sábado, 15 de novembro de 2014

Espinhos sem rosas.


Uns dias sou sol do dia 
Outros eu sou a chuva 
Ás  vezes sou a alegria 
Ou a tristeza sem  cura
.

Uns dias sou toda amor 
Outros sou a raiva pura
Talvez pareça uma flor 
Talo de espinho em  rotura

Uns dias eu dou carinho 
Sendo talvez generosa 
Mas ás vezes no caminho 
Cruzam-se espinhos sem rosas 
.

Sou o espinho sou a lágrima 
Sou sofrimento sem dor  
A negação de auto estima 
No momento sofredor  
.

São espinhos bem aguçados 
Que no caminha me cercam 
São os tormentos malvados  
Que o coração me afectam. 
***
Cidália Ferreira




30 comentários:

  1. Tristeza ver os espinhos sem as rosas. Linda inspiração! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Que triste, mas inspirados versos!
    Abraços linda poetisa!

    ResponderEliminar
  3. Um poema até bonito, mas triste... gosto muitos dos poemas alegres, mas sei que os tristes tocam as pessoas mais sensíveis. Gosto da foto.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Bem escrito...forte inspiração ...provando que na escrita não existem espinhos que impeçam que se escrevam poemas magníficos e de elevada estirpe poética
    Deixo um beijo

    ResponderEliminar
  5. Bom dia, um espinho define melhor um sentimento que uma flor.
    AG

    ResponderEliminar
  6. Se não existissem espinhos uma rosa nunca seria uma rosa. A necessidade dos contrastes.
    Um poema muito bonito!
    Bom fim de semana, Cidália!
    xx

    ResponderEliminar
  7. A vida muitas vezes traz-nos ingratidão, tornando o nosso estado de espírito revoltado e amargurado e nosso caminho com espinhos...Amei este poema Cidália...majestoso e espelha bem a tua dor e revolta...desejo-te um fim de semana sem espinhos e com um sorriso nos teus lábios

    ResponderEliminar
  8. Essas emoções nos assaltam todos os dias Cidália.
    Lindos versos!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  9. Hoje é assim, amanhã são flores sem espinhos ;)

    Beijoo'o

    ResponderEliminar
  10. Apesar de ser triste tem a sua beleza..

    Bom fim de semana, Cidália
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Querida Cidália
    Infelizmente, a tristeza sempre nos persegue!
    O seu poema é muito bonito,mas muito triste! Vamos pensar que, amanhã vai ser melhor do que hoje e... assim será.
    Bom fim de semana.
    Um beijinho
    Beatriz
    Já publiquei de novo.

    ResponderEliminar
  12. Nosssaaa Senhoraaaaaaa.......... deletou meu comentário????????????
    Fui deselegante???????????????

    ResponderEliminar
  13. É muito difícil as rosas não ter espinhos,mas encontramos espinhos doloridos sem a suavidade das rosas.
    Lindo poema amiga Cidália.
    bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  14. Que os espinhos saiam do coração a fim de que o amor entre e se sinta em Paz
    Que poema tão bonito
    Beijo do amigo Pedras

    ResponderEliminar
  15. Oi Cidália um poema que faz pensar...espinhos sem rosas,seria um amor não correspóndido, que faz sofrer?
    Bom final de semana.
    Abraço carinhoso e venha me visitar.

    ResponderEliminar
  16. Espinhos sem rosas é uma vida sem vida...sem amor!

    Excelente poema.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  17. Marco Aurélio - Brasil15 de novembro de 2014 às 21:58

    Poema lindo e maravilhoso....!!!!

    ResponderEliminar
  18. Quais tormentos, quais espinhos
    Que picam sua alegria
    São simples fases da vida
    Uma mera fantasia
    Se a vida fosse rosas
    Tudo seria sem graça
    Pois tudo que é muito bom
    Pode acabar na desgraça......

    Lindo poema amiga poetiza, mostra-nos os espinhos e a alegria da vida....Parabéns.
    Beijinho e Feliz domingo !!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  19. Que o amor preencha os espaços entre os espinhos e nasçam belas e amorosas rosas...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  20. Tristezas fazem parte de nossa vida, beijo Lisette,

    ResponderEliminar
  21. Boa noite, Cidália. Resumo da história: se não há rosas, não vale o sacrifício.
    Triste, mas muito bonito, porque a mais bela poesia tem sempre o seu quê de tristeza. É que nem o samba chorado...
    bjo amg

    ResponderEliminar
  22. Olá, querida Cidália
    "Uns dias sou toda amor
    Outros sou a raiva pura"...
    Versos mais verdadeiros sobre estados d'alma que todos temos...
    Um abençoado Domingo!!!
    Bjm fraternal

    ResponderEliminar
  23. Pena que os espinhos nos cercam, Cidália beijos.

    ResponderEliminar
  24. Poema que reflete as nuances da alma humana, belo e reflexivo. Parabéns querida Cidália. Bjs

    ResponderEliminar
  25. Triste,mas lindo e soberbo como todos os que escreve,Cidália,querida amiga.


    Meu marido operou no dia 7/11 e se recupera .Daí estou sem tempo para o blog.

    Somente dia 15/12 ele vai retirar a sonda e espero em Deus que esse pesadelo termine.

    Tenho postado pouco,mas vim agradecer suas visitas .

    Beijos e uma semana de alegrias

    Donetzka

    Face Book:

    https://www.facebook.com/donetzka.cercck

    Twitter: @donetzka13

    Instagram: @donetzka


    http://instagram.com/donetzka

    Flickr(Minha galeria de imagens):

    https://www.flickr.com/photos/123498631@N06/

    Youtube (Meu canal):

    http://www.youtube.com/channel/UCnVpBs2C-vL6fd1BaRH3lrA/about


    Blog Magia de Donetzka



    ResponderEliminar
  26. Que lindo. Personificação da vida nossa de cada dia, entre ser flor e lidar com a proteção e as ameaças a que somos submetidos.
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  27. Pois é , Cidália, "Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se acabe", é certo.

    ResponderEliminar
  28. Só uma poetisa com alma de flores, como tu, poderia flanar liricamente tão bem entre os espinhos sem se ferir, antes revelando as muitas nuances de perfume, luz e cor que só as mais belas flores podem representar.

    Um abraço, Cidália!

    ResponderEliminar