terça-feira, 30 de abril de 2019

Seria um sonho tornado realidade...

Imagem relacionada
Seria um sonho tornado realidade
Se teu beijo eu sentisse
Seriam teus olhos o meu caminho
E os teus lábios, a vontade
Se a minha boca não fugisse
Deste nosso mundo, meiguinho
*
Sinto, que o calor dos teus lábios
Queimam, e me fazem por ti tremer
Sentir, que sou levada pelo desejo,
E olhando os teus olhos sábios
Que falam, o que não querem dizer
E se silenciam num imaginado beijo
*
Até as tuas mãos carinhosas, macias
Me confortam e dizem tanto
Quando sinto na delicadeza
E o valor das tuas carícias,
Os nossos corpos são o encanto
De toda a nossa firmeza
*
Sinto que este amor me desliza
Ao acordar da quimera
Por onde vagueio em delírio
Porque meu coração, de ti, precisa
Como do perfume da primavera,
Porque a força, supera todo o martírio
**** 
Cidália Ferreira.

sábado, 27 de abril de 2019

Guardo-te...até ao fim da minha vida. {POETIZANDO}

Coração vadio, alegre. Tão teimoso
Em guardar as coisas tão profundas
Que jura eternamente em fidelidade
Todo o sentimento, é algo afectuoso
Que jamais olvidará. Uma realidade
*
Coração ocioso, guardando segredos
Que se fecham de forma apaixonada
A várias chaves e não são esquecidas
Fazem parte de todos os meus medos
Mas nesta vida apenas tu me elucidas
*
Guardo-te...até ao fim da minha vida
Com os defeitos, também as virtudes
Estaria mentindo se dissesse que não
A vida, só fará sentido, sendo vivida
Com teu amor, que guardo no coração
****
Cidália Ferreira.
POETIZANDO E ENCANTANDO

Mais uma edição desafiante. Imagens muito belas, com uma intensidade acrescida. Uma brincadeira que se tornou viciante (para mim)! Agradeço o convite deixado, pela Amiga e Profª Lourdes Duarte, do Blogue Filosofando na Vida. Espero o  vosso aval, sobre o que lêem. Obrigada. Bom fim de semana.

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Hoje um lamento, tudo mudou...


Aos vinte cinco de Abril
De, mil novecentos e setenta e quatro,
Momentos de tensão, revolução
Nervos, coragem... vontade
De quem, não se queria mais calar,
*
Um povo cansado, lutando
Gargantas prontas para gritar,
Longas horas passadas na rua
Lutando, enfrentado batalhas
Resistentes, controlando as forças
*
E os cravos vermelhos à solta
O movimento, revolta, a esperança
Os cânticos entoavam no ouvido
Dum povo, que à rua tinha saído
*
A força e a união dum povo corajoso
Que lutavam juntos pela igualdade...
Mas vencendo...soltou-se o grito
Viva...Viva... Viva a liberdade
*
Mas hoje, um lamento, tudo mudou
Eles comeram tudo e o povo deixou,
A pobreza e a miséria escondida
Comendo apenas migalhas contadas
Num País que parece à deriva
Onde uns têm tudo, outros têm...nada.
***
Cidália Ferreira.
Viva o 25 de Abril!

terça-feira, 23 de abril de 2019

Que bom seria, se o céu fosse azul claro

Que bom seria, se todo o mundo, vivesse
Numa bola de verdadeiros momentos paz
Onde o ser humano não se desentendesse
E as aves voassem numa liberdade fugaz
*
Que bom seria, se o céu fosse azul claro
O vento não soprasse nas nuvens suaves
As aves dessem, tranquilidade e amparo
E todos vivêssemos de outras realidades
*
Que a realidade fosse para todos nós igual
Que o bem permanecesse em cada coração
As atitudes nefastas, não fossem um ritual
E que a paz, fosse para nós a consagração
****
Cidália Ferreira

domingo, 21 de abril de 2019

Para todos uma Santa Páscoa.

