quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Olho as montanhas, sem cor

****
Acinzentado, é o meu pensamento
Envolvido na chuva que dá tréguas,
E a neblina envolta
Das árvores despidas,
Fizeram as despedidas
Nos meus pensamentos à solta,
Sinto-me a deambular
Na frescura que anda no ar,
Onde regressa a saudade
Da melodia feita em liberdade
Que me acompanha a cada momento
*
Olho as montanhas, sem cor
A neblina desceu à terra,
Cheira a molhado
Tudo está almejando o sol
Acompanhado
De uma brisa suave,
Mas, de pensamento envergonhado
Deambulando sozinho
Sem o arco-íris do amor
Que me acompanhe no caminho
Para encontrar um lugar, de ameno calor
****
Cidália Ferreira.

31 comentários:

  1. Um poema outonal, mas mesmo sem cor podemos encontrar a sua beleza.
    beijinhos
    :)
    PS:-Tenho tido muitas dificuldades a aceder aos meus blogues e aos dos meus amigos e seguidores, não consigo nem ler nem comentar, pois simplesmente nem abrem.
    Desculpe
    :(

    ResponderEliminar
  2. As amarguras da solidão fizeram nascer um poema muito bonito
    .
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Por vezes não há cores... Linda poes ia! Bjs chica

    ResponderEliminar
  4. A neblina surge como por magia e a poetisa inspiriu_se e construiu um belo poema!!! Bj

    ResponderEliminar
  5. Se as montanhas não têm cor este lindo poema tem! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  6. Belíssimo poema, Cidália!
    Um carinhoso abraço de
    Verena

    ResponderEliminar
  7. Súplice paisagem poética, bela e triste espera pelo calor das réstias de sol, um versar de arco-íris.

    Um abraço. Tudo de bom.
    A ARTE DA VIDA. APON HP 💗 Textos para sentir e pensar.

    ResponderEliminar
  8. Boa noite Cidália,
    Um poema muito inspirado.
    Gostei.
    Um beijinho.
    Ailime

    ResponderEliminar
  9. Oi Cidália

    Está linda a sua poesia
    Onde acha tantas inspirações?
    Muito lindo
    Faz outro blog dos netinhos, gostava muito
    Eu comentava nos dois.
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  10. Por aqui as cores continuam.
    Mas o clima mudou, está frio.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. A passar por cá para conhecer mais um bonito poema!
    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  12. Um belo poema e como eu gosto do cheiro a molhado.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
  13. Mas, apesar de todo o cinzento, vamos encontrar a cor...
    Lindo...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  14. São os dias cinzentos que chegam e que influenciam emoções.


    Beijinhos Cidália

    ResponderEliminar
  15. Faz parte da vida, o cinzento da paisagem e da nossa alma
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Lindo poema de outono cinza e saudades. Os dias sem sol inspiram a poemas assim, com toques de tristeza mas maravilhosos.

    Obrigada pela visita, amiga Cidália.

    Beijos sabor carinho e uma quarta-feira de paz e alegrias

    Donetzka

    ResponderEliminar
  17. Nunca as montanhas serão sem cor quando acompanhadas de palavras que nos transportam a belas paisagens.

    ResponderEliminar
  18. O poema de hoje tem tanto de mim (ou desta etapa).

    "Acinzentado, é o meu pensamento
    Envolvido na chuva que dá tréguas,
    E a neblina envolta
    Das árvores despidas,
    Fizeram as despedidas
    Nos meus pensamentos à solta,
    Sinto-me a deambular"

    ResponderEliminar
  19. Cidália, amo as poesias inspiradas no Outono como esta pérola de sua lavra.
    Há um olhar descolorido, um sentimento de falta com uma saudade.
    Lindo acinzentado da cidade amiga.
    Carinhoso abraço amiga.
    Beijo amiga.

    ResponderEliminar
  20. Mais um magnifico poema.
    Gostei imenso, parabéns pela inspiração.
    Cidália, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  21. A gente se perde mas a gente se encontra rs...


    bjokas amiga =)

    ResponderEliminar
  22. Um poema muito introspectivo... mas bem dentro do espírito da estação presente...
    Adorei ler, Cidália! Beijinhos! Também ando com imensas dificuldades, para aceder aos blogs do Blogger, nestes últimos dias... e a partir de uma certa hora, tem-se tornado completamente impossível! Espero que isto passe nos próximos dias...
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar
  23. Cidália!
    Tudo parece ficar nebuloso quando noso coração está triste.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderEliminar
  24. Melancólico mas belíssimo poema acompanhado por uma fabulosa imagem!
    Como sempre, as tuas inspirações são divinas, seja qual for o teu estado de espírito!

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar

A vossa visita e comentário é o balsamo que alimenta a minha alma...Muito obrigada. Todos os poemas expostos são de minha inteira autoria, no que, apenas deverão ser partilhados com os devidos créditos da Autora: Cidália Ferreira (eu) 😘