domingo, 18 de novembro de 2018

sábado, 17 de novembro de 2018

Desespero ...

Pode o deserto  ser seco e abandonado
Ser o calor infernal e sem  vida vivida
Ser o frio, o gelo, ser  um solo rasgado
E nascer  uma vida em jeito de dádiva
*
Pode o momento  de solidão, ser a dor
Reflexão, a vida sentida, ser o esmero
Ser a vida que nasce no deserto, a flor
Que acompanha teu peito no desespero
*
Posso parecer instável na sensibilidade
Quando o nosso sentimento é de união
Sozinhos somos puros na cumplicidade
Mas... jamais duvides, do meu coração.
****
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Embriagada na luz da fantasia


Embriaguei-me sobre a luz da fantasia
Deixei os meus pensamentos irem além
Imaginei-me nos momentos de emoção
Rendida às páginas em primazia
Numa leitura pertencente a um alguém
Provocando-me arrepios de admiração
Que jamais me fará sair desta quimera
*
Desfolho as páginas do teu ensinamento
Ouço a tua voz, terna, enrouquecida
Num sussurro, abres o meu sorriso
Imaginando a leitura em voz sentida
Que tantas vezes como afecto, é tão preciso
Correm-me nos olhos palavras de sentimentos
Recordando o beijo que não te dei, sou sincera
*
E envolta dos meus sonhos onde me rendo
Reflicto nas tuas palavras que me fazem crescer
Olho a luz, e enamorada, peço um desejo
Lembro-me de tudo ,que contigo aprendo
Sem nada em troca, apenas a gratidão,
E nesta embriaguez onde me tento entender
Desejo encontrar-te numa outra primavera
***
Cidália Ferreira.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

És o meu porto seguro...

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, lusco fusco e ar livre
Nunca avalio uma pessoa pela aparência
Nem pelo traje que observo ao anoitecer
Dentro de um peito tudo pode acontecer
E as emoções podem suscitar a carência
*
Sabes que és, meu porto, mesmo seguro
Nada me fará recuar, jamais abandonar
O teu carinho, faz-me sorrir, num olhar
E fascinar-me num pensamento imaturo
*
Num frente a frente de olhares frenéticos
Trocam-se palavras mudas, pelo perfume
Da rosa, que outrora, em versos poéticos
Fizeram parte deste meu saudável ciúme
****
Cidália Ferreira

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Isolada em pensamentos contidos. [ Poetizando e Encantado (60) ]

Entre a solidão e meras tempestades
Chuvas silenciosas, sonhos perdidos
Dentro de tantas palavras e verdades
Isolo - me em pensamentos contidos
*
E em meu rosto que outrora chorou
Caem pingos de chuva, que lavando
Todas as lágrimas, de quem te amou
Deixando que a tristeza vá entrando
*
Por muito que eu não queira sofrer
Nem tirar-te, deste isolado coração
Existem sempre os picos de aflição
*
Mas se nesta aflição me tento vencer
Então, neste chão molhado, te espero
Mesmo triste, nunca será o desespero
****
Cidália Ferreira.

Passo a passo. Semana a semana. Entre desafios e brincadeiras chegámos à edição nr 60, do Poetizando e Encantando. E, embora de uma forma simples, orgulho-me de fazer parte desta brincadeira que atravessa o oceano tornado-se contagiante...Mais uma vez, obrigada pelo convite. Espero que gostem... Excelente fim de semana para todos.
Muito obrigada pela surpresa

sábado, 10 de novembro de 2018

A chuva invade-me a alma

A chuva serena invade-me a alma
Os maus pensamentos
Os sonhos que nunca vivi, mas tive
Mas continuo, intensamente
Lutando para os poder viver
De coração aberto e livre
Sem receios, mas receando
Que a chuva pare, e me leve de ti
No momento em que estiver amando
Nesta dança, entre tantos sentimentos.
*
Faço da chuva a minha dança favorita
Imaginando nos meus braços receber
O peso do teu carinho desmedido,
E mesmo que a chuva insista em cair
Abre-se meu coração para o teu
Que um dia entrou e não mais saiu,
Mesmo debaixo da tempestade, vou sorrir
Enquanto lavo a alma que acalma
Acreditando no poder da minha força
Libertando, este sentimento, tão meu.
***
Cidália Ferreira.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

O livro da nossa estória

Abre-se um livro. O livro da nossa estória
Aquela que nunca foi escrita nem contada
Aquela, que com sobressaltos na memória
Me aquece o coração, e a alma enamorada
*
São tantas paginas escritas na minha alma
São tantos os sentimentos que me rodeiam
Sempre que leio a nossa estória, me acalma
O coração, e meus pensamentos incendeiam
*
Passa o tempo, num tempo bem apressado
Onde a saudade... é a minha palavra chave
Por meros motivos não voltaria ao passado
*
Abrem-se as páginas, das belas recordações
Leio as páginas em branco em mente suave
Onde continuas a mexer as minhas emoções
****
Cidália Ferreira.