sexta-feira, 15 de novembro de 2013

"Perdida no meio do nada"

Pedida no meio do nada,
Sem rumo,  desorientada,
Por estradas, encruzilhadas,
Caminhos sem saída...
Vou andando lentamente,
À espera que passe gente,
Que guie meus pensamentos,
Que entristecidos "caminham,"
Numa solidão constante,
Contigo no pensamento,
Nossos destinos traçados,
Dividimos sentimentos,
Por entre histórias iguais,
Vidas diferentes, delicadas,
Onde tudo são tormentos,
E por momentos, 
 palavras...
...Que podem ser fatais!
*****
Cidália Ferreira

15 comentários:

  1. Nessa estrada perdida, palavras podem ajudar ou ser fatais! Linda inspiração! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Adorei seu texto.

    Seguindo, retribuí?
    http://www.wondermarcelo.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Cidália, lindos versos, sim as palavras elevam ou matam, em momentos tensos seria bom o calar!
    Abraços e tenhas um lindo dia!

    ResponderEliminar
  4. Bom dia querida Cidália!

    Que belo! Perdida no meio do nada, é um texto profundo e muito bonito,
    Uma inspiração preciosa. Parabéns!

    Uma manhã-feliz!

    Maria Machado

    ResponderEliminar
  5. Linda inspiração amiga Cidália!
    Perdido no meio do nada,às vezes é preciso procurar o caminho,
    sempre haverá uma luz no fim desse túnel.
    bjs amiga
    Carmen Lúcia.-mamymilu

    ResponderEliminar
  6. Querida amiga que bem me fizeram as tuas palavras.
    Obrigada do fundo do coração por caminhares do nosso lado, mesmo sem eu ter tempo de retribuir. Ai se o tempo me desse tempo...mas o tempo não para!
    Desde o último post, nunca mais tive oportunidade de vir à net. Hoje não vim postar mas sim dar notícias aos amigos que nunca se esqueceram de nós.
    A luta por aqui continua. Segunda-feira o meu marido foi submetido a mais uma cirurgia e já tem outra marcada. A situação é delicada, mas continuamos firmes, sem baixar os braços à espera de um final feliz. Quarta-feira a filhota mais nova também foi submetida também a uma cirurgia.
    Vou gerindo o meu tempo em hospitais diferentes, com localidades diferentes, tentando não negligenciar os outros três filhotes. Por enquanto precisava que o dia tivesse 48 horas, mas um dia a tempestade acalmará e estaremos todos unidos como antigamente..
    Um grande beijinho de coração com amizade
    Vivi

    ResponderEliminar
  7. Mais um poema seu muito bom. Desejo-lhe um bom fim de semana.Bjs.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  8. Há mesmo palavras fatais...no bom e no mau sentido.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Quem procura sempre alcança...não se pode desanimar perante os percalços da caminhada

    Deixo abraço

    ResponderEliminar
  10. Existem caminhadas muito solitárias e às vezes existem palavras que nos podem atirar ao chão, contudo não podemos desesperar; o amanhã será sempre melhor, mesmo que pareça difícil.
    Um poema muito bonito, e é como digo, os tristes são sempre mais profundos que os alegres.Eu pelo menos quando estou alegre nem me apetece escrever nada, tenho mais que fazer...:-)
    xx

    ResponderEliminar
  11. oi Ci

    às vezes a caminhada parece longa e solitária, mas Deus está no comando de tudo.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  12. e nesta triste reflexão há a beleza de seus versos.
    um feliz fim de semana para ti.
    abração com carinho

    ResponderEliminar
  13. Oi Cidália!
    Nada de ficar na estrada perdida. Arrume uma razão para viver feliz!
    Sei que é apenas uma poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  14. Lindo. Gostei imenso destas palavras mágicas........

    ResponderEliminar
  15. Querida Cidália
    Se caminhamos com alguém no pensamento, já é um óptimo sinal.
    Que belo poema que tão bem retrata o ser humano, em certros momentos da vida.
    Parabéns.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar