quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Passava só, tristemente.

....//....
Passava só, tristemente  
Pela escuridão do dia 
Entre a mata  
E uma estrada sem fim, 
Olho os ramos tristes, caídos 
Encharcados, esmorecidos 
Perdidos no meio do nada  
Sacudidos pela tempestade 
Sofrimento do próprio tempo, 
Caem os pingos no charco 
Como lágrimas insistentes, 
Abanam-se as árvores sozinhas 
Aclamam pelo passado 
no amor que está longe,
E nas folhas amarrotadas 
Selo mensagem de carinho 
Faço-a esvoaçar ao vento 
Fazendo chegar bem longe  
Todo este sofrimento
Que encontro no meu caminho.
***
Cidália Ferreira

31 comentários:

  1. Cidália, belo, mas sempre triste, mas a poesia é sempre, ou quase, nostálgica,
    beijos amiga

    ResponderEliminar
  2. Sempre nostálgica, sempre em saudade, mas sempre fantástica!

    ResponderEliminar
  3. Pura nostalgia ;) mas bem escrito**
    beijinhoo
    http://mypreciouspace.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. A nostalgia e sofrimento bem patentes neste poema de hoje, não retira a beleza poética...a poesia é assim mesmo...até a bruma da imagem transmite algo sombrio e distante...gostei muito Cidália...um grande beijinho e uma noite feliz

    ResponderEliminar
  5. UM poema belo Cidália, mas é muito triste quando o passado parece ter mais força que o presente.
    xx

    ResponderEliminar
  6. Oi Cidália,
    Eu sinto também sua falta, mas parei com os blogs
    Tudo na vida tem um fim
    Mas tem meu e-mail e face, pode conversar comigo.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  7. Belo poema... que ressoa saudade serena...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Sólido, líquido e vapor... os estados da matéria.....!!!
    Acabastes de descobrir mais um: o estado-ternura-saudade.
    Nesse estado, encontra-se tua poesia que mistura saudade e poesia, num delírio sofrido de paixão...
    POESIA NOTA MIL.... Vou parar de dar nota..... você só ganha MIL!!!

    ResponderEliminar
  9. "Caem os pingos no charco como lágrimas insistentes"
    Realmente "a gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar"...

    Lindo, Cidália!!

    Beijoo'o
    flores-na-cabeca.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. O tempo cura
    mas as lembranças são feridas que se cutucarmos muito voltam a ferir
    Mas há as lembranças boas, que podemos cutucar varias vezes que não trás dor nenhuma.

    lindo texto.

    brendovieira.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Pensamentos, lembranças tristes, saudosas. Linda poesia! bjs, chica

    ResponderEliminar
  12. O amor também tem tristeza, desencanto, saudade.

    Uma alma que grita em sufoco muito poético

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Lindos versos, como sempre, expressas bem os sentimentos! Amei ler!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  14. Bom dia Cidália.
    O passado, às vezes acompanha-nos ao longo da vida, passo a passo. Às vezes a dor da saudade mutila-nos e resistir não é fácil.
    Belo poema em que transpôs tão bem essa dor.
    bj amg

    ResponderEliminar
  15. Bom dia, Poema lindo revelador da magoa sentida, cada dia que passa a magoa sentida, está mais perto de ir embora para sempre.
    AG

    ResponderEliminar
  16. Oi Cidália,mas um poetar triste e repleto de sentimentos.
    bjs amiga-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  17. BOM DIA, AMIGA !!!

    Passear na escuridão
    Só pra mulher de coragem
    As pingas caem no chão
    E é fresca essa aragem
    Vamos puxar pelo sol
    Sempre nos traz alegria
    Que nos enche o coração
    E põe fim à nostalgia
    Obrigado minha amiga
    Por este lindo poema
    Que apesar de estar molhado
    Dessa escuridão sonhada
    Aponta o fim do caminho
    E sempre, devagarinho
    Chegará por certo o dia
    Em que o sol volte a brilhar
    E traga toda a Alegria.

    Beijinho e Feliz quarta feira !!!!!!

    ResponderEliminar
  18. Eis um belo poema triste, amiga Cidália. Contraditório, não parece? Mas vejo o poema assim. Importante que é BELO.
    Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderEliminar
  19. Bom dia, Cidália fiquei feliz por saber que me visitou mesmo eu estando viajando. Hoje, estou visitando você para lhe agradecer e retribuir a sua tão amável visita.Minha viagem foi em tempo certo,pois estava precisando esquecer algumas coisas. Seu poema nos reporta para saudades, tristeza, no entanto é o que nos faz viver. Escreves lindamente, és uma escritora de mão cheia. Tenha um lindo dia. Grande beijo!

    ResponderEliminar
  20. Oi Cidália que lindo poema.
    E penso que é nesse esvoaçar, que as tristes recordações se afastarão, cedendo lugar as novas esperanças.
    Um ótimo dia pra você, e obrigada!
    Mariangela

    ResponderEliminar
  21. Oi Cidália, poesia linda mesmo de um momento triste. Bjs

    ResponderEliminar
  22. As caminhadas mais solitárias são aquelas percorridas dentro de nós mesmos...

    Intenso poema, Cidália.

    ResponderEliminar
  23. Poema, com total intensidade, que mexe com a alma de quem lê, beijos

    ResponderEliminar
  24. Nada como um dia após o outro.
    Nem tudo é como a gente quer, mas o importante é ter fé. Nenhuma tristeza é eterna.
    bjokas =)

    ResponderEliminar
  25. A tristeza nos deixa doente nos sentimento mais a vida continua.
    Siga e curta o meu Canal: https://www.youtube.com/user/NekitaReis
    TSU: https://www.tsu.co -Nequere.

    ResponderEliminar
  26. OLHA o que mais falar sobre ti cada mais dficil ,vão-me faltando as palavras poemas lindos de solidão e melancolia lindos adoro tudo beijos ,laurinda,anjo.

    ResponderEliminar
  27. Fantasticamente triste.

    Beijinho, Amiga

    ResponderEliminar
  28. Um poema que tem tanto de beleza como de tristeza.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  29. Oi Cidália, vim te conhecer , e gostei muito daqui.
    Nossa quanta sensibilidade e ternura nesta poesia...me emocionei.
    Tb tenho blog e devez em quando posto poesia, apareça.
    Carinhoso abraço.

    ResponderEliminar