Resultado de imagem para Imagens da Páscoa

Desejo a todos os meus Familiares e amigos, e amigos - (virtuais) -, a todos os que se encontram  espalhados pelos quatro cantos do Mundo. Uma Santa Páscoa.. Que nada vos falte, principalmente Saúde!

Imagem relacionada

Cidália Ferreira.

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Sopra uma aragem de paz, que me renova. [Poetizando e Encantando]

Olho o mar, e em meu desejado silêncio
Reparo, como as ondas se desenvolvem
Mil estórias, na minha mente, evidencio
Numa grandiosidade, que me comovem
*
Sopra uma aragem de paz, que me renova
E que me deixa no silêncio do meu tempo
Confio na gratidão, e o mundo se comova
Pela imensidão e da carência do momento
Cada vez mais, este Mundo se transforma
Existe malícia que a lembrança não apaga
Não façamos mal, porque existe a retorna
Porque o mar, leva e traz... ele se propaga
*
Cada ser humano vai carregando sua cruz
Vai reflectindo, no que pode fazer melhor
Doar sem esforço, um bem que nos conduz
A ser melhores... e agradecendo ao Senhor
**** 
Cidália Ferreira.

POETIZANDO E ENCANTANDO
Um Poetizando e Encantando muito especial, embora eu não consiga dar o que certamente esperam, acreditem que o fiz com o maior dos carinhos. Que a Páscoa de todo o Mundo seja o melhor possível. Obrigada pelo convite Amiga, Lourdes Duarte. Boa Páscoa para todos...

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Queria sentir-me leve como uma flor

Imagem relacionada
Queria sentir-me leve como uma flor
E bela, como o nascer do sol
Ser o sopro, no dente de leão
Quando acaba a vitalidade e se transforma
Num puro sopro cheio de leveza
Nas atitudes de uma qualquer criança,
Dispersando, como nos sonhos de amor
As lembranças carregadas de emoção
Quando divago pelos recantos da natureza
*
Queria ser o sopro, o riso, a esperança
Queria ser a leveza da primavera
Ser o desabrochar das flores pela manhã
Sentir o aroma, a pureza, a frescura
Olhar o sol que nasce na montanha
Embarcar numa qualquer quimera,
E num embriagado sopro, a curiosidade
Fazer voar as partículas, qual algodão
E sorrir, por as ver partir, em liberdade
***
Cidália Ferreira
Imagem relacionada

domingo, 14 de abril de 2019

Olhos nos olhos, rostos carentes, tantos desejos...[POETIZANDO...]

Longos são os dias que me fazem esperar por ti
Esperar pelo teu olhar esfuziante, tão carinhoso
Sentir as tuas mãos em meu rosto....Não desisti
De esperar. Olhar-te na foto. Sempre charmoso
*
Olhos nos olhos, rostos carentes, tantos desejos
Abraços sentidos, anos passados... recordações
Lábios sedentos, a saudade que dói, e os beijos
A melhor terapia para gerir as minhas emoções
*
Os anos passaram, e tu nunca perdeste a beleza
Imaginar-me sem ti nesta vida não faria sentido
Quando tu és um tanto em meu coração sofrido
*
Longos são os dias e as horas que passo a olhar
A fotografia, que me provoca o certo borbulhar
Dentro do meu coração, que vive... da incerteza
****
Cidália Ferreira.
POETIZANDO E ENCANTANDO

Voltando lentamente à escrita, para não deixar passar a minha participação neste Poetizando e Encantando, em branco. Agradecendo o convite deixado pela Professora Lourdes Duarte, do Blogue Filosofando na Vida. Não é o melhor de mim, mas é o melhor que pude.  Espero o vosso aval. Obrigada... e um excelente fim de semana.

quarta-feira, 10 de abril de 2019

Mais uma interrupção.


Mais uma interrupção "poeticamente" falando. O Gui, para não variar, está outra vez doente! Este rapaz passa-me a vida doente. A Bruna de férias, ele doente, claro está, vou lá para casa para que, não saia do seu conforto, mesmo pelas diferenças de temperatura. Assim sendo, é complicado escrever. Eu sei que todos vós me entendem. Prometo compensar-vos...Vamos indo e vendo o que dá. Obrigada pela compreensão.
Incrível é que, hoje, logo pelas 8:30H foi à médica de família, a Drª estava mal disposta... "o menino não tinha nada" (quando durante a noite teve febre alta)... às 16H voltou ao hospital. Resultado;


 Vias respiratórias... Há médicas de família fantásticas, não há?? Até breve...

