segunda-feira, 30 de julho de 2018

A saudade dói no meu peito, já despedaçado. [Poetizando e Encantando]

Recordo, aquele dia tão lindo, e tão trágico
Havias-me oferecido as coisas  mais lindas
Entre palavras de amor e flores, era mágico
O pensamento se perdeu nas palavras findas
*
O meu rosto já não consegue voltar a sorrir
Existem lembranças que matam lentamente
As nossas juras de amor são difíceis de gerir
Talvez nunca mais consiga, amar novamente
*.
E no ramo de rosas vermelhas e perfumadas
Havias deixado num bilhete, uma declaração
Não tem conta as vezes que o li com emoção
*
Não consigo viver sem tuas palavras amadas
As lágrimas escorrem-me pelo rosto cansado
A saudade dói no meu peito, já despedaçado.
****
Cidália Ferreira

POETIZANDO E ENCANTANDO

Mais uma belíssima edição de Poetizando e Encantado. Quadragésima sexta (46)... Na dificuldade está o desafio. Embora de uma forma simples, tenho o gosto em continuar com esta maravilhosa e saudável brincadeira entre Poetas e Poetizas. Espero que gostem. Obrigada pelo convite, Amiga Loudes Duarte.
BOM DOMINGO 

sábado, 28 de julho de 2018

Um abraço prometido, ao luar...

Saudades sim, das noites quentes de luar
O murmurar do mar
Da brisa, da salgada maresia
Dos nossos passeios pelo areal
Saudades dos nossos momentos de magia
*
De sentir o bailado das ondas apressadas
Quando as nuvens se afastam devagarinho
E nós, num abraço prometido
Entrelaçamos nossos lábios com carinho
E ficamos, até à maré mudar de sentido
*
Será o luar o nosso maior protector
Que nos ilumina e nos transmite paz
Mesmo que ele deixe de brilhar
Nunca será por falta de amor
O meu, o que te dou e que me satisfaz
*
Saudades, de tudo o que é teu...compreende
A vida só faz sentido a teu lado
Sei que por mim não estarás enamorado
Mas na eternidade do meu ser,
Quero sim, dar-te aquele abraço estreito, ao luar.
***
Cidália Ferreira 

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Espero-te...como quem espera pelo verão

Foto de Cidália Ferreira.
Espero-te...como quem espera pelo verão
Alma carente, desejando-te para além dele
Só tu reconfortas, e afagas o meu coração
Com carícias na alma, na mente, e na pele
*
Imagino teus beijos nos mais doces afagos
Sinto como me conquista este louco desejo
Em volta, apenas a brisa, faz seus estragos
Sendo a envolvência e testemunha do beijo
*
O verão, com a sua envergonhada estadia
Traz-nos o amor, em sonhos e imaginação
Quando se libertam balões em pura magia
Beijam-se as nossas bocas... pura emoção.
****
Cidália Ferreira

terça-feira, 24 de julho de 2018

Cascata em ecos de silêncio.

Resultado de imagem para imagens sensualidade
Quero sentir os salpicos  no rosto, e meditar
Sobre as maravilhas que a natureza oferece
Ouvir a cascata em sintonia e poder suspirar
Enquanto a espuma se dissipa e resplandece
*
Ecos de silêncio surgem em aspecto sombrio
Frescura perfumada e em esvoaços que sinto
Respiro fundo, imagino que o meu equilíbrio
Se deve à leveza da minha alma... não minto
*
Na beleza da cascata leio estrofes em poesia
Letras ocultas, defeito da minha imaginação
Que se deslumbra, na solidão de tanta magia
Ao contemplar tamanha beleza com emoção.
****
Cidália Ferreira.

domingo, 22 de julho de 2018

Por ti, do resto do mundo desistiria. [ Poetizando e Encantando.]

