terça-feira, 10 de março de 2015

Caía a tarde naquele lugar...

Caía a tarde naquele lugar tão mágico
Vestia-se de negro com cor de tristeza
O céu, e lentamente ficava nostálgico
No descampado banhado pela beleza 

E o céu de tão triste que beijava o rio
O sol  aparecia por  frestas  douradas
Naquele lugar de solidão, e tão vazio
Do nosso paraíso, das boas tardadas 

O cheiro da relva e das nossas pisadas
Que deixava o rasto onde me deitavas
Perfumados cantos com o nosso odor

As águas paravam apreciando a gentileza
Das nossas brincadeiras tinham a certeza
Que bons ventos traziam recados de amor.
***
Cidália Ferreira

20 comentários:

  1. """ As águas paravam apreciando a gentileza
    Das nossas brincadeiras tinham a certeza
    Que bons ventos traziam recados de amor."""

    Se mais palavras houvesse para definir a beleza deste poema, decerto que estariam insertas neste terceto de versos.
    Dá gosto visitar este blogue que nos presenteia diariamente com poemas que fazem reflectir sobre cada segmento - não importando o contexto - que aflui ao nosso imaginário. E sabemos como o imaginário é fértil em nos presentear com ilusões feitas ternura num compasso de desejo soprados pelo coração
    Parabéns. É lindo o poema
    Deixo um abraço no carinho de um beijo

    ResponderEliminar
  2. Vamos dar um chega pra lá na tristeza, e que as nossas lembranças qdo surgem alegrem e não entristeça nossos corações.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  3. Nostalgia, tristeza e saudade de mãos dadas com tanta beleza poética! Ao recordar com saudades os momentos passados junto ao rio, o cheiro da relva onde carinhos trocavam, as palavras saíram da tua alma com tal magia enternecedora que encanta todos os que te lêem...amei Cidália...poema brilhante e imagem assombrosamente bela...continua assim a brindar-nos com obras de arte poética e um grande abraço

    ResponderEliminar
  4. Bucolismo adoravelmente intenso, nesse poema, Cidália.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  5. Um poema fantástico, feito na imaginação de uma imagem fresca e muito romântica.
    Adorei
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Um passeio pelo campo ao encontro dos bons ventos e carinhos do amor.
    Lindo poema amiga Cidália.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  7. Belo poema pleno de nostalgia e saudades.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Poema maravilhoso mostrando como é belo o coração da poetisa que faz das palavras sensações de beleza e ternura
    Beijinhos de longe

    ResponderEliminar
  9. Doce poema !!!!!!
    Não encontro as palavras certas, para descrever tanto sentimento.
    Parabéns amiga e um feliz resto de dia.
    Beijinho !!!!!

    ResponderEliminar
  10. Poema encantador amei,
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  11. Amiga, desculpa a minha ausência, mas sabes como são os trabalhos com turnos.
    Deparo-me um com um poema excelente, e com uma imagem que nos faz lembrar tantas coisas boas, até os pique-niques doutros tempos.
    Adorei
    Beijinhos e tudo de bom para ti e para os teus.

    ResponderEliminar
  12. Marco Aurélio - Brasil10 de março de 2015 às 21:19

    Cidália... uma delícia saber que os ventos sempre trazem notícias dos amores desejados....
    Sempre uma inspiração vir aqui!!!

    ResponderEliminar
  13. Que belo entardecer, Cidália, num campo de beleza, testemunha do amor ao qual os ventos trazem recados de amor.
    Muito bonito!
    xx

    ResponderEliminar
  14. Achei teu soneto divino, nada seria tão expressivo para exaltar a beleza do sentimento de amar.

    ResponderEliminar
  15. Belas recordações de um amor.... lindo!
    Bjusss

    ResponderEliminar
  16. Me gustan esos mensajes de amor
    Un beso, Cidália

    ResponderEliminar
  17. Adorei o seu cantinho está maravilhoso já a adicionei ao meu blog. beijinho

    ResponderEliminar
  18. Bom dia poema maravilhoso para um grande amor.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  19. Que lindo amiga Cidália. Gostei muito de ler-te!

    Obs: Perdoe a minha demora amiga.

    Beijos!

    ResponderEliminar