terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O dia acabava, não te consegui encontrar

Resultado de imagem para imagens romanticas
Ondulam suavemente ao cair da tarde
As águas, no seu dourado predominante 
Sente-se a aragem sussurrando em silêncio
Nas margens, que afloram sentimentos,
Ouvem-se ecos da tua voz que alimento
Numa procura em doçura constante 
Sobre pequenos espaços da natureza
Onde medito sobre mim, sobre ti, sobre nós
Esperando serenamente pelo momento
.
O dia acabava, não te consegui encontrar
Segui o rasto do teu perfume deixado no ar
Silenciando meu coração que esperava,
Imaginava tua voz, doce, meiguinha
Sussurrando ao meu pequeno coração,
E no silêncio deste rio onde o sol se pôs
Soprava a brisa fresca, quanta beleza
Suavemente um fascínio de ondulação,
Ao cair da tarde, aqui, por ti quero esperar.
***
Cidália Ferreira

21 comentários:

  1. Que soberbo poema e que imagem inspiradora sentindo as águas ondulando!!!! Magnífico amiga, poema maravilhosamente escrito e com uma magia ímpar e pessoal!
    Já na recta final da semana natalícia, desejo que o teu espírito esteja feliz. Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Lindo um belo poema minha amiga, gostei bastante.
    Um Santo e Feliz Natal.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
  3. Cheio de carinho, o poema, como é seu jeito, Cidália...
    Um Natal BOM e um Ano Novo MELHOR.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Olá Cidália.
    Gostei do seu poema. Um belo poema. Parabéns
    Feliz Natal e Ano Novo.
    Abraços.
    Pedro.

    ResponderEliminar
  5. Um poema doce como você amiga Cidália!
    Adorei.
    Bjs,obrigada pela visita e um Feliz Natal junto aos seus familiares.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  6. Magnifico poema! Gostei muito
    Desejo um Santo e feliz Natal, um excelente 2017.
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  7. Quando a brisa enternece e o Sol se esconde
    Terminando a cair como por medo
    A noite vai trazendo algum segredo
    Segredando o lugar, sua força e onde

    Nosso amor renasceu. E que se sonde
    Os mistérios de nosso sonho ledo
    Que virá como espécie de arremedo
    Desfraldado no topo visto em fronde.

    O amor vem com o vento vem com a brisa
    Bate ao peito por baixo da camisa
    E por baixo da pele ao coração.

    E o amor no memento se eterniza
    Entre o dia e a noite, na divisa
    Da loucura do sonho e da paixão.

    Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar
  8. Um poema doce, sedutor, maravilhoso

    Beijuuuuuuuus

    ResponderEliminar
  9. Numa procura em doçura constante é assim que acontece, procuramos em uma procura é isso que faz o amor, Cidália bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  10. Fantástico poema, como sempre aqui leio!!!Parabéns

    Venho desejar um Natal Feliz e um ano de 2017 repleto de paz e coisas boas.

    Beijinhos - http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Bom dia Cidália,
    Um poema lindo. Terno e doce.
    Feliz e santo Natal.
    Excelente 2017!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  12. Olá minha Amiga.
    Mais um poema muito bonito!! Adorei esta cor suave do blogue. As mudanças são sempre boas.

    Desejo-te um excelente Natal e um Ano novo cheio de prosperidade.
    Beijinhos, e tudo de bom para os teus filhotes.

    ResponderEliminar
  13. Ci
    um poema cheio de carinho e nostalgia.
    aproveito para deixar votos de um santo e Feliz Natal.
    beijos
    :)

    ResponderEliminar
  14. Ah que lindo!
    Aproveito para desejar a si e à sua família festas felizes com muita saúde.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. E quem espera, desespera. Mas sempre alcança...
    Excelente poema, gostei muito.
    BOAS FESTAS, querida amiga Cidália.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  16. Arrasou Nesse poema ,amei sua foto no topo do blog está linda Beijinho.

    ResponderEliminar