quinta-feira, 19 de maio de 2016

Deambulado pela escuridão da noite


Deambulado pela escuridão da noite
Entre o silêncio das minhas palavras
E os pensamentos que me fazem viver,
Entram, fazendo morada no meu coração
E no silêncio das minhas tristezas 
Na frescura da noite, lágrimas perdidas,

Existe uma brisa batendo em meu rosto
Vejo uma luz, lá longe, escondida de mim
Sinto o abanar das folhas da árvore solitária
Sinto que algo me foge, sensação de desgosto
Não vejo o estrelado do meu céu, entristeço,
.
Ao deambular pelas veredas da solidão
Encontro um vazio em meu peito  
Como vazia estava a noite em que te deixei
Mas peço-te que venhas ao meu encontro
Assim que romper o dia, para a vida,
.
Já me rendi, já me resignei, já me arrependi
Por tanta vezes fazer sofrer, o teu e o meu coração
Mas quero e imploro o teu perdão,
No meu caminho, és a verdadeira luz que o ilumina 
Neste deambular onde tanto te devo e nada valho,
Mas és a solitária árvore que me fascina.
***
Cidália Ferreira.

23 comentários:

  1. Un sensible deambular.

    Preciosos tus versos.

    Muy feliz día.

    Un besazo.

    ResponderEliminar
  2. Lindo e belo poema minha amiga.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Intenso, profundo, lindo poema! bjs, ótimo dia! chica

    ResponderEliminar
  4. Simplesmente maravilhoso amiga Cidália.
    Um poema de extrema profundidade.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  5. Lindo lindo lindo... a perda de um amor e o pedido de perdão que esconde a esperança de tê-lo de volta.
    Fiquei uns dias ausente mas foi apenas o tempo que correu mais que eu... rs.
    Tenha uma linda quinta-feira.
    Deixo meu beijo para vc.

    http://odiariodaescrava.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Sensibilidade de pensamentos e momentos... menos felizes
    Triste mas muito bonito
    Bjuuuuuu

    ResponderEliminar
  7. Tenho dito aqui que tu és a poetiza da paixão e do canto à natureza. Este poema reforça meu ponto de vista.
    Um abraço, cara amiga Cidália. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderEliminar
  8. é preciso deambular por aí à procura da luz...ela existe, basta procurar...
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
  9. Sensibilidade a flor da pele, gostei!!

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  10. Boa tarde, seus belos poemas mostram na perfeição a pessoa sensível que é, portadora de bons sentimentos.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
  11. Quando há arrependimento, o perdão torna-se mais fácil...
    Magnífico poema, gostei muito.
    Continuação de boa semana, querida amiga Cidália.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. Um belo poema, uma inspiração emocionante, Cidália bjs.

    ResponderEliminar
  13. Deambulando pela sua poesia. É sempre mtº. bom.
    Desejo que se encontre bem.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  14. Oi Cidália
    Obrigada pelo carinho
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderEliminar
  15. Cidália
    venho desejar um bom fim de semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  16. Poema maravilhoso amei arrasando como sempre, tenha uma semana abençoada.
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderEliminar
  17. Um poema arrancado da alma, parabéns!
    beijinhos e bom fim de semana Cidália

    ResponderEliminar
  18. Tem tanto de triste, como de lindo!
    Toca bem no fundo!!

    Bjos

    ResponderEliminar
  19. Boa noite
    Que lindo amei demais. Entre o silêncio das minhas palavras. Parabéns.

    ResponderEliminar
  20. OI CIDÁLIA!
    BELEZA QUE CONSEGUISTE IMPRIMIR EM VERSOS ONDE A TRISTEZA DA SEPARAÇÃO SE FAZ PRESENTE E DOLORIDA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  21. Oi Cidália
    Adoro suas poesia
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderEliminar
  22. Deambulando por fortes emoções, sentindo a amargura em cada palavra e verso, chego ao fim de tal maravilhoso poema e pensei: Esta poetiza está cada vez melhor e os seus versos mais poderosos. Parabéns amiga, novo poema cheio de sensibilidade como nos habituaste ao longo deste tempo. Um abraço muito grande

    ResponderEliminar
  23. Um solitário deambular.
    Lindo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar