quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Tempos nefastos ...

No chão ressequido das amarguras
Chovem apenas gotas contadas
Mesmo que as nuvens sejam carregadas
Não chegam, para brotar a natureza,
Que envelhece, nada se consegue fazer
Para que volte e mesma beleza
Folhagens verdes, encantadoras
O cheiro natural sem poluição
E que se afastem todas as agruras
*
Caem uns pingos mas o que importa
Se os ventos os roubam à terra
Não deixam que as águas se entranhem
Que faça do horizonte um esplendor
Mesmo que esse, seja a serra,
Os momentos sadios acompanhem
Os que procuram no silêncio
Momentos de frescura, pureza e paz
Mas é nefasto, este tempo voraz
***
Cidália Ferreira.

38 comentários:

  1. Um belo poema minha amiga, gostei e aproveito para desejar a continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  2. Lindo e intenso,Cidália! bjs praianos,chica

    ResponderEliminar
  3. neste momento o poema associa-se ao tempo que faz no sul ! precisamos de chuva :)
    lindos versos Cidália,
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Acreditemos que amanhã tudo vai renascer!
    Bonito poema , como sempre.

    Beijinhos Cidália

    ResponderEliminar
  5. Um poema forte e bem construído... Versos que vêm do coração ardente...
    Muita paz e o meu carinho

    ResponderEliminar
  6. Lindo poema, Cidália. Um dia a chuva há de vir e romperá esse ciclo de degradação. Ao contrário daí, aqui o calor está insuportável e as tempestades assustadoras.

    Beijinhos e obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  7. Olá:- Não deixe o seu coração correr o caminho das amarguras. Ele não merece.
    .
    Cumprimentos

    *** Silêncios Imerecidos ***

    ResponderEliminar
  8. Pior será sim a amargura,
    causadora de sofrimento,
    de quem afasta a ternura,
    não sendo culpa do tempo!

    Continuação de boa semana amiga Cidália.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Terra massacrada pela crueldade humana.
    Gostei muito deste poema dedicado à mãe natureza.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Oi Cidália
    Tenta esquecer dessas agruras, pois Deus ouve o clamor de seus filhos.
    Uma triste lembrança e, com certeza que nesse solo o verde brotará em abundância.Deus ouve os clamores, mas tudo tem o tempo certo.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  11. Mais um belíssimo poema, sempre tão inspirada! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  12. Boa noite Cidália,
    Lindo poema!
    Tenhamos esperança em horizontes mais verdejantes.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  13. Cidália mais um lindo poema tocando os nossos corações, muito belo, Cidália bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  14. Chegamos a meio da semana cansados, lemos este poema e ganhamos forças para continuar a semana :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. São realmente nefastos, estes tempos. Mas é preciso não perder a esperança, de que um dia a humanidade mude de rumo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  16. Que esses tempos nefastos passem rapidamente.
    Profundo e belo poema.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  17. Bonito mas algo triste este poema.
    Beijos

    ResponderEliminar
  18. Mas não podemos perder a esperança...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  19. Oferece-me dizer:- Agitados sentimentos poéticos transcritos pelo "grito" da alma.
    .
    Beijinho
    --
    » » A-Dos-Cãos... aldeia de bons e elogiáveis costumes. « «

    ResponderEliminar
  20. Os tempos são na verdade nefastos, poluídos.
    Gostei imenso do poema, é magnífico.
    Cidália, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  21. Os tempos estão nefastos mesmos.
    Boa continuação de mês.

    ResponderEliminar
  22. De facto, temos um inverno atípico, sem chuva...
    Porém, quando ela começar a desabar, vai ser
    um 'Deus nos acuda'...
    Um texto muito pertinente e bem poetizado.
    Beijinhos
    ~~~~
    *

    ResponderEliminar
  23. Cidália,
    A poesia tem esse poder
    de passar sentimentos
    em palavras.
    Sentido poema.
    Bjins de sexta feira
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  24. Lindíssimo poema que enfatiza um tempo de amargor na terra tristonha e calcinada. Minha reverência, caríssima Cidália, e um afetuoso abraço com votos de excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  25. Bravo amiga!! Um poderoso poema com emoções e palavras ao mais alto nível!
    Posso estar dias sem aqui vir mas quando venho é um prazer ler e sentir.

    Muitos beijinhos e um ótimo fim de semana

    ResponderEliminar
  26. A Cidália deixa um alerta para os sinais que ameaçam a humanidade na sua poética sensível e bela.
    Obrigado pela visita ao meu lugar onde despenteio palavras com alguma brusquidão.
    Bj.

    ResponderEliminar
  27. A Cidália deixa um alerta para os sinais que ameaçam a humanidade na sua poética sensível e bela.
    Obrigado pela visita ao meu lugar onde despenteio palavras com alguma brusquidão.
    Bj.

    ResponderEliminar
  28. Um poema, que é também um grito de alerta... para uma maior consciencialização da acção do homem, na Natureza... que estes tempos nefastos... sirvam de lição futura... e tragam a possibilidade de existência de um mundo melhor, para as gerações vindouras... em vez de um pesado legado... de destruição e poluição...
    Gostei imenso, Cidália! Beijinho! Logo mais, virei espreitar os restantes posts que por aqui, mais recentemente se me escaparam!...
    Ana

    ResponderEliminar

A vossa visita e comentário é o balsamo que alimenta a minha alma...Muito obrigada. Todos os poemas expostos são de minha inteira autoria, no que, apenas deverão ser partilhados com os devidos créditos da Autora: Cidália Ferreira (eu) 😘