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Quando a chuva passar, tu irás voltar.

Resultado de imagem para imagens de chuva saudad
Pingos de chuva, constantes, flores que caem
Sacudidas pelo vento,
Árvores floridas, frutos prometidos
Levados pelo tempo,
O sol que se esconde atrás das nuvens
Carregadas, de maus pressentimentos
Num tempo que se mostra chuvoso
Onde reina alguma melancolia
Dentro do meu sentimento, alguma magia
Porque a chuva cai sem tom melodioso
*
Cai a chuva, transformando a tristeza
Numa saudade sem fim
Que se aloja dentro do meu coração,
Mas quando a chuva passar, tu irás voltar
Como o sol que regressa à natureza,
E quando as árvores voltarem a florescer
Os pingos secarem as ervas do meu jardim
Voltarei a olhar o mudo lá fora, com emoção
Por entre as frestas da minha janela
Onde espero e desespero, a chuva passar...
***
Cidália Ferreira.

sábado, 6 de abril de 2019

Sinto a vida escapar-me pela senda da solidão... [POETIZANDO]

Sinto a vida escapar-me pela senda da solidão
Sinto, que outrora fui feliz, enquanto dei vida
Sinto que não posso  mais viver da escuridão
Sinto que a vida me foge, sinto-me demovida
*
Tenho medo dos silêncios que me perturbam
Tenho medo, de deixar de viver. Não ser útil
Partir sem querer... são cismas que magoam
Tenho medo que a minha presença seja inútil
*
Encosto-me à porta, e escuto o vento lá fora
Sinto-me incapaz de enfrentar a tempestade
Mas para tudo acontecer, tem tempo, e hora
*
As forças faltam, a tristeza é uma constante
Deixo para trás, vidas que amei, de verdade
Sinto que a vida chega ao fim, num instante
****
Cidália Ferreira
De forma simples dou o meu contributo nesta "corrente/brincadeira" Poética. Convém dizer que é sempre um grande desafio participar, no Poetizando e Encantando. No blogue "Filosofando na Vida", Prfª Lourdes, que aconselho a visita. Espero que gostem. Bom fim de semana a todos. 

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Primavera agreste ...

Entrei no mundo das flores desta fresca primavera
Senti a mescla dos vários aromas
Senti-me encantada com a magia das cores
Enamorada, talvez...
Os raios de sol encantam jardins floridos
Dando outra beleza à minha natureza
E ao meu coração emudecido de amores
Que mesmo em silêncio se exulta outra vez
*
Mas quando no jardim existem outras flores
Outros odores, que me embriagam os sentidos
Uma brisa sedutora sussurrando-me aos ouvidos
Para que o meu rosto se manifeste
Em longos e perfumados sorrisos,
Mas neste jardim onde as flores são a tentação
Existe magia que transborda no meu coração
Mesmo que a chuva volte à primavera agreste.
***
Cidália Ferreira.

terça-feira, 2 de abril de 2019

Natureza solitária, viva ...

Resultado de imagem para Fotografia
(imagem da goole)
Havia fugido da festa, que um dia sonhei
Onde, por orgulho, me imaginava tão tua
Mas pelo destino deste sonho eu acordei
Enamorada, e sozinha, e de mente na lua
*
Na fuga o destino entregou-me à natureza
E ao silêncio, se converteu o meu coração
Quando eu medito converso por gentileza
Com o meu eu, deixando entrar a emoção
*
Das flores que um dia alguém me ofereceu
Cuido, de um sonho sonhado, com carinho
Porque e a solidão foi madrasta e apareceu
*
Mas, no meio de alguma tristeza há alegria
E a esperança de encontrar o meu caminho
Mesmo que habite na natureza em calmaria
****
Cidália Ferreira.