Flutuando entre nuvens e mar de desejos
Imaginando-me, num fogoso abraço teu
Onde a entrega fosse em ternos lampejos
São desejos, que invadem um sonho meu
*
Seria uma fantasia ter-te nos meus braços
Poder beijar-te, e contar estrelas cadentes
Sentir a leveza das vestes e em embaraços
Após um beijo trocado em lábios ardentes
*
Ainda devaneio com aquele encontro a sós
Mesmo que espere uma vida, com gratidão
Que este sonho fizesse apenas parte de nós
*
Seria tão bom que nada disto fosse mentira
Seria tão bom, se me abraçasses, na solidão
Porque por ti, do resto do mundo desistiria.
****
Cidália Ferreira

Chegámos à quadragésima quinta [45ª] edição do Poetizando e Encantando, no blogue Filosofando naVida. Na dificuldade está o desafio, e o importante é participar. Espero que gostem...Obrigada...Bom fim de semana

sexta-feira, 20 de julho de 2018

No silêncio do meu olhar...


O meu olhar desesperado mas sereno
Desejando o sol nascer
Lá longe por detrás das montanhas,
Saio pela aurora, penso que nada sou
E sozinha não sei viver
Acordo, e em todas as manhãs
Viajo num comboio de recordações
O difícil é esquecer-te
E tirar-te de todas as minhas emoções
*
Não consegues compreender um coração
O meu, que vive e se divide
Que ama, e simplesmente se contenta
A olhar o sol mesmo em dias nublados
Com momentos amargurados,
Nos sonhos onde vagueiam meus olhos
Quase lacrimejando
Existe uma saudade tão forte, que me tolhe,
Compreenderá, quem tiver o poder de amar
*
E no silêncio onde me perco, olhando
Esperando o mais belo amanhecer
Agradecendo pequenos nadas, pensando
A vida só faz sentido, se a souber reconhecer.
****
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Alma adormecida sem rumo.

Faço do meu  sonho, um modo de vida
Que quero preservar  até chegar ao fim
Ao fim dos  meus dias e enquanto viva
E que nada me impeça de eu ser assim 
*
Sou tudo ou nada, sou a força do tempo
Num espelho de água parada sem rumo
A escuridão do sonho e em contratempo
Sou a alma adormecida que me assumo
*
Faço do meu corpo um tópico da paixão
Que deseja entre a fantasia e a realidade
Acordar no silêncio, a desejosa reflexão 
*
Faço da minha ilusão doces lembranças
Das promessas feitas  em casta lealdade
Onde sozinha vagueio noutras andanças
****
Cidália Ferreira.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

A pureza de um abraço, era a carícia (Poetizando e Encantando)

Recordo ainda, os tempos de criança
Onde tudo era a verdadeira inocência
Sorrisos rasgados, alegria na essência
Onde existia um  futuro de esperança
.
Brincadeiras, pureza, tudo era magia
Não existia nas brincadeiras, malícia
A pureza de um abraço, era a carícia
E na partilha existia especial energia
.
Os abraços são os ternos sentimentos
A inocência, o melhor dos momentos
Em que uma criança se sente querida
.
Pudesse eu, mudar algo, neste mundo
Nem que fosse apenas um só segundo
Faria dele, um jardim, em flor sentida
***
Cidália Ferreira.

Chegámos à quadragésima quarta [44ª] edição do Poetizando e Encantando, no blogue Filosofando na Vida. Esta semana com uma tarefa muito difícil, mas, como o importante é participar. Espero que tenham gostado do que leram.


Um excelente Domingo para todos, os que por aqui passam!

sábado, 14 de julho de 2018

Deambulando, no meu silêncio.

O sol vai nascendo devagarinho
Dento do meu coração permanece
Mas falta algo, que não sei dizer
E mesmo que as nuvens apareçam
O meu coração irá agradecer
Os raios, que enaltecem o meu ser,
E os ramos, abanados pelo vento
Onde o canto dos pássaros é lamento
E eu, deambulando no meu silêncio
Pelo longo e árduo caminho.
*
E, devagarinho vou caminhando
Escrevendo coisas da mente
Olhando o horizonte e pensando
Nas palavras escritas, e mormente
Não seria eu, se não fosse sincera
Se não me saísse do fundo da alma
Este verdadeiro sentimento, que me calma
Com os raios de sol, que continuo olhando
Onde a emoção e a recordação
Estão no meu coração...que te espera.
***
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Queria ser a água corrente do teu desejo

