quarta-feira, 13 de julho de 2016

Páginas em branco que poderão ser rabiscadas

Páginas em branco que poderão ser rabiscadas
Com a melhor caneta, beleza em  pena robusta 
Sentimentos d'alma em folhas  esbranquiçadas
Em sua  candura  timbro o orgulho de ser justa
.
De tantas páginas vazias no qual vou escrever 
A minha, a tua, a nossa vida, em  outras vidas
Onde  cada  estória escrita  nos  pode comover
Se as lermos, olhos nos olhos e mentes cálidas
.
Dos livros que não  escrevi, mas  que imaginei
Que  neles  podia gravar os sentimentos sem lei
Onde lessem, compreendessem minhas atitudes
.
Guardo só para mim o melhor da nossa estória 
Agradeço à vida, que alterou a nossa trajectória
E neste livro puder escrever outras vicissitudes.
****
Cidália Ferreira 

22 comentários:

  1. Emocionado pela beleza do texto e pelo começo da narrativa que li ontem, mas não houve o link!!!
    Beijos amiga... mulher, poeta, generosa e de fibra!!!!

    ResponderEliminar
  2. Bom dia, querida Cidália!
    No livro da vida, sua história foi bem escrita e lida por milhões de anjos... é isso que conta na ralidade...
    Se Deus está satisfeito conosco... tudo foi ótimo em nosso viver!
    Mais uma linda poesia!
    Bjm muito fraterno

    ResponderEliminar
  3. Gosto de todos os seus poemas mas este é um dos mais belos...
    Tive saudades desse cantinho onde venho porque gosto e me faz bem.
    Desejo a vc um dia de alegrias e deixo um beijo

    {Λїta}_ST

    http://odiariodaescrava.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Linda poesia, digna de uma ótima poetisa
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  5. Cara amiga Cidália, meu problema é o livro de páginas brancas esperando para ser preenchido. Belo soneto. Observo que você faz referência ao tempo, aos aspectos da natureza, o que é coisa rara.
    Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderEliminar
  6. Que lindo Ci, sempre podemos escrever novas histórias e mudar os finais.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  7. Cidália
    uma página em branco é sempre um grande desafio
    beijo
    :)

    ResponderEliminar
  8. Lindo...lindo...lindo e sente-se uma emoção profunda..uma alma aliviada cuja vida mudou de trajectória. AMEI....palavras perfeitas com o teu toque especial.
    Um dia maravilhoso e que os restantes continuem assim...livres e serenos

    ResponderEliminar
  9. Poema muito muito bonito. Confesso que me emocionei ao ler olhando à profundidade de sentimentos e emoção que vibra de cada verso.
    São poemas destes que enaltecem o coração de quem os escreve. Lindo demais.

    Bjo

    ResponderEliminar
  10. Muito bonito teu poema, amiga Cidália!
    Gostei de ler-te!

    Beijos no coração!

    ResponderEliminar
  11. Lindo, profundo, repleto de alma e sentimento, eis esse seu belo soneto, páginas em branco sempre que podem ser preenchidas com sentimentos e inspirações vindos da alma da poetisa!
    Abraços bem apertados minha linda e querida amiga Cidália!

    ResponderEliminar
  12. Páginas em branco com tão belas palavras preenchidas. Lindo soneto Cidália.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderEliminar
  13. Páginas em branco para se poder escrever um belo poema como este.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
  14. As páginas em branco são convidativas à escrita.
    Gostei do teu soneto, minha amiga, é excelente.
    Cidália, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  15. Que bom que podemos escrever a nossa história, mas um lindo e encantador poema, Cidália bjs.

    ResponderEliminar
  16. O poema é lindo!!
    As páginas em branco convida escrever bons momentos para mais tarde recordar
    Bjs

    ResponderEliminar
  17. Um soneto perfeito que decerto embelezou o livro de páginas em branco.

    Beijinho amiga Cidália

    ResponderEliminar
  18. E a gente também pode esccolher as tintas e quais cores queremos!! beijos, boa semana!

    ResponderEliminar
  19. Tudo depende das escolhas. Maravilha de inspiração. Parabéns, querida.

    ResponderEliminar
  20. E nas páginas em branco se podem escrever tão belos poemas.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar