segunda-feira, 19 de junho de 2017

Sofreram horrores apenas em segundos

Foto de Paulo Ferreira.
Como  pode  alguém  assim sobreviver
Quando é forçado a não fazer escolhas
Fogem...desorientados para não sofrer
Mas ficam isolados de fogo e fagulhas
.
Sofreram horrores apenas em segundos
Nem tiveram tempo de pedir o socorro
Sei que a aflição deixa-nos moribundos
Mas capaz de soletrar a palavra, morro
.
Inexplicável é a perda, qual sofrimento
É a aflição, de se sentir o corpo a arder
É o querer fugir e não sair do tormento
É morrer lentamente e não se defender
.
São as vidas que se perdem sem retorno
São as famílias com marcas para a vida
É a tristeza de um povo...em transtorno
O terror e amargura, e gente desprovida
.
( Ps: O Fogo ainda lavra)
Foto de Antonio Pinto.
Existem várias linhas de apoio para ajudar.. Se todos contribuirmos, com pouco que seja, pode fazer a diferença. O meu abraço solidário.
.
Cidália Ferreira.

31 comentários:

  1. Poesia linda e estamos todos tristes com esse acontecimento tão trágico! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Que tristeza amiga Cidália e você descreve bem no seu poema,sofrem sem saber o motivo e sem tempo de pedirem socorro.
    Uma tragédia!
    Bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Triste acontecimientos, intensos tus versos.

    Besos y feliz lunes.

    ResponderEliminar
  4. Momentos terríveis que jamais esqueceremos ... Bj

    ResponderEliminar
  5. Olá Cidália
    Muito triste. Bjs querida.

    ResponderEliminar
  6. Sabemos que a tragédia começou com uma trovoada seca e com um raio que atingiu uma árvore de grande porte. Causa natural, portanto.
    O que me intriga é como o fogo se foi espalhando a uma velocidade espantosa.
    Depois da intriga vem a raiva. Afinal, se os terrenos estivessem cuidados, nada disto teria acontecido.
    Neste aspecto há que ter em conta que 2/3 do terreno ardido é pertença de privados, competindo a eles a limpeza.
    Maior raiva senti quando uns parvalhões exigiram a demissão da Ministra.

    Beijinho, Cidália.

    ResponderEliminar
  7. Uma tragédia enorme e terrível, que aqui fica bem retratada em forma de poesia. Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  8. Muito triste tudo o que aconteceu,amiga! Só soube 1 dia depois,pq estava de cama com gripe e febre! Temos que orar muito por essas almas e pelas famílias. Os desígnios de Deus são difíceis de entendermos.

    Beijos sabor carinho e uma segunda_feira e semana de bênçãos!

    Donetzka

    ResponderEliminar
  9. Amiga Cidália, muito triste mesmo, assim que vi em reportagens nem acreditei na força que o fogo tem, espalhando sem dar trégua!
    Vamos indo torcendo para que seja vencido, que possam aplacar as chamas!
    Seus verso estão mesmo mostrando o quando de dor há em tudo isso!
    Abraços linda amiga!

    ResponderEliminar
  10. Uma tragédia impensável!

    Magnífico poema!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  11. Olá Cidália,
    Emocionantes os seus versos.
    Uma tragédia lamentável e dolorida.
    Que Deus conforte e ampare eventuais sobreviventes e os familiares das vítimas!

    Deixo meus agradecimentos pelos anos de agradável convívio na blogosfera. Tenha muito sucesso com seus projetos literários e poéticos e seja sempre muito feliz!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. Uma tragédia terrível amiga.
    Sinto uma tristeza enorme com tudo que aconteceu.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Cara amiga Cidália, solidarizo-me convosco neste momento extremamente triste em que vidas humanas foram ceifadas de maneira trágica.
    Um abraço daqui do sul do Brasil.

    ResponderEliminar
  14. Um acontecimento terrível, devemos todos estar em oração com todos que estão sofrendo com essa tragédia. Poema lindo!!
    Tenha uma ótima semana!

    ResponderEliminar
  15. Olá Cidália,
    Acontecimento triste e devastador.
    Muitas vidas se perderam...lamentável.
    Bjs!

    ResponderEliminar
  16. Foi realmente horrível, mas devem ter sofucado, antes do pior, com o fumo...
    Temperaturas de 700ºC...
    Mas a pessoas demoram a abandonar os seu haveres...
    ~~~ Beijinhos pesarosos ~~~

    ResponderEliminar
  17. Oi Cidália
    Eu já vi uma menina( também era (maiorzinha) morrer num terreno que colocaram fogo e as cinza estavam branquinhas. A menina foi brincar no terreno, quem iria salvá-la?
    Se alguém entrasse morreria também. Se fosse hoje ela não morreria.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  18. A tua poesia ao mesmo tempo testemunha o ocorrido, como também encaminha gestos de solidariedade. Gosto disso. É a poesia saindo de si pra ir aí...
    abraço
    Lola

    ResponderEliminar
  19. Uma verdadeira tragédia, um terror sem limites e precedentes...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Tristeza sem palavra, lindos versos, obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar
  21. Olá Cidália, bonita homenagem!
    Aquilo que tenho pena é que no lugar desses inocentes, não tenham ficado os corruptos, ladrões e inocentes deste país!...
    bj

    ResponderEliminar
  22. Que poema devastador
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  23. Querida Cidália[
    A força e profundidade de suas palavras delineiam a devastação sofrida pelo povo do seu pais nesta tragédia sem precedentes e que tantas vidas inocentes ceifou
    Uma homenagem vigorosa num poema impactante
    Beijos e uma boa semana

    ResponderEliminar
  24. Oi Cidália
    Ainda muito chocada com o sofrimentos das famílias em saber como sofreram os seus queridos.
    Como disse a Elvira lá no inicio também entendo .
    Muito triste mesmo.
    Obrigada por falar por todos nós nesse poema sentimental.
    Beijo

    ResponderEliminar
  25. Ai amiga...meu coração arrepiou-se! De emoção e as tuas palavras de dor são tocantes!
    Construíste um belíssimo poema, inspirado na tragédia que ceifou vidas e algumas tão novinhas e deixando tantos em desespero pelas perdas de famílias.
    O que me custa é imaginar o desespero de quem ia na estrada da morte fugindo dela e sem conseguir. Imagino aqueles gritos sufocantes dentro dos carros....mais nada digo..não consigo!

    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  26. Um poema profundo que toca o nosso coração.
    Faltam-nos as palavras só de pensar na tamanha dor e sofrimento que envolveu esta terrível tragédia.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  27. Um poema emocionante, que tão bem descreve estes tristes acontecimentos, da passada semana...
    Ainda nem consigo verbalizar direito sobre tudo isto... porque haverá tanta gente e tanta responsabilidade a apurar... cuja inconsciência e desresponsabilização... acabou nisto... numa tragédia, da qual não há memória... e que custou a vida a tanta gente...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar