quinta-feira, 17 de maio de 2018

Cascatas em estreme alusão

Foto de Cidália Ferreira.
Sinto os salpicos envidarem meu rosto
Em contemplação de terno sentimento
As águas, em tons verdemar, que gosto
Ficam no além, do inevitável tormento
*
Refugio-me em termos que me afligem
Sinto os passos, dentro do meu mundo
Sinto-me só, tantas vezes sem coragem
Para enfrentar tal sentimento profundo
*
Só a contemplação pode trazer de volta
Todo o teu carinho em falta, mas revolta
Saber que tudo não passa de mera ilusão
*
Por muitas palavras se escrevam, jamais
Esquecerei os nossos momentos casuais
São como as cascatas em estreme alusão.
****
Cidália Ferreira.

29 comentários:

  1. Um sítio muito belo para os encontros amorosos, cuja recordação a poetisa transformou em poesia. Muito bom
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Belíssimo poema levado pela frescura da cascata!
    =)

    Bjinho

    ResponderEliminar
  3. Um poema doce e belo... embora triste...

    Beijos, Cidalia

    ResponderEliminar
  4. Por muitas palavras se escrevam, jamais
    Esquecerei os nossos momentos casuais ... e é assim que surge um POEMA lindo de se ler!!!bj

    ResponderEliminar
  5. Palavras que se soltam em cascata.
    Parabéns pelo talento.

    ResponderEliminar
  6. Porque esse seu poema bem merece,
    que lhe seja dada máxima pontuação
    nessa cascata seu corpo refresque
    se for essa a vontade do seu coração?

    Tenha uma boa noite cara amiga poetisa Cidália Ferreira,
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito, para o meio do fim de semana... relaxar :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Lindo poema Nostálgico mas encantador
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Gostei muito deste poema! :) E por mim ia já para esse lugar da foto. :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  10. A pureza que encontramos nesta poesia em cascata, eleva-nos para outros sonhos belos mas distantes sonhos.
    Formidável, adorei mesmo, Beijinho e Feliz semana, amiga !!!

    ResponderEliminar
  11. Poema cheio de sentimento, escrito à flor da pele.

    ResponderEliminar
  12. Há coisas difíceis de esquecer...
    Excelente poema, parabéns pela inspiração das tuas palavras.
    Continuação de boa semana, querida amiga Cidália.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  13. Palavras poéticas tão lindas

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Há momentos em que nos sentimos muito sós....
    Beijos e abraços
    Mara

    ResponderEliminar
  15. Cidália que linda a cascata nossa vida é assim tem momentos que não podemos nos esquecer Cidália bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  16. Lindo poema. Adorei :))


    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta - Feira

    ResponderEliminar
  17. Boa Tardinha, querida amiga Cidália!
    A contemplação tem esse poder de trazer o que se deseja à realidade... lindo demais! Salva o coração de ficar inerte e vazio de amor...
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  18. Um amor tumultuado, e talvez, não plenamente correspondido, que proporcionou, uma belíssima inspiração...
    Gostei imenso, Cidália! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  19. Oi Cidália,
    Poema belíssimo,
    que recorda um
    saudoso amor...
    Linda composição!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  20. Está um belo soneto, poetisa.
    Gostei muito, porém, para valorizar os seus textos,
    deve treinar a rima «rica»... Informe-se no Google.
    Com amizade, um abraço.
    ~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  21. E quando o coração sofre, resta a contemplação e a reflexão.
    Mais um lindo poema!

    Beijinhos Cidália

    ResponderEliminar
  22. Um poema cheio de amor, desabafos e reflexões...
    Bom fim de semana... O meu abraço

    ResponderEliminar