidade e muito bem elaborado. A imagem está em perfeita sintonia.
    Desejo que continues a caminhada com esperança que o sol regresse e que com as pedras que apanhares, construas um lindo castelo.
    Muitos beijinhos e dia feliz

    ResponderEliminar
  13. Cidália mais uma vez um show de poema muito bonito, um poema maravilhoso com palavras que encantam, Cidália bjs.
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  14. Nostálgico, profundo e belo poema
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  15. Hoje também estou assim: triste.

    Beijinhos

    ResponderEliminar