Resultado de imagem para cascatas gifs
Queria ser a água corrente do teu desejo
A cascata, pureza sombria, transparente
A frescura de teu olhar, e tão comovente
Queria ser o lago cristalino onde versejo
*
Queria, ser os salpicos e sentir a emoção
Ser o verso que rima no teu pensamento
Ser a carta fechada e num só sentimento
Queria, por instantes, abrir meu coração
*
Queria sentir o barulho da água e vibrar
Vaguear, através das mais belas cortinas
Que me fizessem tranquilizar, e admirar
*
Queria ser o aroma da sombra e candura
E vaguear pelas mais volumosas colinas
Onde pudesse revelar-te a minha loucura
****
Cidália Ferreira

terça-feira, 10 de julho de 2018

Coração em desalento.

Adormecida numa quimera cinzenta
Flutuando nas nuvens, que chegam
Quase pintadas de nada
De um outono antecipado
Onde tudo é levado pelo vento
Numa corrida contra o tempo,
Embalada nos sonhos que quero viver
E acreditar que o fim da tormenta
Pode, algum dia chegar
Sinto o coração isolado, sonolento
Num desalento sem fim
*
Imagino-me vagueando nas nuvens
Esperando encontrar um refúgio
Que queira saber de mim,
Não importa se faz sol
Ou se chove e ninguém sabe
Mas o meu coração ainda o sente,
Podem até chover tempestades
Mas no meio das minhas verdades
Um sentimento, uma agitação
Apenas as borboletas, vão e voltam
E acariciam, o meu isolado coração.
***
Cidália Ferreira.

domingo, 8 de julho de 2018

Silenciosamente a sós, no meu destino. [Poetizando e encantando]

Refugio-me, na imensidão do tempo
Nos lugares mais frescos e sombrios
Aves esvoaçando em ternos assobios
Qual música, ou prosa, em destempo
*
Encostada numa meditação constante
Fazendo da viola, a minha companhia
Onde sozinha tento encontrar a poesia
O detalhe, entre a vogal e a consoante
*
Sentir-me- ei agradecida pela natureza
Pelo silêncio da  frescura, qual riqueza
Oferecidos em todos os meus momentos
*
Não serei capaz de tocar, mas imagino
Silenciosamente a sós, no meu destino
Onde deixo vaguear meus sentimentos
****
Cidália Ferreira.


Chegámos à quadragésima terceira [43ª ] edição do Poetizando e Encantando, no blogue Filosofando na Vida. Cada semana é um novo desafio, e eu sinto-me orgulhosa por poder de forma modesta participar. Espero que gostem.

Tenham um bom fim de semana.

sábado, 7 de julho de 2018

A janela, reflexos da minha alma.

Imagem relacionada
Esvoaçam flores em campos silvestres
Desabrocham ao sol, fonte de vida
Onde tudo por vezes acontece
Tempestades, ou sol que aquece,
Esvoaçam pela natureza viva
Amores perfeitos, margaridas
Papoulas de cores garridas
E o verde das ervas que crescem
São os sentimentos que se cultivam
E se avaliam em pequenos gestos
*
Esvoaçam cortinas e os meus cabelos
E em sintonia, prosa pensada
Palavras sentidas, puros anelos
De janela aberta e poder reviver
Meus olhos sorriem e amam
Momentos passados, tão belos
E no meio de toda a natureza
Na fragrância que as flores emanam
Ficam meus sentimentos singelos
Que se esvaem em olhares de certeza
*
A janela, reflexos da minha alma
E num pensamento emocionado
Onde o meu instinto... se acalma
E meu coração sinto apaixonado.
****
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Sentimentos que nunca rejeito...

Imagem relacionada
Soltam-se as notas musicais do meu imaginário
Que procura na fragrância das flores oferecidas
Todas as palavras já escritas, no meu dicionário
Deixando meu coração libertar coisas vencidas
*
Cada palavra solta dos meus dedos cuidadosos
Que imaginam, percorrer, o teu bonito interior
São como delírios à solta...momentos ansiosos
E atrás de um gesto teu está o verdadeiro valor
*
São as palavras, eternos poemas do meu recanto
E quando o sol se ausenta, e me retira o encanto
Volta um turbilhão de sentimentos, nunca rejeito
*
Soltam-se dos meus dedos, em palavras insanas
Delírios da minha mente. Mas, em mim emanas
O perfume que faz do meu raciocínio imperfeito
****
Cidália Ferreira

terça-feira, 3 de julho de 2018

"Sunshine" Desafio aceite e cumprido.

Custa-me muito mais uma rejeição. A Ana já me tinha convidado. Agora  "O pensamentos da Gracinha"... Não vou mais negar ou adiar. Não tenho jeito para isto, mas vou tentar ser eu mesma, como sempre   sou... 

  1. LEITURA … Confesso que me interessei mais por leitura depois que abri o meu blogue.
  1. ESCRITA … A escrita veio, infelizmente, após um grave acidente em 2009...Até hoje, gosto muito de escrever...Acredito que, nada acontece por acaso
  1. PROSA … A prosa faz parte da minha escrita, onde tantas vezes "solto o grito", em sentimentos, estados de alma, pensamentos, e por vezes momentos nostálgicos
  1. POESIA …A poesia entrou em mim depois que me senti "isolada do mundo" após o meu acidente. Conheci uma pessoa que já escrevia, e quando comecei a seguir a sua escrita achei que tínhamos algo em comum. "apaixonei-me pelos seus escritos",- levando-me a expor também as minhas simples palavras, onde sinto que cresci bastante em muitos sentidos.
  1. BLOG … O meu blogue foi pensado por já gostar de poesia e já escrever de vez em quando. O meu blogue já fez 5 anos, e é como um filho para mim. É o meu refugio, onde "conheci" tanta gente incrível. Fiz amigos virtuais e alguns passaram a reais. Fechá-lo é impensável!
  1. MARAVILHAMENTO …Fico maravilhada com pequenas coisas que a vida me vai dando. Aprendi a valorizar as pequenas coisas.
  1. BIBLIOTECA … Enriquecimento
  1. SONHOS … Actualmente não tenho grandes sonhos. Mas o meu maior sonho era que a minha neta mais velha começasse a falar. E, já agora que os meus filhos realizassem os seus.
  1. CULTURA …Muito importante
  1. VIDA …A vida é dos bens mais preciosos que temos. À que vivê-la da melhor forma possível. De repente, não somos nada. Tenho medo de, repentinamente,  faltar aos meus filhos e netos... como a minha mãe me/nos, faltou aos 53 anos.
  1. MORTE … Só a palavra já me assusta! Já vi a morte à frente, lutei com ela, quase morri queimada...estive em coma induzido uma semana e acho que andei pelo outro mundo. Estive internada cerca de 2 meses...Sofri horrores. Enquanto hospitalizada, sentia-me a pessoa mais feliz do mundo, por estar viva e sempre no meu juízo perfeito, com uma força de vontade de viver, muito grande. [graças à morfina]  Depois... muitas vezes me revoltei com a vida. Complicado.

Obrigada por me terem escolhido. Não vou marcar ninguém, por opção...Iria repetir blogues...Um bem hajam a todos. Obrigada Gracinha e Ana

Cidália Ferreira 

domingo, 1 de julho de 2018

Apaixonei-me...[ Poetizando e Encantado ]

Apaixonei-me pela noite e o céu estrelado
Pela beleza da lua, que me ilumina o olhar
Pela beleza das flores, perfume abençoado
Apaixonei-me pela noite num desabrochar
*
Apaixonei-me...tu entraste no meu coração
E me deste o céu, a lua, toda a experiência
Até um chão seguro em jeito de declaração
Apaixonei-me, somente, pela tua existência
*
Apaixonei-me, pela brisa, em noite  ausente
Pelas palavras carinhosas, e do teu perfume
Pelas flores, azul celeste, que me ofereceste
*
Apaixonei-me pelas vestes, de fina candura
E do céu estrelado eu confesso, sinto ciúme
Perdoa-me, meu amor...esta minha loucura.
****
Cidália Ferreira.
Chegámos à quadragésima segunda (42) Edição, do Poetizando e Encantando, do blogue Filosofando na Vida, da Profª Lourdes Duarte. Aconselho vivamente uma visita ao seu blogue... Eu, mais uma vez dou o meu pequeno contributo para que esta brincadeira continue...

Bom fim de semana