quarta-feira, 18 de março de 2015

Sou a labareda que queima...

***///***
Sou a labareda que queima
Sou o carinho que entretém
Sou a saudade do dia a dia
E descontentamento também,
Sou a revolta das horas perdidas
Das vitorias mal concebidas, 
Sou o desalento do meu coração
Que arde por águas proibidas,
Sou tristeza onde me escondo
Por mágoas e outros tormentos
São puros os sentimentos
Que vagueiam por minhas palavras,
Sou refugio dos meus pensamentos
O anseio, desejo e saudade
Que navega sempre à deriva,
Sou labareda que sempre te aquece
E no meu imaginário sou tua diva
Sou quem gosta de ti de verdade.
Sou a labareda que nunca te esquece.
****
Cidália Ferreira

15 comentários:

  1. Simplesmente maravilhoso Cidália.
    Esse Sou é viajar dentro d'alma do amado.
    bjs amiga Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  2. Que lindo, sua alma se reflete nos belos versos, pois és mesmo a cronista do coração!
    Amei ler linda amiga, ser a labareda que queima e nunca esquece o grande amor!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  3. Muito lindo e doce poema.
    Retrato de um sentimento sensível como só, quem o é, pode transpor através de um teclado.
    Parabéns amiga......mais um lindo poema.
    Beijinho e feliz continuação !!!!!

    ResponderEliminar
  4. Que lindo Cidália!
    Não sei de onde vem tão belas inspirações! amei.
    Beijos,
    Mariangela

    ResponderEliminar
  5. Que labareda maravilhosa.
    Adorei esta inspiração!!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Intenso e lindo fogo em versos! bjs, chica

    ResponderEliminar
  7. Fantástico título e bela inspiração ...uma auto definição da tua alma...és labareda que queima, carinho que entretém, a saudade e mais...refugiaste-te nos teus pensamentos e soltaste palavras, rimas e emoções neste cantinho em forma de lindíssimo poema...adorei...um beijinho gigante para ti e continua assim...uma labareda de "calor humano"

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde, faltou escrever que também é inteligente e uma perfeita poeta.
    AG

    ResponderEliminar
  9. Oi Cidália,
    Êta labareda que aquece o corpo e o coração
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  10. Belo poema, Cidália. Uma labareda que nunca se há-de extinguir!
    xx

    ResponderEliminar
  11. Ou seja: És fogo que arde sem se ver.....

    Gostei muito do poema. Muito bem elaborado, com sentimento e muito...calor
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Bela declaração de amor, amiga Cidália. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite.

    ResponderEliminar
  13. Como vc diz as vezes nos meus poemas.... quentinho... gostei! rsrsrs
    Bjusss

    ResponderEliminar