segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Mãos dadas à Solidão.

Sobrevivendo de mãos dadas à solidão
Turbulências das agrestes ventanias
Tento refugiar-me de toda a multidão
Sofrendo sozinha tamanhas agonias

Caiu a noite, minha saudade apertou
Os olhos lacrimejavam nos pensamentos
Soluça meu coração, que se magoou
Num tropeço nos encruzilhados ventos

Deu nó e no fundo da minha garganta 
Palavras agressivas lascaram meu olhar
Que se sente a mais e já não encanta
Sobrevivendo, andar aqui, por andar

De mãos dadas, esta constante tristeza
O sol já não aquece, nem  aparece
Parece dizer adeus, fica a certeza
Tristes dias que meu coração não esquece.
****
Cidália Ferreira

22 comentários:

  1. Uma tristeza que não cessa e é preciso estancar.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Quando as lágrimas são sulco de vida
    Nos anseios que na alma perdurem
    Escorrem em rios de direcção perdida
    E não existem mãos que as segurem
    ........
    A minha homenagem ao teu poema, que tem de tão triste, a beleza mais pura da alma, na "voz" que é dada ao pensamento, e que desse, deixa escorrer em lágrimas as emoções do coração.

    Tem um Domingo feliz.

    ResponderEliminar
  3. Tristes versos, poesia tão linda! Ótimo domingo! bjs,chica

    ResponderEliminar
  4. Quando a solidão aperta o coração, a tristeza invade completamente a nossa alma.
    Tão triste e tão belo.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  5. É importante triunfar sobre as turbulências da vida...
    Beijinhos Cidália!

    ResponderEliminar
  6. Acho que somos um pouco assim
    mas em poema ficou deslumbrante
    Bjusss
    Rita

    ResponderEliminar
  7. Cara amiga Cidália, poetiza das emoções e da natureza. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma linda semana.

    ResponderEliminar
  8. Olá Cidália voltando aos pouquinhos. Passando por aqui para lhe desejar ótima semana. beijos

    ResponderEliminar
  9. Um poema mais para o triste...é como a vida uns dias
    alegres, outros nem tanto...
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  10. Oi Cidália
    Ninguém é totalmente feliz
    Cada um, como dizia minha mãe, tem que carregar sua cruz
    Beijos no coração
    Dorli

    ResponderEliminar
  11. A solidão é muito triste,mas ficamos alegres diante dos seus versos.
    Lindos amiga Cidália
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  12. Um poema triste,mais com uma beleza interior.
    Maravilhoso Cidália.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Apesar da tristeza dos teus versos, foi lindamente inspirada!
    Beijão, e uma linda noite!
    mariangela

    ResponderEliminar
  14. Lindo demais e magistral como todos seu poema triste,querida amiga Cidália.

    É uma poeta como poucas com sensibilidades à flor da pele. Parabéns,amiga!


    Obrigada pela visita e carinhoso comentário.

    Volte sempre!

    Beijos sabor carinho e linda semana

    Donetzka

    ResponderEliminar
  15. Excelente e melancólico poema.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  16. Oi Cidália querida


    Que lindo poema...
    Solidão não é um sentimento muito bom... Mas inspira lindo versos.

    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
  17. Tem algumas tristezas que o coração não esquece, Cidália beijos.

    ResponderEliminar
  18. Vamos largar a mão da solidão e dar a mão para a esperança.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  19. precisa haver sempre uma réstia de esperança.
    um dia o sol irá brilhar.
    tem de brilhar!
    boa semana.
    beijos
    :)

    ResponderEliminar
  20. Boa tarde Cidá... muito andei assim com ela anos atrás..
    foi com ela que muito escrevi tb.. bjs

    ResponderEliminar
  21. Oi Cidália
    Obrigada pelo carinho
    Beijos
    Dorli Ramos

    ResponderEliminar
  22. Uma forte carga emotiva domina este poema! A mágoa, solidão e melancolia dominam mas com uma aura poética magnífica! Parabéns Cidália, fabuloso poema com emoções ao rubro! Um grande abraço e que o teu dom perdure sempre

    ResponderEliminar