segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Olhei de perto as águas com serenidade

Olhei  de perto as águas com serenidade
Quando  pela tardinha  aqui me refugiei
Sentia a brisa duma passada tempestade
E de um sol que, querendo não encontrei
.
Meu olhar fixou-se nas águas ondulantes
No reflexos, a tua  imagem, é pura magia
Aconchegam-me tuas palavras instigantes
Que me fazem pensar e deixar a nostalgia
.
Olho  em volta, as águas  ondulam, serenas
Quiçá outrora, em  confissões  mais amenas
Onde me liberto, medito, deito fora o volátil
.
Pela tardinha, sozinha, penso se irás voltar
No horizonte avisto dificuldade em pensar
Mas meu olhar, mesmo sofrendo é versátil.
****
Cidália Ferreira.

22 comentários:

  1. Boa tarde, nem sempre encontramos o que se procura, o ditado popular "quem procura sempre alcança" está certo, motivo porque vai encontrar o que procura.
    Boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  2. As águas nos passam serenidade e amenizam essa espera pelo amor.
    Lindo Cidália.
    Bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Um belo poema minha amiga, gostei de o ler.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
  4. Muito lindo,Cidália!Adorei! bjs, chica, linda semana!

    ResponderEliminar
  5. Que a serenidade das águas, traga também serenidade ao coração.
    Maravilhoso poema
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  6. Um bom poema para este final de Outubro.
    Amiga, já me encontro um pouco melhor,obrigada.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  7. Belíssimo poema como todas as suas pérolas,querida amiga poeta Cidália!

    Que essas águas lhe tragam alegria e limpem todos os males de sua vida,pessoa linda!

    Obrigada pelas visitas!

    Feliz semana de Paz Profunda!

    Beijos sabor carinho

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka


    ResponderEliminar
  8. Linda a sua forma de escrever poesia. Adoro visitar este blogue tão poético

    Bjuuuuuuu

    ResponderEliminar
  9. Oi Cidália
    Cada dia melhor nos seus poemas.
    Da gosto de ler
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  10. A passar por cá para desejar um ótimo feriado!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  11. Quando as palavras são o sorriso da alma, acontecem poemas perfeitos, como este. Deslumbrante.

    Bjoooo

    ResponderEliminar
  12. Cara amiga Cidália, mais um belo soneto apaixonado e emoldurado pelos elementos da natureza.
    Um abraço daqui do trópico. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderEliminar
  13. Lindo :)

    http://trapeziovermelho.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  14. Que maximo sempre arrasando,
    tenha uma semana abençoada. obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar

  15. A melancolia é a saudade são inspiradoras como prova este seu belo soneto.
    Cidália espero sinceramente que esteja melhor!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  16. Bom dia, querida Cidália!
    Conversei hoje com uma amiga sobre a questão de ser versátil nestes casos... veio bema calhr o poema seu! Vou mostrar-lhe...
    Bjm muito fraterno

    ResponderEliminar
  17. A nostalgia aliada à serenidade dominam este maravilhoso poema que foi fabulosamente bem construído, como sempre.
    A imagem está em perfeita sintonia e a sua tranquilidade parece trespassar o monitor.
    Dia lindo para ti amiga e um grande beijinho

    ResponderEliminar
  18. As palavras são sempre bonitas, o poema nostálgico.
    Beijinhos
    Teresa

    ResponderEliminar
  19. OI CIDÁLIA!
    COMO SEMPRE, NOS BRINDAS COM UM TEXTO BELÍSSIMO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  20. Lindo, Cidália Ferreira
    O seu soneto sereno
    Expondo em texto pequeno
    Grande mistério que beira

    O infinito da esteira
    Do seu horizonte ameno
    Buscando um suposto aceno
    Do retorno que se queira.

    Sim o retorno do amor
    Seja do jeito que for:
    Que venha de trás do monte

    De onde nasce o esplendor
    E traz o sol redentor
    Nos dando um novo horizonte.

    Parabéns pelo seu poema! Deixo aqui este poemeto em homenagem ao seu e a sua verve e inspiração. Minha gratidão por participar deste belo espaço. Abraço cordial. Laerte (Silo).

    ResponderEliminar